terça-feira, 14 de abril de 2009

Avatar FiliPêra

Wii: revolução ou enganação?

 

wii_definity

Crédito da foto: Peter Tsai

Aviso: Antes de ler esse post, de preferência leia ESSE aqui primeiro, feito pelo chorão BruNêra. Se tiver tempo, leia todos os comentários que ele recebeu também!

 

Muito se tem falado mal sobre o fato do Wii ter atraído um novo e gigantesco mercado antes inexplorado de potenciais compradores de videogames. Agora, com o aparelhinho da Nintendo (que muitos gamers, e até mesmo os míopes diretores da Sony, terem declarado que nem videogame é) mostrando ao mundo que videogames podem não ser apenas coisas de nerds (como Eu e, possivelmente, você) que tem a paciência de se envolver com games por 30, 40, ou até 120 horas (mais ou menos o tempo que gastei jogando Chrono Trigger), os gamers ditos hardcore, aqueles que já jogam desde o Super NES ou algo assim, começam a reclamar da “afrouxização” dos jogos, que estão ficando mais fáceis, menos densos e mais infantis, jogando a culpa no Wii e seu público, supostamente composto apenas por vovós, titios desempregados e cozinheiras.

Mas, será que dá para culpar a proposta da Nintendo (e o sucesso dela) em atrair mais gente para o imensamente lucrativo mercado de videogames pelos games porcos, com qualidade duvidosa que estão saindo, ou mesmo pela suposta queda de qualidade (dita por gente que nem jogou o game ainda) do novo jogo da série Sillent Hill?

 

A idéia da Nintendo – uma empresa de visão, que praticamente tornou os videogames populares e criou o modelo de negócio do mercado, vigente até o momento – como muitos já devem saber, era expandir o mercado dos chamados gamers, que chegou ao seu ápice com o PlayStation 2, o videogame de maior sucesso na história, com mais de 140 milhões de unidades vendidas. Todo o plano de Shigeru Miyamoto, Satoru Iwata & cia deu certo, e hoje o Wii é praticamente um substituto do, nunca finado, PS2 (ele vende até mais que o 3, sendo a principal aposta da Sony do momento), e somente agora, quase três anos e 45 milhões de unidades vendidas depois, os estoques dele são adequados para atender a demanda (as filas devem diminuir, e os anúncios na Amazon agora devem durar mais de um dia). 

Já no lado da Sony, parece que o sucesso do PS2 subiu a cabeça dela, acomodando-a. Eles tiveram a audácia de lançar um videogame custando US$ 600, o dobro do preço dos concorrentes, apostando unicamente no poder da marca PlayStation para alavancar as vendas. Como todos devem saber, nem casuais nem gamers se interessaram pelo aparelho, deixando a caixa preta da Sony amargando uma derrota histórica nos gráficos de vendas, posicionando a empresa em terceiro na guerra da nova geração, e dando a ela um prejuízo mamutesco em sua antes muitíssimo lucrativa seção de entretenimento eletrônico (acrescente a isso a demissão de mais de 8.000 funcionários da empresa e entenda o problema melhor). O Xbox 360, assim como seu predecessor, obtém sucesso, mesmo não estando na primeira colocação, e é o videogame mais interessante para compra para quem não gostou da proposta do Wii.

O Wii já fez mais que seus predecessores, e praticamente imitou o que o NES fez no passado, apresentando os videogames para pessoas que não estão (ainda) nem aí para Metroids, Metal Gear Solids, Final Fantasys e Zeldas. Vejam o exemplo de Wii Sports. É um jogo divertido (logo que comprei meu Wii, Eu, o BruNêra e o HumberTêra passamos horas jogando Wii Sports até as articulações pedirem arrego), mas cansa com uma facilidade imensa quem já jogou algo mais profundo. E é aí é que está sua principal utilidade: como jogo incluso no videogame, ele é perfeito para os que não sabem o que é um Wii, aprenderem rapidamente seus comandos e seus macetes. Inegavelmente é também um convite para a compra de outros jogos. Resumindo: é um jogo casual, pois não precisa de envolvimento, sendo fonte de diversão para o momento e podendo ser esquecido logo depois. Também é um convite para a compra de jogos melhores, que demandam tempo de aprendizado e habilidades, tanto manuais, quanto dos neurônios.

Um adendo antes de continuar: Minha definição de games casuais é a seguinte: são jogos (ou modos de jogo) que não exigem comprometimento, que podem ser jogados casualmente. Guitar Hero é um jogo casual? Depende. Se você ficar no Training o resto da sua vida ele se classifica como um game casual. Mas se quiser entrar no modo Career vai ter que treinar bastante, para conseguir avançar. Isso faz o game deixar de ser casual. E Zelda (que o BruNêra disse que “Cara! Mais casual impossível!” e depois, em uma discussão conversa deu pra trás nessa declaração)? Ele não tem nada casual. Se tem, me mostre como um jogo que exige NO MÍNIMO 40 horas para terminar (isso se eliminar todos os conceitos de exploração que o jogo brilhantemente tem, e passar apressadamente pelas fases) pode ser casual. Como um público casual senta na frente do sofá e termina um jogo de 40 horas (cuja a PRIMEIRA fase exigiu 8 horas do nosso hardcore amigo BruNêra)? Essa idéia de que é necessário ter diploma (leia-se: uns dez anos de prática) para se jogar um game é infeliz e tacanha, só reduzindo o mercado de videogames para uns poucos aficionados com horas e horas semanais para jogar, além de de tornar uns 70% dos jogos da atualidade casuais.

 

the-conduit-

Me desculpem os céticos mas acho extremamente difícil que todo o público que está comprando Wii vai se contentar por muito tempo em ficar cozinhando, fazendo testes para o cérebro, ou karaokê (logo abaixo explicarei com mais detalhes). Isso está inerente no DNA humano: evoluir, passando de algo corriqueiro para algo profundo e com mais envolvimento. Cito meu próprio caso abaixo (nos quadrinhos, pois comecei a jogar videogame com o Atari, passando por uma caceta de videogames  antes de repousar no Wii, então muitos poderiam considera-lo inválido).

Comecei lendo quadrinhos da Turma da Mônica e Disney, lá pelos meus oito anos. Eram engraçados, eram bem feitos e me divertiam (não sei hoje, mas na época, a Turma da Mônica passava por uma boa fase). Lia quadrinhos quando tinha tempo, me limitando a uns dois ou três por mês. Logo após um hype de Homem-Aranha, por volta do ano de 98, que estava tendo seu desenho transmitido pela Globo, comprei uma revista do Homem-Aranha. Achei o máximo, e vi que os quadrinhos poderiam ser mais que algumas risadas descompromissadas (hoje já não vejo tanta qualidade assim em Homem-Aranha). Após comprar uma Wizard, com o intuito de ler uma história do agora meu herói favorito lá dentro, vejo uma matéria super-especial sobre Sin City (a última criação com qualidade de Frank Miller), ainda bem antes dela virar filme, por gostar de sua temática noir. Entrei no Mercado Livre e aos poucos comprei toda a coleção da revista disponível na época (tudo isso num espaço de nove meses). Depois de mais Wizards (hoje não preciso mais dela, conheço blogs de quadrinhos), listei coisas como Watchmen, O Cavaleiro das Trevas e Asilo Arkham dentre as revistas que deveria comprar. O resultado é que não só li tudo isso e possuo uma razoável coleção de quadrinhos, como apresentei tudo isso ao BruNêra, que fora os mangás, deve o que ele conhece de HQ’s a mim. E Eu devo meu interesse em parte a Turma da Mônica (revistas casuais, inegavelmente).

Existe porcaria na indústria de quadrinhos? Sem dúvida alguma. Mas ainda temos Moore, Morrison e Ellis e mais uma cacetada de grandes autores. A própria DC lança porcarias como as suas sucessivas crises? Sim, mas a Vertigo, com suas boas idéias ainda paira na editora, me mostrando que dois públicos podem coexistir. A Vertigo escreve para os que só gostam de Disney, simplesmente porque lá as vendas são astronômicas? Não! Eles tem seu público, seus artistas e escritores de primeira, não precisam dos centavos da Disney, pois a própria DC tem uma linha com um apelo mais popular para os leitores Disney que quiserem dar um passo a frente no mundo dos quadrinhos. Enquanto isso, a Vertigo está lá no canto, esperando os que realmente querem experimentar histórias densas, com o máximo que os quadrinhos podem proporcionar (não é só na Vertigo, ela é apenas um exemplo). Uma linha não precisa invadir a outra. A Vertigo não precisa criar histórias para as “crises” da DC e nem as crises para a Vertigo. Simples assim! E se eles um dia fizerem isso será por burrice própria e não porque as revistas “normais” da DC e da Marvel tornaram o mercado de quadrinhos algo multimilionário e acionaram a ganância financeira dos editores da Vertigo. Creio que estou me fazendo entender, ia falar um pouco de Alan Moore e de como ele jamais se venderia por uns trocados a mais, porém creio ser desnecessário.

Agora BruNêra, me responda uma coisa: se Eu te chamasse de público acéfalo de quadrinhos, risse na sua cara porque você lia coisas de Todd McFarlane e achava Spawn a melhor coisa que a nona arte podia proporcionar (e achava o Justiceiro melhor que o Batman, discutindo comigo acercado assunto) e jamais te emprestasse as HQ’s que tenho? Creio que ia demorar uma cara até você conseguir ler Alan Moore (que Eu também te apresentei), Grant Morrison (Eu também) e Warren Ellis (Eu de novo), se você um dia lesse. Então chamar de público acéfalo quem joga esses games casuais porque são alguns dos únicos games que transcenderam a barreira da comunidade gamer e chegou até eles (os games de filme também, mas eles são uma porcaria) é, no mínimo, uma atitude idiota e míope, além de ser um desrespeito ao seu próprio passado (você mesmo só lia Spawn, o maior hit da época)!

O Orkut é outro exemplo. Seu público em maioria é ruim? É, mas é possível fazer excelente uso da rede social (como entrar na Comunidade do NSN por lá, ou as enquetes semanais que o BruNêra faz). O Orkut é uma ferramenta com milhões de usuários prontos para gastarem seu tempo nela. Como cada um interessado nas pessoas que querem gastar tempo irá tirar proveito disso, vai de criatividade e comprometimento, não existem fórmulas prontas para o novo.

A mesma coisa é o Wii. A base instalado do console já é uma das maiores do momento, só perdendo para o Nintendo DS e o PS2. Como as empresas irão aproveitar isso para ganhar dinheiro e fazer games de primeira, depende da criatividade delas. Umas estão colocando a mão no dinheiro, como a Ubi Soft, a Sega, a Eletronic Arts (que não piorou gráficos ou tirou combates de Dead Space por causa do Wii, preferindo fazer uma versão do jogo para o videogame da Nintendo), ou a Capcom (Resident Evil 4 foi destruído pelo Wii? Vou me abster de responder essa).

 

guitar_wii_girl

Crédito

Alguns podem argumentar que o Wii é um desvio de conduta da Nintendo, que abandonou seus milhões de fãs de longa data e passou a atender exclusivamente ao seu novo público casual, aquele que joga sem envolvimento, e se cansa fácil do jogo. Tal análise superficial pode ser desmentida facilmente, e com argumentos razoáveis ainda por cima.

Posso estar redondamente enganado (só o futuro o confirmará) e parecer falar coisas parecidas com a de de uma pessoa que acabou de ingerir um cogumelo “Psylocybe Mexicana”, mas vejo o Wii quase como um reboot do semi-desgastado mercado de games. Explico: é bastante provável que a nova geração mostraria um freio de compradores já que grande parte da população gamer comprou um PS2 e dificilmente tais números de sucesso se repetiriam (calma, vou mostrar que os números estão ao meu lado daqui a pouco). Com mais do mesmo (não é reclamando nem nada, mas me fale a grande diferença além dos gráficos dessa geração para a passada sem o Wii. Creio que “mais polígonos” é a resposta que vou ouvir) a nova geração alcançaria grande sucesso, mas jamais teria esse aumento de público que está tendo.

Encare o Wii como um novo NES (chamado no Japão de FAMILY Computer, ou simplesmente Famicom) que na época continha controles completamente diferentes dos existentes (a banana do Atari que parava de funcionar em semanas. Saudades?), que está atraindo um novo público para os games, os transformando em hardcore logo depois (como foi com o Super Nintendo, até hoje considerado por muitos o melhor videogame da história, e chamado no Japão de Super FAMILY Computer). E após jogarem NES, a família logo depois comprou seu sucessor, com jogos muito mais profundos e hoje temos uma geração de gamers hardcore gigante (minha mãe comprou um Super NES para mim, e ela mesmo jogava alguns games).

Faça uma pesquisa rápida: descubra quem jogou NES (ou Super NES) e saiba se ele ainda joga videogame? Posso te afirmar que, ao menos 80% dos que compraram NES, que continha games inteiramente casuais como Duck Hunt, Elevator Action, além de inúmeros beat in up, como Double Dragon e Battletoads (que já tinha a sua conhecida dificuldade insana), hoje possui um PS2, ou um Xbox 360, ou qualquer outro mais novo.

Você deve estar pensando: “Mas Filipe, você não está forçando a barra demais, ao comparar um mercado de games ainda prematuro, com o de hoje, a indústria de entretenimento mais lucrativa do mundo, muito mais madura e desenvolvida?” Eu afirmo que não! Encare o seu pai, ou sua tia. Você vê em algum dessas duas pessoas, alguma habilidade para passar daquela missão cabeluda de Splinter Cell, ou enfrentar o Ganondorf no final de Ocarina of Time? Não, eles não têm! E não devem gostar de videogames por isso. Isso é demais para eles, que ainda não encaram videogames como uma forma de arte, e não aceitam ser desafiados por uma “máquina que fica ao lado da TV”.

Agora a Nintendo lança a rede (de verdade) para essas pessoas que não foram sugadas pelo poder do NES, e quer ve-las jogando videogame. Alguns vão simplesmente comprar o aparelho, jogar Wii Sports, Cooking Mama, Wii Fit e vender o console, ou simplesmente abandona-lo a revelia em algum canto sujo da casa (ou ficar jogando esses jogos para o resto da vida, o mercado vai abraça-los também). Outros vão gostar da experiência e querer mais. Vão talvez começar a jogar um Fifa ou Winning Eleven, que exigem um pouco mais de cérebro, ou quem sabe um Marvel vs Capcom, ou Soul Calibur, e vão evoluir para algo mais complexo. Um Metal Gear Solid, Metroid ou até um Final Fantasy, se eles tiverem mais tempo, logo estarão em seu catálogo.

Absurdo? Não. Para comparar, vou usar um exemplo que ocorre aqui mesmo no nosso blog. Nós temos uma parceria com o Yahoo! Posts. Com certa frequência, orgulhosamente digo, um post nosso é selecionado para a home do Yahoo!, trazendo uma leva de milhares de pára-quedistas que nunca ouviram falar do nosso blog, aumentando violentamente nossas visitas naquele dia. O post fica infestado de comentários inúteis, muitas vezes de pessoas que nem leram o texto a qual estão comentando. Mas, junto com o essa multidão de pára-quedistas, vêm leitores que se tornarão fiéis ao nosso blog, e nos acompanharão diariamente. Ou seja, nosso blog recebe uma leva de novos leitores, mas junto vêm gente que nunca mais voltará. E os trolls que, aqueles que infestam nossos blogs com palavras idiotas? São ignorados, não mudando uma única linha do nosso conteúdo e da nossa linha editorial (mesmo que com eles, nossos ganhos com programas de afiliados aumentariam). Se eles quiserem continuar nos lendo serão bem vindos, mas se nos acharem uns ignorantes, procurem outra coisa para atormentar ler, a Internet é gigante.

Entendeu onde quero chegar? O Wii é como um catalisador de jogadores novos (como o Y! Posts é um catalisador de leitores novos para os blogs participantes). Muitos que não jogam videogame e o compraram, vão pisa-lo e jamais voltar ao universo do entretenimento eletrônico. Esse público não interessa a Nintendo ou a mais ninguém. Mas outros vão querer mais (ou você acha que TODOS os prováveis 150 milhões de pessoas que comprarem o Wii vão se contentar em ficar cozinhando ou jogando golfe o por mais tempo… eles logo estarão jogando Mario e depois pularão para um Zelda e assim sucessivamente), e aí teremos mais alguns milhões no mercado de games.

 

wii-fit-big

Bom, a primeira parte desse plano, trazer gente nova para segurar um joystick – e ampliar todo o mercado de videogames – foi um sucesso estrondoso. Mesmo em tempos de crise financeira aguda (nas palavras dos economistas do mundo) houve um forte aumento nas vendas dos videogames, e tudo graças a Nintendo e seu Wii (tem o Nintendo DS também… já falo dele). O Wii é o videogame que mais rápido vendeu até o momento, superando até mesmo outros sucesso absolutos da empresa: os videogames portáteis (já chegamos lá). Enquanto ele alcança seus 45 milhões de unidades vendidas, o Xbox 360 consegue, com um ano de dianteira, seus 23 milhões e o PS3 come poeira com 17 milhões. Detalhe: o Wii Fit sozinho vendeu 16 milhões, e em breve deve ultrapassar o console da Sony. Mais números? Veja AQUI os jogos mais vendidos da década. Spoiler: Mario e Pokemon são as duas maiores franquias desses últimos dez anos, seguido de GTA. Outro spoiler: Dos dez jogos mais vendidos, somente um não é da Nintendo, o sexto, GTA: San Andreas. Estou falando de uma década, não de dois anos para cá, época que o Wii chegou ao mercado. Então, desprezar o que a Nintendo faz é no mímino ignorância com o mercado de videogames.

A pergunta inevitável que surge é: cadê os gamers hardcore que deixam o Orkut do mundo dos games (o Wii) pisar forte no anterior sinônimo de videogames (o PlayStation)? Me respondam as pessoas que vêem o Wii como o Armageddom criativo do mundo dos games… Eu tenho a minha própria resposta, e creio que essas pessoas não gostarão dela! Cadê as pessoas que tornaram o PS2 um dos mais estrondosos sucessos da história mundial? Cadê eles que não estão comprando o PS3, e tirando a Sony do atoleiro, enquanto a Nintendo se torna a segunda maior empresa do Japão, perdendo apenas para a Toyota (Hiroshi Yamauchi, o dono da Nintendo, no momento é o homem mais rico da Terra do Sol Nascente, com US$ 9 bilhões na carteira)? Ou eles desistiram do ramo dos videogames após jogarem PS2 até os dedos saírem correndo, ou estão comprando Wii, o videogame de velhas reumáticas (ironia estratosférica aqui). Essas são as única explicação lógica para o sucesso do Wii e fracasso do videogame da Sony (não estou esquecendo o Xbox 360. Se juntarmos as vendas de PS3 e do Xbox 360, elas não dão metade das vendas que o PS2 sozinho conseguiu nesse momento do seu ciclo de vida. E reparem que excluí as vendas de Game Cube, presumindo que eles compraram Wii automaticamente). Os hardcore em parte abandonaram o mundo dos games ou o Wii não é tão casual assim.

Você deve estar argumentando: “Filipe, seu bobão nintendista cegueta, muitos casuais compraram o PS2 também, e não somente gamers hardcore! Eles migraram para o Wii, que é mais idiota e fácil”. Então tenho só uma afirmação para responder a isso: o PS2 falhou no quesito de aumentar horizontalmente o mercado de games então, não transformando (mesmo com seus jogos hardcore de primeira) jogadores casuais em novos gamers, terminando por ser um buraco negro para o mercado. Ele foi um sucesso? Foi! Mas a longo prazo não foi benéfico para a indústria de games pelo visto… Isso ou seu público decidiu que o Wii é melhor!

 

Mario Galaxy_02

Outro argumento para confirmar que a Nintendo não está abandonando seu público é que suas franquias não mudaram em nada para agradar ao público dito casual. Mario Galaxy – aguardem uma resenha para breve – é muito melhor que Super Mario 64 (a qual zerei de ponta a ponta, adquirindo todas as 120 estrelas), e é um grande exemplo de como a Nintendo é capaz de evoluir. The Legend of Zelda: Twilight Princess é a mesma coisa, não diferindo em nada de um Ocarina of Time (não estou falando de qualidade, mas de conceito). Se o BruNêra disse que é fácil, é porque na tal semana dele com o meu Wii, ele só passou da PRIMEIRA fase (vindo de alguém que diz que Donkey Kong Country é hardcore e Zelda não, é melhor ignorar). Além do mais, Zelda nunca teve a proposta de ser insanamente difícil, como é o caso de games como Breath of Fire ou Splinter Cell (até em Metal Gear Solid, o 2 principalmente, é possível passar de várias fases simplesmente correndo e batendo, eliminando todo o conceito stealth, mas aí a coisa perde a graça. A mesma coisa com Zelda sem a exploração).

Ele também disse que para qualquer coisa em Twilight usa o Wii Remote e que aquilo tudo cansa. Outra opinião precipitada, de quem quer falar de um videogame (e de todo o seu possível efeito idiotizante no mundo dos games) somente jogando a primeira fase de um de seus jogos, e só conhecendo a superfície dos seus lançamentos. Eu, no feriado que fiquei offline, joguei 15 horas seguidas de Zelda e não cansei. O Wii Remote só é usado para ataques com espada, podendo seu uso ser evitado caso você seja esperto: trave a mira no oponente aperte A para dar um golpe. O golpe causa até mais danos que a maioria dos rodopios e espadadas que o Wii Remote proporciona.

Se balançar o Wii Remote não é original, apertar botões loucamente em um joystick  - coisa que os gamers fazem desde o NES, lançado há quase 25 anos - é muito menos!

E sim, Zelda é MUITO bom, não é à toa que um ou dois títulos seus são SEMPRE lembrados entre os melhores da história (da história, e não do ano). E Eu joguei Final Fantasy, Chrono Trigger (jogo que a Square jamais conseguiu igualar, mesmo com os Final Fantasy que ela mesmo afirmou recentemente que estão repetitivos, e, pasmem, elogiou a Nintendo por sua expansão de mercado), Metal Gear Solid 2 e 3 (o 2 é ruim pacas), Splinter Cell.

E outra… a Nintendo jamais saiu de sua proposta. Mesmo quando as vendas do Game Cube iam mal e GTA (e toda a sua multidão de genéricos) vendia mais que picolés entre os Touareg. A Nintendo poderia ter feito uma leva de games com jogabilidade aberta e um recheio violento, mas não fez (me entenda bem, Eu gosto de GTA e gastei umas boas horas da minha vida em Liberty City e San Andreas), se mantendo fiel a sua linha de games, mesmo com jogadores clamando por jogos “adultos”. Se ela agora está criando games casuais, ela faz isso SOMANDO as suas franquias vencedoras, nunca substituindo-as por outras.

 

The_Legend_Of_Zelda_Twilight_Princess

Quer a prova que os games Nintendo continuam com sua qualidade intacta (essa é especialmente para o BruNêra, que não jogou quase nenhum deles e afirma que eles são o fim do mundo dos games como o conhecemos)? Veja os reviews de gente que JOGOU-os! Clique nos links e veja agora as avaliações de Super Smash Bross Brawl, Twilight Princess, Super Mario Galaxy, Metroid Corruption, Wii Fit, Wii Sports (o site que utilizei como base para as avaliações se chama Meta Critic e é um agregador de críticas de filmes, música, games, séries de TV e DVD’s. Uma lista dos veículos que têm suas notas usadas como base para o MetaScore pode ser visto NESSE link).

Caso você já tenha achado esse artigo longo demais para clicar nesses links, vou dar logo alguns spoilers e fazer algumas perguntas também: como games ditos ruins e casuais podem continuar se mantendo relevantes, com qualidade e conseguindo notas que nem mesmo o tão badalado Metal Gear Solid 4, o supremo game hardcore consegue (Mario Galaxy conseguiu uma nota 97, enquanto a nova aventura de Solid Snake conseguiu um 94. Ah tá BruNêra, até o “casual” Twilight conseguiu uma nota maior que MGS 4)?

Ou toda a elite dos sites e publicações de games foram contratados pela Nintendo, ou esses games são realmente espetaculares. Só para esclarecer: Smash Bros conseguiu um 93 e Metroid um 90. Até os nojentos (na linguagem do BruNêra) Wii Sports (que ele jogou pacas) e Wii Fit (que nem Eu, sedentário assumido, creio que jogaria) conseguiram um 76 e um 80 respectivamente (mais do que Sillent Hill 4 e Silent Hill: Homecoming, integrantes da série tão amada e intocável dele). E Resident Evil 5, representante dos hardcore esmagadores de cabeça de zumbis? Um bom 86… menos que as franquias clássicas da Nintendo.

Mais comparações covardes: pegue a franquia-mestre do Mega Drive (que o BruNêra afirma ser melhor que o Super Nintendo), Sonic e compare com Zelda (ou Mario), e veja quem chegou melhor ao 3D e a atualidade. Ou ainda com Sillent Hill e Metal Gear Solid e compare quem teve as melhores avaliações (tenho certeza que você as leva em conta antes de investir seu suado dinheirinho e tempo num jogo). Na maior das boas vontades, MGS consegue empatar com elas… Já as outras naufragam.

Quer sair das franquias clássicas e ir para os lançamentos normais do três consoles atuais do mercado? Clique AQUI para ver os lançamentos do Wii, AQUI para os do PS3 e AQUI para os do Xbox 360. Do lado esquerdo você verá os lançamentos recentes, do lado direito os games top mais bem ranqueados da empresa. Pronto? Viu que os rankings praticamente não se diferem na questão de notas, tendo games muito bons e ruins?

Um detalhe interessante (como bem observou ESSE Anônimo): reparem como vários jogos se repetem nos rankings dos melhores dos dois videogames ou conte quantos FPS e jogos musicais estão entre os mais bem ranqueados! No Xbox 360 metade dos games (isso os que reconheci de cara) eram FPS ou musicais, mostrando uma repetição e saturação de mercado. No ranking do PS3 mais nove. Agora olho quantos desses são sequências. No PS3 eles totalizam 14. No Xbox 360 mais 14. E ainda acusam a Nintendo de não se renovar…

Mas você pode pensar: “Não estou nem aí para os críticos de games, os jogadores e seu boca-a-boca são muito mais sinceros”. É só olhar para a média das notas que qualquer jogador mediante cadastro pode dar nos games. Vocês verão que esse mito de que crítica e jogadores não concordam (ao menos no mundo dos games) não existe, as notas são muito parecidas! Ah! tá, todos esses games são sucessos absolutos de vendas também, soterrando qualquer game que Sony, Eletronic Arts, Microsoft ou qualquer dessas produtoras (muito boas) que só fazem games hardcore, estão produzindo na atualidade.

 

Frente a argumentos como esses creio que fica difícil para qualquer um virar as costas para o que o Wii está fazendo. Acusar da Nintendo das merdas (repito, dita por gente que nem jogou o game ainda) que o time de Sillent Hill está fazendo com a franquia (ou o que fizeram com Prince of Persia, onde você não morre mais) é uma das visões mais estreitas e idiotas que já vi. O fato deles não conseguirem mais agradar seu público é culpa do novo público que está chegando? Não, chamo isso de falência criativa, coisa que a Nintendo não tem (ou ao menos quando tem, não apela para a modinha do momento para angariar alguns centavos… e logo depois se queimar), tentando se reinventar, coisa que as outras não fazem há uns bons anos, se acomodando em fazer as mesmas coisas para todo o sempre (até que os jogadores se cansem).

E LittleBigPlanet, feito pela Sony? Um jogo casual que Eu realmente queria jogar (vejam mais sobre o jogo NESSE post do blog Continue)… Seu sucesso (é o segundo mais bem avaliado jogo para PS3 até o momento, só perdendo para GTA IV) e sua popularização se deve ao sucesso do Wii? Bom, isso deve ser motivo de orgulho para a Nintendo ao ver que o mercado que ela está criando está dando frutos de tão grande qualidade, mesmo do lado de lá da concorrência.

 

littlebigplanet

Vou usar outro exemplo do blog para começar com o desfecho desse que deve ser o meu artigo mais longo: se algum dia a criatividade e vontade de postar de nós, autores do NSN, acabar e nossas visitas começarem a cair, vamos apelar para o Ctrl+C / Ctrl+V de outros blogs de qualidade, ou sairmos copiando os Kibeloucos da vida (e acusar o público do Bobagento ou do Treta ainda por cima)? Não! Vamos culpar a nós mesmos por isso. Até porque o que fazemos hoje nos dá prazer, ao contrário do que seria fazer um blog de humor por exemplo (não se engane, Eu gosto de alguns blogs de humor, mas não tenho o dom da coisa).

Se a Konami (insira no lugar dela qualquer produtora que hoje você considera top de linha) está afrouxando seus games, independente do time que está por trás do desenvolvimento de Silent Hill: Shattered Memories, é porque eles não são bons no que fazem e não merecem o público que tem. E isso independe de público de outros videogames, seja ele de empregadas, vovôs do Asilo Santa Maria, ou melequentos que saem da creche para chacoalhar o seu Wii Remote.

Outra: o próprio BruNêra, que entrou nessa onda de mimimi sem fim pelo novo Sillent Hill, disse que jogará o game, mesmo com todo esse falatório de antemão. Se vai jogar, por que não esperar antes de dar opiniões concretas acerca dele? Vai saber…

 

miyamoto_wii

Shigeru Miyamoto – o maior mestre que os games já conheceram…

Finalmente… o Wii é uma quebra de paradigmas com pouco mais de dois anos de vida. Creio que é muito cedo para chorar avaliar que tipo de público ele vai trazer em definitivo para a indústria. Os games para ele começam a melhorar também. É um No More Heroes aqui, um Mad World ali, que, é verdade, ainda não vendem horrores e não saem aos borbotões, mas vendem bem mais que os jogos ditos hardcore que saíram logo no lançamento do console (como Red Steel), mostrando pequenas mudanças na cabeça do público. Não se preocupem, mais e mais lançamentos hardcore para Wii chegarão (como The Conduit, da Sega e Dead Space, da EA, são os dois próximos), e eles venderão cada vez mais, pode apostar. Isso acontecerá principalmente pelo fato das produtoras estarem ainda aprendendo como se programa para Wii, afinal ele é uma máquina inteiramente nova.

O mesmo está acontecendo com o Nintendo DS, como bem disse o nosso leitor Mumu, nesse comentário AQUI. No início, apenas os games da Nintendo conseguiam usar bem as funções das duas telas (e fazer os casuais comprarem alguma coisa). Hoje, cinco anos e 100 milhões de unidades depois, o DS recebe uma gama de games melhores (os medonhos ainda estão por lá). E um detalhe importante é que as produtoras terceirizadas parecem que estão conseguindo acertar a mão, e usar melhor as famigeradas duas telas do console.

E o PSP, que a Sony proclamou como a máquina portátil definitiva? A cada dia ele recebe menos games, sendo a maioria ports de jogos de PS2 (na verdade isso ocorre desde o início). Nem mesmo a Sony faz jogos originais para ele, ao contrário do DS por parte da Nintendo.

O fato é que parece que somente a Nintendo dita as regras do mercado e sofre com o ódio contra os pioneiros (quer que Eu faça uma lista com tudo que ela inovou com o passar dos anos, ou você consegue puxar pela memória?) por um motivo: ela faz hardware, mas tem os melhores estúdios de games também (Sony tem God of War, Little Big Planet e Gran Turismo. A Microsoft tem Gears of Wars, Project Gotham Racing e Forza Motorsport. Bons jogos, mas poucos dessa lista entrarão para a história) podendo estudar com calma cada passo que vai dar sem depender imediatamente de produtoras terceirizadas para o sucesso de suas máquinas.

Resumindo: após o estágio inicial que controles com sensores de movimentos estão tendo agora, as outras empresas (leia-se: Sony e Microsoft) lançarão os seus, já que existirão produtoras treinadas com a tecnologia. Isso até a Nintendo se reinventar de novo… e todo o ciclo de nova captação de novos gamers se inicie novamente, o mimimi recomece e Eu faça um post desse de novo.

 

Veredito? A Nintendo não está destruindo o mercado de games, o está salvando mais uma vez!

114 Comentaram...

Max, O Observador disse...

Kra, vamos por partes:
antes de mais nada, vou começar a falar uma coisa, eu sou totalmente neutro em relação à indústria de games, por isso vou procurar ser o mais técnico possível a longo e médio prazo baseado em análise pessoal sobre o hardware das 3 plataformas e chegar a uma crítica.

o nintendo wii admito que me surpreendeu na época, mas convenhamos, ñ é um video-game feito para jogos prolongados, já que como ele exige atividade física intensa ( leia-se mexer os controles feito um louco), ele cansa, e dificilmente este recurso será muito explorado pelos programadores, pq um jogo que cansa tanto física e mentalmente dificilmente irá atrair jogadores. Outro defeito do wii é o seu hardware, das 3 plataformas o wii é o q tem o seu hardware mais limitado, como o fato de não possuir capacidade de alta definição, ñ possuir um sistema de acesso à internet integral. o wii logo chegará na sua capacidade máxima de processamento, ou seja, ele ñ é um produto de vida longa. Eu realmente concordo que isso é uma revolução, e eu ADORO jogar o de boxe na casa de um amigo meu (eu sempre ganho!!!)

o XBOX 360 tem uma certa vantagem em relação ao wii e o ps3: ele é o mais fácil de se programar, utilizando o padrão XNA, ele se torna BEM mais simples de se trabalhar com várias APIs (códigos prontos de programação, basta encaixar onde for necessário!), isso o torna um dos consoles com maiores qtes de título atualmente, sendo que o forte do xbox é a parte online, onde se concentra boa parte da renda da microsoft. Mas, como diria um prof. meu, ñ existe almoço grátis, a rede é paga, e com todo bom produto microsoft, tem muitos problemas de hardware (super aquecimento, luzes vermelhas, CIs (circuitos integrados, aqueles bagulhinhos pretos que tem nas placas de computador...) que queimam relativamente fácil), o forte combate à pirataria que volta e meia tira muita gente da rede online, etc.

o PS3 de todos, ao meu ver, possui o melhor Hardware, com 8 núcleos de processamento diferente (um computador quadcore tem 4...), mas o seu maior problema é: ELE É UM PÉ NO S*** DE SE PROGRAMAR!! para aumentar o desempenho, eles retiraram boa parte das API's, e tb utilizaram muito soft open source, mas mesmo assim o jog que vai utilizar a maior qte de núcleos que eu saiba vai utilizar 5 deles (62,5%)é o FFXIII, que tem uns gráficos excelentes... É certo que o xBox tem melhor PERFORMANCE, mas o maior problema do PS3 foi o seu público alvo. Ele quis se vender como uma ferrari dos consoles, como se fosse um artigo de luxo, por isso o preço alto dele ferrou todas as perpectivas de vendas, foi muita prepotência da sony isso...
mas tem uma coisa muito importante que os jogadores se esquecem: dificilmente alguém conseguirá usar os jogos com uma boa qualidade se eles estiverem usando uma televisão que ñ seja de alta definição. é como vc ter uma ferrari e nadar numa estrada de lama e esburacada... ñ adianta em nada...

Anônimo disse...

Cara!! Lindo teu post! É bom saber que nem todos aí na redação acham que o blog tem um público que é obrigado a comer merda!

Ass. Doctor

Fernando Aureliano disse...

Parabens!! Essa é a materia mais INTELIGENTE, mais sóbria, e mais imparcial sobre gammers que ja li em toda a minha vida!! E não aquela materia imbecil e preconceituosa que o BruNêra fez. Me senti muito ofendido por ele. O Wii tem jogos tão bons como qualquer outro console, tendo em vista que muitas vezes, os jogos são lançados para os três. Sem contar que a Nintendo tem as melhores franquias Ever!! A partir de agora, vc é o meu redator preferir desse blog!! Meus parabens, botou pra foder!!

Anônimo disse...

Putz tanta coisa por causa de^um vidoegame ..fiquem de olho é no filme Moon q ta pra chegar q promete! e n tem um referencia aki. Quero ver ^^

Aurelio disse...

Texto muito bom!
Enquanto isso eu jogo super mario world no meu velho game boy color rsrsrs
E me divirto jogando tourist trophy no PS2 tentando baixar meus tempos com uma CBR 1000rr fuçada no circuito de nurburg ring.
To me lixando pros ultimos lançamentos da indústria.

K.B.L.O disse...

mano vc tava ingatilhado com a resposta na ponta da lingua...
tava so esperando nera dar bobeira e postar a tese dele..

vo falar nada..depois nao rola minha coca cola comum e eu fico na mao....

iago disse...

ouu, puta merda... consegui ler o post inteiro!!!

mas aee, nunca vão aparecer algumas séries q se comparem com as do nintendo... mário, zelda, metroid e outros são clássicos, q eu jogo desde q comprei um super nintendo quando eu era pequenininho... e acho q nunca vou deixar de jogar...

eu quero testar o Wii, só q com a grana q eu tenho não consegui comprar nenhum dos novos videogames ainda... mas é, pelo menos, diferente essa proposta da nintendo com o Wii

Bruno disse...

"Mas, será que dá para culpar a proposta da Nintendo (e o sucesso dela) em atrair mais gente para o imensamente lucrativo mercado de videogames pelos games porcos, com qualidade duvidosa que estão saindo"

Na época do reinado do Super Nintendo, não havia tantos games porcos assim. Você mesmo citou Battletoads, que na época do Super Nintendo ele era um jogo casual, que se podia pegar, jogar uma tarde e parar, mas já tinha sua dificuldade insana. O problema é que os jogos casuais do Wii não têm dificuldade insana. Pelo que o Brunêra falou de Wii Music, nele nem tem como perder. Que graça tem um videogame que me deixa ganhar sempre, não importando quão bom ou ruim eu seja?

"ou mesmo pela suposta queda de qualidade (dita por gente que nem jogou o game ainda) do novo jogo da série Sillent Hill?"

EU pelo menos não falei em queda de qualidade. Falei em inquietação pelo novo jogo romper categoricamente com o que já havia sido consolidado. Como alguém que eu não me lembro
quem disse nos comentários do post do Brunêra, a franquia Devil May Cry surgiu ao tentar levar Resident Evil para novos territórios, aí viram que o jogo que surgiu não era Resident Evil, e criaram uma nova franquia pra ele. Se por acaso lançassem um Zelda sem batalhas, possivelmente o Filipêra não se importaria, mas com certeza teriam fãs diehard (e diehard não é o mesmo que hardcore) que se incomodariam ao ver algo tão
diferente dos anteriores.

"A idéia da Nintendo – uma empresa de visão, que praticamente tornou os videogames populares e criou o modelo de negócio do mercado,
vigente até o momento"

Só porque o modelo de negócio do mercado da Nintendo está vigente até o momento, não quer dizer que vá estar vigente amanhã. Pode surgir
outro modelo, da Sony ou da MS (o que é improvável) como de outra empresa que poderia estar surgindo agora, jovem e cheia de energia (o que é bastante provável - se o modelo da Nintendo vier a ser desbancado por outra empresa, muito provavelmente será uma empresa bem nova). Existe um excelente documentário curta-metragem chamado "A questão dos paradigmas" que fala sobre isso.

"O Xbox 360, assim como seu predecessor, obtém sucesso, mesmo não estando na primeira colocação, e é o videogame mais interessante para compra para quem não gostou da proposta do Wii."

Opinião pessoal. A minha: entre XBOX 360 e PS3, fico com o PS3. Microsoft não merece confiança, perguntem ao Voz do Além.

"Agora BruNêra, me responda uma coisa: se Eu te chamasse de público acéfalo de quadrinhos, risse na sua cara porque você lia coisas de Todd McFarlane e achava Spawn a melhor coisa que a nona arte podia proporcionar (e achava o Justiceiro melhor que o Batman, discutindo comigo acercado assunto) e jamais te emprestasse as HQ’s que tenho?"

O PS3 e o XBOX 360 (que é mais barato) estão lá pra quem quiser comprar, não são como o exemplo que você deu de não emprestar as HQ's.

"Ou eles desistiram do ramo dos videogames após jogarem PS2 até os dedos saírem correndo, ou estão comprando Wii, o videogame de velhas reumáticas (ironia estratosférica aqui)."

Já pensou na possibilidade de boa parte dos donos de PS2 ter continuado com ele e não ter
comprado nenhum console da nova geração (geralmente por condiçoes financeiras)?

"Se balançar o Wii Remote não é original, apertar botões loucamente em um joystick - coisa que os gamers fazem desde o NES, lançado há quase 25 anos - é muito menos!"

Você disse que a opinião do Brunêra sobre o Wiimote é que o Wiimote é cansativo. Originalidade não se confunde com potencial de cansaço (gostou do potencial de cansaço? Acabei de inventar o termo :D ). O Brunêra disse que o Wiimote é cansativo, mas ele disse que não é original também? Conte pra nós, Filipêra.

"E Eu joguei Final Fantasy, Chrono Trigger (jogo que a Square jamais conseguiu igualar"

Me pergunto se esse dado sobre Chrono Trigger é mais uma opinião. Sobre RPGs na geração atual, Elder Scrolls IV e Fallout 3, ambos da Bethesda, foram revolucionários, e não foram lançados para Wii.

"No Xbox 360 metade dos games (isso os que reconheci de cara) eram FPS ou musicais, mostrando uma repetição e saturação de mercado. No ranking do PS3 mais nove. Agora olho quantos
desses são sequências. No PS3 eles totalizam 14. No Xbox 360 mais 14. E ainda acusam a Nintendo de não se renovar"

Muitos tops do Wii também são novos jogos de franquias de longa data. Não tem tantos shooters assim, apesar de ter alguns, e tem 3 Guitar Hero. Acho que nessa parte de continuações a Nintendo não peca como as outras, mas também não é totalmente isenta.

"O fato deles não conseguirem mais agradar seu público é culpa do novo público que está chegando?"

Se fosse anunciado que Silent Hill manteria os combates, estaria tudo bem pros fãs antigos. Aqui, foi o excesso de criatividade e as mudanças radicais e descabidas que desagradaram o público roots. Um exemplo de mudança radical e descabida que você mesmo citou seria se lançassem Zelda sem exploração.

"Se a Konami (insira no lugar dela qualquer produtora que hoje você considera top de linha) está afrouxando seus games, independente do time que está por trás do desenvolvimento de Silent Hill: Shattered Memories, é porque eles
não são bons no que fazem e não merecem o público que tem. E isso independe de público de outros videogames, seja ele de empregadas, vovôs do Asilo Santa Maria, ou melequentos que saem da creche para chacoalhar o seu Wii Remote."

O que você me diz sobre as baixas vendas de Madworld? Lembrando que futuro é futuro, e o que já aconteceu, já aconteceu. A Sega não
afrouxou, e teve que abaixar o preço de Madworld. E se os que tinham PS2 migraram pro Wii, porque é que Madworld não vendeu bem, hein?

"É um No More Heroes aqui, um Mad World ali, que, é verdade, ainda não vendem horrores e não saem aos borbotões"

Mais uma vez, pergunto: Se tem tanta gente no Wii que veio do PS2, por que Madworld e No More Heroes não vendem aos borbotões?

"E o PSP, que a Sony proclamou como a máquina portátil definitiva?"

Se a própria empresa não puxar a sardinha pro lado dela, quem é que vai puxar? Isso vale em qualquer ramo, não só em videogame. Não culpem a Sony por tentar alavancar suas vendas.

"Bons jogos, mas poucos dessa lista entrarão para a história"

Opinião pessoal. Respeito, mas ainda é opinião pessoal. Sem falar que eu posso afirmar que todos esses jogos entrarão pra história, e nenhuma das duas opiniões seria capaz de
derrubar a outra de imediato, só com o tempo. Gran Turismo, por exemplo, data do PS1.

"Veredito? A Nintendo não está destruindo o mercado de games, o está salvando mais uma vez!"

Na época do NES, concordo que a Nintendo salvou a indústria de videogames, pois ela estava correndo risco de desaparecer. Hoje em dia, não vejo as coisas assim. Se o Wii não existisse, o XBOX 360, PS3 e DS com certeza iriam conseguir
perpetuar a indústria dos videogames (com um certo risco de repetição, mas risco de repetição não é o mesmo que risco de extinção). Hoje a indústria de videogames não corre risco de morrer. O Wii injetou uma dose cavalar de originalidade? Sim. O Wii salvou a indústria dos videogames? Não, pois à época de seu lançamento a indústria dos videogames estava
muito bem, ela não precisava ser salva simplesmente porque não estava em perigo.



Pra finalizar algumas considerações: Não, es sei que vai ter gente que não vai deixar barato eu ter postado esse comentário. Isso não vai acabar aqui, alguém vai dar continuidade. Aliás eu já vi ali em cima alguns comentários de gente que não aceita que se fale mal da Nintendo. Deprimente. Mas como tudo é contra-argumentável (mais uma que invento hoje :D ), eu não quis perder essa chance de ver como andam minhas habilidades de argumentação (pois é um senhor texto, muito mais difícil de encontrar brechas que nos comentários do post do Brunêra), e se o post do Filipêra é contra-argumentável, então meu comentário também é. Parabéns, Filipêra, por ter feito um post de tanta qualidade. Mas ainda discordo de muitos pontos. Essa discussão sobre videogames nunca vai chegar ao fim , e pra dar minha opinião final sobre o assunto, deixo uma frase do personagem Roland de Valkyrie Profile, um RPG, que superou Chrono Trigger, de PS1, da Enix (quando Enix e Square ainda eram separadas):

"You think it's foolish, brother, because you're content with what you have."

42 disse...

Muuuuuito bom esse post, cara! Acho atéque vou ler denovo. É muita informação boa, realmente muito bom!

Nunca tive nada contra o Wii, mas você fez ele ganhar alguns pontos a mais comigo. Sempre gostei da Nintendo, e acho que esse post foi muito bem feito, valeu Felipêra \,,/

Anônimo disse...

Poxa tu owno seu coleguinha viu.
Será que o BruNêra tá passando gelinho na mão agora.
Como minha vó sempre dizia, a INVEJA È UMA MERDA.

williamborg3 disse...

BRUTULLITY, FLOWES VICTORY, NINTENDO WINS....
Só essa frase já mata a pau todo o texto "A Nintendo não está destruindo o mercado de games, o está salvando mais uma vez!"
Desculpa copy, quero dizer sony, no dia que você fizer uso da propia tecnologia e não depender das firsts para jogos, e carregar as empresas nas costas vendendo games igual a Nintendo você ganha minha confiança.

williamborg3 disse...

Putz. Esse blog de merda comeu um texto que fiz para o Bruno alí de cima.
Ahhhh que merda ¬¬

Mas o basico que ia falar era:
Dragon quest owna Valkyrie Profile = FATO MAIS QUE COMPROVADO
Os melhores jogos do mundo foram da Nintendo (Não é questão de opinião é fato puro) e
Nintendo wii continua tendo otimos jogos de sua franquia.
E citei tambem que os unicos jogos que Edge a revista mais rigorosa em criticas deu nota 10 foram Halo3 e Mario Galaxy.(Cade o grill3 aqui ?)
E tambem citei que ele fica classificando hardcore, como se ele fosse alguem pra isso. Ele pode classifica os jogos da Nintendo como Casuais, e eu classifico a maioria dos jogos do playstation Cinepipoca (Incluindo o grande orgulha dela o MSG4)

Claro que eu falei mais bonitinho, mas resumindo foi isso que eu disse.

williamborg3 disse...

E antes que alguem pergunte...
Sim eu já joguei MSG4, e gostei do enredo, graficos e tudo mas eu queria jogar um jogo não um filme.

Cynthia disse...

concordo com vc, cara. sempre q surge alguma coisa nova, os "puristas" reclamam, falam q quem conheceu certo jogo agora, é poser, é casual, etc. a nintendo realmente salvou o mercado dos games, pois descobriu um mercado de pessoas q n dedicam suas vidas a explodir cabeças de zumbis, e ela vai continuar evoluindo para acompanhar as pessoas q realmente gostam d games.

Anônimo disse...

ok, agora escreva um lixo ¬¬

FiliPêra disse...

Bruno, Vamos lá (depois os outros)...

Não vou escrever outro livro, mas pelo vistou vou falar bastante respondendo as suas questões... E pode ter certeza que respeito sua opinião, afinal o Wii não é unanimidade.


"Na época do reinado do Super Nintendo, não havia tantos games porcos assim. Você mesmo citou Battletoads, que na época do Super Nintendo ele era um jogo casual, que se podia pegar, jogar uma tarde e parar, mas já tinha sua dificuldade insana. O problema é que os jogos casuais do Wii não têm dificuldade insana. Pelo que o Brunêra falou de Wii Music, nele nem tem como perder. Que graça tem um videogame que me deixa ganhar sempre, não importando quão bom ou ruim eu seja?"


Sim, havia muitos games porcos sim. Eu mesmo comprei várias porcarias inadvertidamente. O lance é que hoje é fácil nós vermos o reinado do Super Nintendo em sua totalidade para sabermos todos os seus games bons. Olhando a coisa de cima assim, é mais fácil lembrarmos somente as coisas boas e não as coisas ruins. E também basear sua opinião a respeito dos games do Wii apenas falando de um é sacanagem. Imagina se Eu falar do Super Nintendo usando como base apenas Mario Paint. Iria achar que era coisa de retardardo...
E sim, no Wii você perde e Wii Music é um game casual extreme (existe?), ou, se você preferir, nem jogo é.


"EU pelo menos não falei em queda de qualidade. Falei em inquietação pelo novo jogo romper categoricamente com o que já havia sido consolidado. Como alguém que eu não me lembro
quem disse nos comentários do post do Brunêra, a franquia Devil May Cry surgiu ao tentar levar Resident Evil para novos territórios, aí viram que o jogo que surgiu não era Resident Evil, e criaram uma nova franquia pra ele. Se por acaso lançassem um Zelda sem batalhas, possivelmente o Filipêra não se importaria, mas com certeza teriam fãs diehard (e diehard não é o mesmo que hardcore) que se incomodariam ao ver algo tão
diferente dos anteriores."


Bom, você realmente não disse como bem observei pelos comentários. O meu recado era direcionado ao BruNêra e seu infindável choro. O próprio Zelda já sofreu coisa semelhante, com Wind Waker e seu visual em cel-shading (que lançou uma onda de jogos cel-shading que dura até hoje, vide o novo Prince of Persia). Games precisam ser jogados. Traçar opiniões que fogem da reflexão e partem para algo definitivo (ele AFIRMOU que o jogo ficaria uma merda) como foi o caso do BruNêra é idiota e nem merece resposta. E pior: ele disse que o Wii vai destruir as melhores franquias dos games. Faça-me o favor, nem vou responder isso!


"Só porque o modelo de negócio do mercado da Nintendo está vigente até o momento, não quer dizer que vá estar vigente amanhã. Pode surgir outro modelo, da Sony ou da MS (o que é improvável) como de outra empresa que poderia estar surgindo agora, jovem e cheia de energia (o que é bastante provável - se o modelo da Nintendo vier a ser desbancado por outra empresa, muito provavelmente será uma empresa bem nova). Existe um excelente documentário curta-metragem chamado "A questão dos paradigmas" que fala sobre isso."

Nada a responder aqui. Ele está vigente até o momento, como bem disse. Mas sua observação foi interessante, pois faz notar que o mercado está estagnado, ao menos no modelo de negócios. Realmente é bastante difícil que a Sony e a Microsft (empresas acomodadas DEMAIS) mudem o modo como o mercado se comporta hoje. Mas também é muito difícil lançar um console no mercado, então espere esse modelo por algum tempo ainda.


"Opinião pessoal. A minha: entre XBOX 360 e PS3, fico com o PS3. Microsoft não merece confiança, perguntem ao Voz do Além."

Perfeito... é uma opinião pessoal. Cada um escolhe o videogame que mais lhe aprouver, mas se for o problema das luzes vermelhas, ele já está superado. Creio que o custo-benefício do 360 é melhor que os outros. O PS3 cobra demais por coisas ainda pouco usadas, como o Blu-Ray e o seu processador. Olhe para os games de Xbox 360 e PS3 e me diga a diferença gráfica. Pouca. É difícil uma empresa se empenhar ao máximo para fazer algo que dará pouco retorno (a base instalado do PS3 é a menor, lembra-se). Fora que a linha de títulos exclusivos do PS3 também não é maior que a o 360, que está bastante equilibrada.


"O PS3 e o XBOX 360 (que é mais barato) estão lá pra quem quiser comprar, não são como o exemplo que você deu de não emprestar as HQ's."


Errado. As revistas também estavam lá para serem compradas, mas nem por isso ele conhecia (e se Eu não falasse ele não conheceria tão cedo... talvez com as adaptações para o cinema). O exemplo tem relação com o conhecimento que cada um tem do mercado de games. A gente (Eu, você, o BruNêra) conhece os lançamentos porque a gente procura saber. Alguma coisa tem que ser feita para atrair quem não se interessa por games, e não conhece os lançamentos (como o BruNêra não conhecia quadrinhos). Essa coisa se chama Wii (acredite, tem muita gente que acha, graças a jornais idiotas, que videogame forma psicopatas).


"Já pensou na possibilidade de boa parte dos donos de PS2 ter continuado com ele e não ter
comprado nenhum console da nova geração (geralmente por condiçoes financeiras)?"


Pensei nisso também, lógico. Por isso disse que a Sony falhou em aumentar o mercado de videogames horizontalmente. Fazer um console que nem seus fãs possam comprar (os números de vendas de 140 milhões do PS2 são de consoles novos, saídos de lojas) é um erro grotesco. A Nintendo jamais fez isso.


"Você disse que a opinião do Brunêra sobre o Wiimote é que o Wiimote é cansativo. Originalidade não se confunde com potencial de cansaço (gostou do potencial de cansaço? Acabei de inventar o termo :D ). O Brunêra disse que o Wiimote é cansativo, mas ele disse que não é original também? Conte pra nós, Filipêra."


Claro que conto. Aí esta o trecho tirado direto do post dele (é de chorar):

"Agora sobre minha experiência com o Wii, em resumo, uma merda, e olha que joguei uma das franquias ditas hardcores da Nintendo (Zelda Twilight Princess). Cara! Mais casual impossível! Puzzles MUITO fáceis! Inimigos MUITO repetitivos! Uma exploração MUITO excessiva da porcaria do Wiimote! Caras, vocês têm que balançar aquela merda pra qualquer coisa!!! Quer atacar? Balança o Wiimote! Quer pegar um item? Balança o Wiimote! Quer mijar no canteiro? Balança a merda do Wiimote!!! Originalidade ZERO (até porque fica difícil ser original quando seu público não pode nem pensar em ver sangue na tela)."



"Me pergunto se esse dado sobre Chrono Trigger é mais uma opinião. Sobre RPGs na geração atual, Elder Scrolls IV e Fallout 3, ambos da Bethesda, foram revolucionários, e não foram lançados para Wii."

Sim, é mais uma opinião, mas somente sobre jogos da Square (Eu gosto bastante dos da Bethesda, embora ainda não tenha tido o tempo hábil para joga-los completamente no meu PC). Mas não só minha, mas de gente de diversos fóruns de videogame que conheço. Tanto que Chrono acaba de receber um remake. Não vou me delongar nessa parte porque ela não é importante para o assunto (envolve muito gosto, logicamente).


"Muitos tops do Wii também são novos jogos de franquias de longa data. Não tem tantos shooters assim, apesar de ter alguns, e tem 3 Guitar Hero. Acho que nessa parte de continuações a Nintendo não peca como as outras, mas também não é totalmente isenta."


Claro que não é isenta, longe disso. Afinal até dizem que a Nintendo consegue sobreviver só com Mario, Zelda, Pokemon e Metroid. Não duvido. Mas creio que a Nintendo fomenta mais criatividade nos games (o dono da Nintendo tem um fundo especial para financiar projetos de estúdios iniciantes. Me fala quem mais tem isso!), ao contrário das outras produtoras, que preferem ver somente o dinheiro entrar.
E só respondendo a sua afirmação (creio que foi sua) sobre a natureza capitalista da Nintendo... é lógico que ela é uma empresa e o dinheiro é o motivo dela existir. Mas existe uma diferenã gritante entre ser capitalista e só pensar no dinheiro que pode ser ganho com dois passos, e não a longo prazo, formando um público fiel. Se a Nintendo só pensasse realmente em dinheiro, teria virado uma third-party na geração passada, quando o Game Cube patinava nas vendas (mas dava lucros). Eles veriam bilhões levando seus jogos a preços altíssimos para a Microsft ou a Sony (essa Eu realmente duvido). Ou eles fariam um monte de jogos com jogabilidade aberta e mortes aos montes no estilo GTA para faturar também. Mas ela não fez isso, ela continou com sua linha de jogos intacta e sua política.
Eu penso o mesmo da Pixar. Mesmo dentro da Disney, não vejo a Pixar fazendo um Rei Leão 6, ou Alladin 5. Eles se mantém intactos em sua política criativa. Assim como a Nintendo, muitos dos empregados trabalham por prazer (e por dinheiro lógico), com a criatividade ao seu lado.


"Se fosse anunciado que Silent Hill manteria os combates, estaria tudo bem pros fãs antigos. Aqui, foi o excesso de criatividade e as mudanças radicais e descabidas que desagradaram o público roots. Um exemplo de mudança radical e descabida que você mesmo citou seria se lançassem Zelda sem exploração."

Bom, às vezes mudanças são bem vindas, como em Resident Evil (cadê os puzzle, e o survival horror virou matança). Prefiro esperar para ver. E vejam bem: é uma versão para Wii (vai ter para PS2 e PSP porque eles precisam de jogos e por nenhum outro motivo), é um jogo fora da série, assim como uns três Final Fantasy Adventures que lançaram aqui no Ocidente (vai saber se o público japonês ficou de mimimi, fora que a série Final Fantasy se manteve intacta). E duvido que a Nintendo se afaste do seu público, mesmo que estivesse a ponto de sumir do mapa.


"O que você me diz sobre as baixas vendas de Madworld? Lembrando que futuro é futuro, e o que já aconteceu, já aconteceu. A Sega não
afrouxou, e teve que abaixar o preço de Madworld. E se os que tinham PS2 migraram pro Wii, porque é que Madworld não vendeu bem, hein?"

Ao contrário de Silent Hill, o Wii não tem público fiel de nada (só de jogos de exercício), eles ainda estão chegando ao mercado, experimentando os games. Daqui a pouco serão público de alguma coisa, e aí poderemos dizer quem está agradando a quem.


"Mais uma vez, pergunto: Se tem tanta gente no Wii que veio do PS2, por que Madworld e No More Heroes não vendem aos borbotões?"

Quando Eu disse que o público do PS2 veio para o Wii, foi uma das alternativas para o fato dos compradores de PS2 terem sumido. E mesmo se todo ele tivesse vindo, não era garantia desses dois games venderem igual água. O game Killer 7 (do mesmo produtor de No More Heroes) vendeu melhor no Game Cube que no PS2. Esses games são mais projetos artísticos que games mainstream. Mas Eu tenho certeza que aos poucos (repito, estamos falando de um público novo, que pouco conhece os games, além de ser pouco antenado, não consultando publicações de games - serão necessárias publicações especiais para eles - ou outras coisas) esses games venderão mais.


"Se a própria empresa não puxar a sardinha pro lado dela, quem é que vai puxar? Isso vale em qualquer ramo, não só em videogame. Não culpem a Sony por tentar alavancar suas vendas."

Claro, claro, marketing é fundamental. Mas eles, na época, promoteram atropelar o aparelhinho bobo e infantil da Nintendo. E hoje engoliram cada letra do que falaram. Tanto que já estão abandonando o PSP (pode ser indício de um PSP 2).


"Opinião pessoal. Respeito, mas ainda é opinião pessoal. Sem falar que eu posso afirmar que todos esses jogos entrarão pra história, e nenhuma das duas opiniões seria capaz de
derrubar a outra de imediato, só com o tempo. Gran Turismo, por exemplo, data do PS1."

Claro, vai da análise de cada um, mas continuo achando que são poucos ali que terão longevidade com o devido sucesso de agora. Gran Turismo já tem longevidade, e o outro é LittleBigPlanet, um jogo casual em que os próprios usuários fazem as fases. Jogada de mestre (nenhuma ironia, somente admiriação)...



"Na época do NES, concordo que a Nintendo salvou a indústria de videogames, pois ela estava correndo risco de desaparecer. Hoje em dia, não vejo as coisas assim. Se o Wii não existisse, o XBOX 360, PS3 e DS com certeza iriam conseguir perpetuar a indústria dos videogames (com um certo risco de repetição, mas risco de repetição não é o mesmo que risco de extinção). Hoje a indústria de videogames não corre risco de morrer. O Wii injetou uma dose cavalar de originalidade? Sim. O Wii salvou a indústria dos videogames? Não, pois à época de seu lançamento a indústria dos videogames estava muito bem, ela não precisava ser salva simplesmente porque não estava em perigo."


Quando disse de salvação, falo a longo prazo. Que videogame aí tem potencial para atrair novos jogadores e expandir o mercado horizontalmentee não apenas manter os atuais? Creio que é o Wii, não só pelos seus games, mas com sua campanha de marketing direcionada para pessoas que acham que videogames são coisa de criança com nota baixa.
Pode ter certeza, renovar o público é muito importante. Olhe o exemplo dos quadrinhos. Existiam revistas que vendiam 5 milhões de cópias na década passada (Homem-Aranha e X-Men). Hoje, quando passam de 200 mil é mais comemorado que chuva no Saara. Tudo porque eles não estavam nem aí para aumentar o público, enquando nadavam no dinheiro. Hoje colhem o que plantaram.
Creio que o serviço que a Nintendo está prestando (ser uma porta de entrada) é muito importante, não só para o bolso dela como para toda a indústria de games.


________________________

Quanto as suas considerações, não creio que você será xingado ou crucificado (talvez umas respostas afoitas de alguém), afinal você só expôs suas idéias, não ofendendo ninguém, nem mesmo a Nintendo. Os comentários acima foram de gente que estava indignada pelo modo como foi escrito o outro post. Dou razão a eles, desde que não xinguem pessoalmente ninguém. Mesmo assim creio ser possível fazer um debate equilibrado e inteligente com relação ao mercado de games (falo guerra para apimentar a coisa, pois se tivesse o devido dinheiro, compraria um Xbox 360 também, e isso não viria de encontro as minhas idéias quanto ao Wii e a Nintendo).


Espero ter esclarecido meus pontos. E estou devidamente consciente que esse debate é infinito, o que não deixa de torna-lo divertido!

Anônimo disse...

Bem, uma coisa é certa, a nintendo viveria somente com mario, metroid e zelda e muito bem ainda.
Alias foi esses mesmos jogos que salvaram o N64.

carolina disse...

sempre pensei nisso de que na próxima geração de videogames todas as plataformas vão ter controles com sensores de movimento e talz. e que a nintendo não fez nada demais em inovando o que (pelo menos na minha opnião) estava começando a ficar cansativo.

williamborg3 disse...

Acho que a proxima geração os wiimotes virarão 4 controles, cada um em um membro do seu corpo.
Mas acho que ficara meio dificil jogar alguns jogos assim não ?
u.u

Acho que tem certos jogos que tem quer no controle normal, não tem jeito.

Anônimo disse...

para quem gostou do post do filipêra, aconselho ler o texto
a falácia dos jogos casuais, a falácia dos homens pássaros, não lembro direito, do maltrom

o texto trata explicitamente do lance da nintendo trazer os gamers e leva-los maré acima

é um texto filha da p de bom

ah! eu su o anonimo da discussão do outro posto ^_^

Lucas disse...

Ae nao vou entrar no merito da discuçao mas vou passar a somente elogiar pois alem desse post ter sido cheio de referencias, fontes e dados. ele confrontou o do BruNera muito bem mostrando que o blog nao eh feito de uma unica opiniao.

entao tudo que eu tenho a dizer concordando ou nao com esse post eh .. parabens

Anônimo disse...

"os homens pássaros, e a falácia casual"
é o certo ^_^

Anônimo disse...

http://www.scribd.com/doc/8206732/Homenspassaro-e-a-Falacia-Casual-Continue-

Anônimo disse...

Dahora a matéria, pelo menos acho, pena q esse fundo de cú vermelho fode a vista e não tive saco e fundo de garrafa p/ continuar lendo, uma pena =\

Anônimo disse...

Texto perfeito, sem mais.

Anônimo disse...

Para o que williamborg3 falou...
"Os melhores jogos do mundo foram da Nintendo (Não é questão de opinião é fato puro)"
só falo uma coisa:
What???

André Galastri disse...

Este teu post dilacerou, praticamente, qualquer argumento de haters por aí...

Os gamers ditos hardcores por aí não entenderam a proposta do Wii, e o julgam dando pseudo-argumentos invalidos e bizarro! E ainda acham que são privilegiados e mais cultos que os jogadores do Wii!! ISSO sim é atitude a ser acerebrado: sair atacando sem nem conhecer...

Meus parabens mesmo! Forte abraço!

Jeh disse...

Li o post inteiro (ufa! Cansou!) e vc falou tudo o que se podia dizer pra calar a boca desses sonystas chatos. Meu, ouvir um bando de gente dizer que o Wii é ruim pq tem menos gráfico que o PS é o fim da picada.

A Nintendo sempre se reinventa fazendo história com idéias revolucionárias. Os outros só copiam. Sabe pq o PS fez sucesso no Brasil e no mundo? Pq o CD garantia melhores gráficos (e pq, na real, é muito mais fácil e barato piratear um cd do que um cartucho. Por isso o sucesso no Brasil). A Nintendo ESCOLHEU manter os cartuchos para preservar a qualidade de jogo, o tamanho dos jogos e diminuir o tempo de loading, que nos jogos de play 1 são um saco. A Sony vendeu mais, porém todos sabem que o jogo que mais se falava no início desses consoles era o SUPER MARIO 64.

O fracasso do Cube se deve a maioria dos jogos não aproveitarem a capacidade do console. Tanto que até hoje não se sabe a real capacidade do Cube. Então, nem se pode criticar o Wii. Agora que eles começaram a entender o que video game realmente pode fazer o pessoal quer falar mal? Fala sério. Dor de cotovelo total.

Chama um deles pra jogar Wii Sports e vê se eles rejeitam pq não é "hardcore". Duvido!

BruNêra disse...

vamos lá então

primeiro minha definição de casual e hardcore

existem jogos casuais e jogos hardcore, assim como existem jogadores casuais e jogadores hardcore, para começar, passar 25, 50 ou até 75 horas na frente de um jogo não te torna hardcore, afinal conheço pessoas que passam 75 horas na frente de um Guitar Hero e quando pegam um MGS nas mãos não conseguem nem ajustar a câmera, para se torna um jogador hardcore de fato, é necessário muito interesse pelos jogos (muitas vezes ultrapassando esse interesse para além dos games, indo para a internet, fóruns de discussão e até livros sobre determinados jogos), então, só porque você tem que dar 50 pulos para acertar determinada plataforma de Super Mário, isso não quer dizer que você é hardcore, e só porque você zerou Resident Evil uma vez na vida, isso também não te torna hardcore, com isso explicado, vamos as minhas replicas.

Wiimote vs Joystick
Sim, apertar 50 vezes o botão de um joystick não é nada original, mas diferente do wiimote, o joystick não tem a menor pretensão de ser original, ou você acha que apertar 28.000 vezes as teclas do seu teclado uma coisa emocionante, a joystick é um meio para um fim, ele não tem que ser percebido, ele tem uma extinção de suas mãos, o divertimento está na tela da tv (ou do pc), e não na forma como você balança o controle, a mesma coisa já não pode ser dita do wiimote, já que ele não tem a opção de funcionar como um joystick, ELE TEM QUE SER ORIGINAL! caso contrario nenhum dos dois objetivos foram alcançados.

Wii plantando jogadores hardcore.
Não se engane, o Wii não esta plantando jogadores hardcore, ou você É jogador hardcore, ou você NÃO É, ao vai me dizer que se eu não tivesse lhe emprestado TODOS os filme que eu emprestei você não os conheceria hoje? o problema na sua suposição e achar que quem nunca se interessou por games até hoje, de uma hora pra outra vai se interessar, se o que atraiu aquele jogador casual pra os games foi a facilidade de jogar um wii sports, com certeza a dificuldade de um MGS, SH ou FF não lhe agradará, temos exemplos disso aqui no próprio NSN. Na mesma época em que eu as PEDI EMPRESTADO (vejam bem, eu pedi emprestado as revistas do Pêra, ele não teve que me dizer o quanto elas eram fáceis de ler para eu me interessar, eu as pedi porque gosto de me aprofundar nas coisas, essa é uma característica de todo jogador hardcore) para o Pêra as revista, também passei para meu irmão, o Têra, ele leu, gostou, mas parou por ai. Depois disso nunca mais leu nada de quadrinhos. A mesma coisa com seu irmão mais velho que mesmo depois de zerar Donkey Kong, nunca mais se interessou por jogos, minha mãe zerou junto comigo um jogo de puzzle chamado Roll Away, depois disso nunca mais jogou nada, acho que todos que estão lendo isso tem exemplos semelhantes, então não dê méritos ou Wii que ele não tem, os games estão ai a anos, novos gamers vem se juntando a comunidade gamer mesmo nos anos dourados do PS1 e mais recentemente no ps2 quando jogos TÃO casuais como os do Wii ainda não eram difundidos, ou nem mesmo existiam.

Wii o público casual e o Orkut
Sinceramente, quantos usuários de Orkut você conhece que saíram daquele amontoado de idiotices e foram navegar pela web em busca de conteúdo? estou falando de pessoas que entraram no mundo digital via Orkut e que hoje fazem parte de qualquer coisa que forneça cultura na internet, quantos? exemplos do inverso eu tenho muitos, nós mesmo somos um, nossa comunidade sempre ficou largada as moscas com menos de 100 membros, até o dia em que a Aninha me deu uma ótima idéia para usar de forma inteligente aquela ferramenta, dai nasceu as Enquetes da Semana, percebeu a diferença? ótimos sites e blogs tem comunidades no Orkut, mas definitivamente elas não começaram nele, então não espere que do meio daquele amontoado de casuais (com suas exceções é claro) que é a base instalada do wii hoje, saiam muitos jogadores hardcore, porque o histórico diz o contrario.

Spawn
O que aconteceria se você nunca me emprestasse Sin City? simples, de uma forma ou de outra eu acabaria conhecendo, mais cedo ou mais tarde eu me interessaria mais por HQs, da mesma forma que se eu não lhe apresentasse todos os filmes que apresentei durante a época em que tive locadora, você acabaria os conhecendo mais cedo ou mais tarde, isso é natura pra quem se aprofunda nas coisas, seja GAMES, FILMES, LIVROS ou HQs, na vida, alguns são hardcore, alguns são casuais, e é assim que a coisa acontece. Alguns passam a vida assistindo blockbuster sem nunca se aprofundar no mundo do cinema, mas quem realmente se interessa pelas coisas a seu redor, fatalmente irá se transformar em “hardcore” sem precisar de ninguém pra lhe pegar no colo. E só pra constar, Spawn não era o maior hit da época, acompanhei a série desde seu começo, colecionei durante anos até ter de para por questões financeiras, como você mesmo sabe, nunca gostei de coisas muito mainstream.

bom, por hoje é isso, amanhã escrevo mais alguma coisa, já que o Pêra ficou tão nervosinho com meu post que resolveu escrever a bíblia nintendista no NSN (“você vai ver! são 28.000 caracteres! você vai ver!” rsrsrsrs…) vou ter que ir por partes.

PS: Fernando Aureliano, onde você leu que meu post tinha a intenção de ser imparcial?

williamborg3 disse...

"Os melhores jogos do mundo foram da Nintendo (Não é questão de opinião é fato puro)"
só falo uma coisa:
What???

Não ?
Então faz o seguinte, qualquer revista que seja, procure um top 10 dos melhores jogos do mundo, se no minimo não tiver 3 ou 4 jogos da nintendo, eu vo aí na sua casa e quebro wii na sua cabeça. Que tal ?

Anônimo disse...

Sai daí BruNêra, tu já perdeu toda moral que tu tinha. Ainda foi zuado pelo seu amigo, Não consegue passar de Zelda T.P o jogo mais facil da serie, e se acha o "hardcore".
Você é Epic Fail.
Saia de fininho enquanto você tem um pouco de moral com seu amigo.

BruNêra disse...

Anônimo

Veja bem, se eu tivesse AGUENTADO jogar mais que 8 horas de Zelda, te garanto que o teria zerado em menos de uma semana, mas foi impossível perder mais de 8 horas jogando aquilo.

Quanto a zuação do filiPêra, é difícil levar em consideração uma critica dele em relação a forma como jogo, quando ele simplesmente NÂO conseguiu zerar MGS3 sem que eu tivesse que ficar do seu lado dizendo o que ele deveria fazer a seguir, e mesmo assim ele não zerou até hoje.
mas a discussão aqui é outra.

PS: não responderei mais a anônimos, quem quiser que participe da discussão e dê sua opinião,mas , "gozar com o pau do outro" é uma coisa muito feia de ser fazer ok.

André Galastri disse...

Cara, voce só tá se repetindo e seus argumentos não convencem, me desculpe...

Ninguem nasce hardcore! Não tem essa... É questão de pegar gosto, de conviver com aquilo...

Tu não tá com razão nenhuma em denegrir um ser humano por gostar de jogar um jogo casual! Faz parte do aprendizado! Ou voce acha que os grandes guitarristas do mundo pegaram uma guitarra e já sairam tocando com os dentes? Se toca!

André Galastri disse...

Outra coisa, voce tá tentando se impor como "O cara"... Teu amigo fez uma base argumentativa poderosa e ele não se colocou como "superior" ao te "ensinar" bons quadrinhos... Ele se colocou como sendo um mero meio de atalho pra voce conhecer coisas boas e usou isso a exemplo do que o Wii ta fazendo com o publico que nunca jogou video-game... Diferentemente de voce, em seu alter-ego aguçado tentando mostrar que teu e-penis é maior que o de todo mundo! Isso é coisa de quem nao se garante na base argumentativa...

Tá ficando cada vez mais feio pra ti... Não tenho preconceito nenhum pra nenhum console, e a grande maioria dos que tem o Wii não desrespeitam os outros consoles e franquias, mesmo que prefiram o Wii... Tu precisa amadurecer e MUITO o que voce chama de "opinião"...

Kigai_Player disse...

Primeiro quero parabenizar o autor deste texto. Ficou muito bem explicado e escrito.

Segundo, gostaria de comentar algo que venho percebendo ao longo desses dois anos e pouco de Wii: Nintendistas sao pessoas sem cerebro ou gays! Ou é assim que muitos gamers hardcore incapazes de lidar com o Wii (leia-se haters), nos chamam (sim, sou Nintendista), mas em contraparte, nos presenteiam com resenhas em blogs e posts em foruns e Orkut, com excesso de palavroes, hater, falta de ética e de fatos, e principalmente de conteúdo.
Enquanto as respostas para as mesmas sao complexas e contém conteudo alem do necessario, derrubando o argumento do nosso amigo hater, que mais tarde volta para terminar tudo com um "foda-se", e assim é em 80% dos casos.

Visitei um blog um dia desses onde existia um texto para "avaliar" o Wii, e acabou sendo alvo de mais de 3 meses de criticas. No mesmo, cometia-se erros vistos no do BruNêra, como "Zelda TP foi afetado pela casualidade", quando o jogo estava sendo feito desde 3 anos antes do Wii, e mais, foi projetado para o Game Cube, e posteriormente portado para o Wii, sem mudança alguma no jogo, alem dos controles diferenciados na nova plataforma.
BruNêra citou a "inclusão-digital" e o Orkut, como uma porta aberta para a besteirada de pessoas que nao sabem o que falam", mas esqueceu de dizer sobre as pessoas, que com um computador e uma conexão à internet, postam textos criticos totalmente imparciais e de realidade distorcida, para dar ênfase ao (simplório) argumento. Exemplos?... afinal o jogo Mad World (sangue, tripas, violência e um visual MUITO irado) simplesmente não fez sucesso."
A propria Sega anunciou que tanto House of the Dead Overkill, quanto Madworld estao muito bem obrigado, que é perfeitamente possivel continuações.
"...com Dead Space (pelo amor de deus, RTS (sic) é coisa de descoordenado!)"
Rts é Real Time Strategy, como Warcraft e Age of Empires. O que voce tentou dizer seria On-Rail. Alem disso, era perfeitamente possivel um Dead Space com jogabilidade parecida a versao HD, mas com downgrades graficos para adaptação ao hardware do Wii. Lembre-se que o mesmo estava sendo projetado para o Xbox original, com potencia 4 vezes menor ao Wii. A decisão de mudar foi da propria EA, e tanto Nintendo, quanto o publico casual nao tem nenhuma culpa nisso, já que os "incéfalos casuais" nao gostam de sangue e tensão, coisa que mesmo "em trilhos", nao vai faltar ao Dead Space Extraction. Mas tudo bem se no começo do texto você colocar um "texto imparcial", e quando comecar a ser criticado terminar tudo com um "aquele texto é só zuera, não é pra levar a sério".
Quanto ao Silent Hill: pela primeira vez na serie, será preciso usar algo alem de armas: o cérebro! Coisa que de acordo com nosso amigo, quem joga Wii nao possuo. Logo, não entendo a decisão da Climax (de Silent Hill Origins, que por acaso é melhor que Homecoming mesmo em HD;ela esta desenvolvendo o jogo, nao Konami), de mudar isso. Alem disso, sempre odiei os combates em SH, e fiquei estusiasmado com a ideia de pensar em uma forma de fugir de monstros com "inteligência" apurada(imagina a tensão disso!). O que para mim, caracteriza muito mais um "Survival" Horror, do que dar tiros a torto e a direito, como o rumo que Resident Evil tomou, e que Silent Hill estava seguindo com Homecoming.
Quanto a Zelda ser casual: não vou falar nada, nao merece mais bits na internet para comentar isso.
Quanto a RE4: a versão do Wii é com certeza a definitiva: graficos da versão do GC/PC, extras da versão do PS2, e jogabilidade totalmente nova e empolgante!
Alem de ter vendido muito bem, mostrando que jogos hardcores realmente bons sao capazes de vender no Wii.
Outra, a Capcom nao foi influenciada pela casualidade do Wii, até porque, as principais series dela no Wii sao hardcore: Zack and Wiki(exclusivo), RE4 Wii Edition, Capcom vs Tsunoko (exclusivo) e Monster Hunter (também exclusivo, e antes idealizado para o PS3).

Nao estou dizendo que o Wii nao tem defeitos, lógico que tem, e muito. Mas o PS2 tambem tinha, assim como o 360 tem. Mas todos ficavam cegos com o nome(caso do Playstation) ou com poligonos(caso do 360) e relevaram completamente seus defeitos. E isso tornou os mesmo em consoles melhores, com titulos melhores, mas perderam muita coisa fora com o Game Cube ou o Xbox original!
Os jogadores de Playstation amargavam consoles fracos perante aos seus concorrentes, mas isso nunca pareceu um problema. Hoje em dia, para eles o Wii é lixo porque tem graficos simplorios.
Os jogadores hardcore são tão fieis, que o PS3 não é nem a margem do PS2, alem disso, 90% os caixistas de hoje, são de Sonystas de ontem.
Acredito que o Wii só vai começar a ser respeitado mais pelas produtoras agora, e tem titulos muito bons para vir pro Wii: Final Fantasy Cristal Chronicles The Cristal Bearers, Silent Hill Shatered Memories, Monster Hunter 3, Dragon Quest X, Tales of Graces.
Assim como temos varios jogos ruins: Hannah Montana, Chiquititas e por ai vai.Basta cada um saber decidir certo qual jogo comprar, porque se fossemos comprar qualquer jogo do console, e pesar no final de tudo, todos os consoles teriam jogos ruins, uns mais que o outro, mas teriamos gasto dinheiro com porcaria do mesmo jeito.

BruNêra disse...

André Galastri

Acho que não me fiz entender nesse ultimo comentário, não quis dizer que quem é casual é ruim ou quem é hardcore é bom, só quis dizer que dificilmente quem é casual (por se tratar de uma forma de jogar mais simples e sem a necessidade de tanto comprometimento) terá paciência de jogar algo hardcore, e quem é hardcore, dificilmente irá ter paciência de jogar algo casual por faltar um background apropriado para imersão, não me importo se os casuais são casuais ou se os hardcore são hardcore, tanto que o maior ponto de meu post anterior foram as modificações que fizeram em silent hill (assumo que sou extremamente fanboy dessa serie em especial), mas em relação aos jogadores casuais em si, não me importo, tanto que mesmo tendo essa opinião a muito tempo, só fui expressa-la no NSN quando vi a noticia sobre SH.

e não, eu não quis dizer que sou fodão nem nada do tipo, só quis expor que mesmo se ele não tivesse me apresentado os ditas revistas, eu acabaria as conhecendo de qualquer forma, assim como ele também acabaria conhecendo os filmes que apresentei para ele , porque no que se trata de cultura nerd, nos dois somos hardcore.

Anônimo disse...

eu continuo dizendo, leiam a "os homens pássaros e a falácia casual"

não brunera, o principal pecado com relação ao comentário anterior é presumir que a nova proposta do SH vai estragar o jogo, mesmo que o jogo tenha agradado os criticos, e, além de presumir que o jogo vai ficar ruim, relaciona isso com os jogadores casuais
masinfim.....

leiam o texto é longo, mas é bacana

Anônimo disse...

Só pra lembrar que:

- Vale a pena citar o Neil Gaiman também
- A Vertigo é uma subdivisão da DC
- Zelda rules!

André Galastri disse...

Tem mta gente que não joga video game exatamente por ter aquela visão de que "video game é coisa de nerd"...

O que voce não quer aceitar (eu disse aceitar, pois entender voce ja entendeu) é que esse povo precisa de um primeiro passo pra se sentir a vontade com um video game em casa! A idéia e a base que o Wii tenta apresentar, ao meu ver, é a de que "video game é pra QUALQUER UM"...

O cara que joga Wii Sports hoje e gosta da experiencia virtual, TENHA CERTEZA, depois de um tempo, vai querer se aprofundar mais ainda, em outros jogos mais elaborados e, aos poucos, pegando mais e mais gosto por aquilo que é profundo! Talvez ele até queira comprar um XBOX360 pra jogar jogos ainda mais profundos, como RPGs e etc! É inerente ao ser humano... É o que qualquer ser humano saudável faz, e é justamente o que aconteceu com voce pra vc ter o seu gosto por jogos, tenha certeza!

André Galastri disse...

Ah, e no novo Silent Hill, se não me engano, não é que voce viva fugindo, correndo loucamente... Parece que voce vai poder preparar emboscadas, armadilhas usando fogo e etc pra afugentar e matar os monstros...

E outra, na boa, é MTO mais casual colocar armas e munição pra voce matar tudo o que se mexe no jogo, do que voce ter que fugir dos inimigos.. Covenhamos, né? xD

BruNêra disse...

Kigai_Player e André Galastri

Tenho que concordar com vocês em alguns pontos, realmente fiz aquele post ainda no calor da noticia do Silent Hill e não pesquisei direito sobre varias questões que levantei (algumas delas inclusive você apontou agora no seu comentário), mas infelizmente, mesmo que algumas coisas do que eu disse estivessem erradas, isso não muda o fato de Silent Hill estar sendo adaptado para o wii, e essa adaptação estar mexendo com pontos cruciais da serie, posso até estar errado em questões relacionadas a Nintendo ou mesmo ao wii (apesar de ainda acha-lo muito voltado para o publico casual, oque não é um problema desde que não me afete), mas em relação a SH eu posso dizer que sei do que estou falando.

SH1 foi um jogo inovador no sentido dos combates, todo survival horror anteriores se baseavam somente em armas de fogo, o que distanciava os jogadores dos personagens.
Em SH 2 (o melhor da série na opinião da maioria) todos os inimigos eram fundamentais para o jogo, assim como enfrentar esses inimigos era ainda mais essencial no contexto da historia.
já Silent hill 3 os combates foram aprimorados mas deixado meio de lado no que diz respeito a historia.
mas em SH4, com a inclusão de inimigos diferentes (fantasmas) o sistema de batalha foi extremamente aprimorado muitas vezes se transformando um tipo de puzzle constante que exigia muita estratégia do jogador (tanta que as vezes incomodava)
de SH5 em diante a coisa meio que degringolou afinal o Silent Team não estava mais por trás dos panos, mas mesmo assim o clima de silent hill conseguiu ser mantido (mas ele é de longe o pior jogo dos 5 primeiros)
em SH home coming (que apesar telo-lo jogado, vi e li tudo que encontrei a meu alcance) percebi que o combate foi muito aprimorado (tanto que o personagem principal chegou a perder o ar de pessoa normal, até porque ele é um militar treinado) assim como as dimensões paralelas e tudo que compõe o universo de silent hill.
mas quando li sobre SH shattered Memories o baque foi muito grande, sem combates e sem a dimensão paralela, dois grandes pontos da serie distorcidos ao extremo, agora junte isso ao fato de sua plataforma mãe ser o Wii e você terá o motivo de meu post.
e infelizmente não, não acho que correr e armar armadilhas seja algo condizente com a série Silent Hill, não com todo o back ground criado para a cidade e seus poderes, na verdade, fugir dos monstros é exatamente o contrario do que é apresentado pelo jogo, os personagens estão lá para enfrentar seus medos personificados já que eles não são capazes de enfrenta-los psicologicamente, essa é e sempre foi a premissa dos poderes de silent hill, e não creio que muda-lo seja uma ação visando o enriquecimento ou aprimoramento da serie, pelo menos olhando para os jogos anteriores isso não faz o menor sentido.

finalizando, não vou mandar ninguém tomar no cu nem nada do tipo, admito que devo pesquisar mais antes de botar TODA a culpa de no wii e nos jogadores casuais, mas ainda assim não estou convencido dos pontos levantados pelo Pêra e os comentaristas, farei um pesquisa mais profunda e quando tiver mais base farei outro post com contra-argumentos mais consistentes.

De qualquer forma, esse post foi muito além do que eu imaginava e por conta posso estar passando a impressão de esnobe ou narcisista, coisa que eu não sou, por conta disso acho melhor encerrar essa discussão antes que ela saia (mais ainda) do controle, não estou me negando a responder qualquer comentário ou coisa do tipo, mas não vou mais retrucar perante o risco de criar antipatia com nossos leitores.

williamborg3 disse...

Haters da nintendo está cheio.
E realmente menospreza um console da nintendo eu não faço nunca mais.
Eu fiz isso com o N64 ( O maior motivo foi a pirataria, mas enfim...) abandonei ele e troquei pelo playstation. E hoje estou aqui jogando varios jogos que não joguei naquele tempo, digo com toda sinceridade, foi o pior negocio que eu fiz na minha vida.
Nintendo sinonimo de qualidade em questão de games não tem o que discutir, mais tambem é sinonimo de jogos de borboletinhas, mundos de fadas e jogos sem sangue, mas isso não faz ele ser ruim ou não.
O baixinho encanador está ai para mostrar que lendas nunca morrem, só se aprimoram.
E concordo com o Andre (Foi você que disse isso andre ? Acho que foi né...) para ser feliz nessa nova geração tem quer ter combo xbox+wii ou ps3+wii.
Do mesmo modo que eu nunca quero ver um jogo como street fighter em um wiimoote, tambem nunca mais quero jogar um jogo de boxe, tenis, futebol, fps, espadas estilo star wars e afins se não for usando wiimote.

Kigai_Player disse...

Errado duas vezes.
Primeiro: SH SM tera sim uma dimensao paralela, e pela primeira vez sera feita a transição em tempo real.
Segundo:o fato de SH estar cada vez mais "Action" que Survival, é exatamente o motivo da serie estar cada vez menos atrativa.

Shatered Memories se adaptou ao Wii?
Homecoming se adaptou ao PS3/360, e se deu mal pois ficou ruim. E isso eu digo baseado em minha opinião pessoal e na opinião da critica.

williamborg3 disse...

BruNêra você está praticamente errado 90% naquela sua opinião anterior, mas não vou questionar sua opinião sobre o wii.
Mas agora sobre o silent hill, meu amigo tenho toda certeza que você deve estar abalado com as declarões que silent hill vai fugir dos SEUS PLANOS, porque alias para mim um silent hill igual o review vai ser muito bom, ainda mais se for bem feito. (Alias não vai ser só eu)
E caso você fala tanto da ausencia de sangue (Engraçado que poucos comentarios concordaram com esse teu argumento) e joga a culpa no nintendo wii, não entendo muito bem porque você esta fazendo isso, já que ele está sendo lançado para 2 consoles da sony.
E a declarão que os novos Silents hill estarem ruins, eu repito ISSO È SUA OPINIÃO, pois estou muito satisfeito de jogar Silent hill origins um jogo muito foda, agora não posso falar o mesmo o Silent hill 5, um jogo QUE FUGIU TOTALMENTE DA SERIO. (Sim é minha opinião, mas a maioria dos fãs concordam comigo pelo menos)

williamborg3 disse...

Não ligue as trocas de palavras, é sindrome de teclar muito rapido
xP

BruNêra disse...

Kigai_Player

sim, SHSM tem a dimensão paralela, mas ela é uma versão tão distorcida da original (gelo?) que fica até difícil de leva-la em conta,
e se SH ficou mais action, foi no origins e no 5, e ambos não foram criados pelo time original da série, se SHHC ficou pior, isso já era uma tendência a partir do SHorigins, mas dai a mudar tanto a série como SHSM está fazendo é terminar de botar a pá de cal no titulo. da mesma forma que RE4 (que é um bom jogo dentro do que se propôs) terminou de enterrar o que era clássico nos Resident Evil anteriores, está certo que ele foi um sucesso e até eu joguei, mas para min RE morreu no code veronica.

williamborg3

bom, pelo que esta falando, você prefere todas as versões depois de SH4 (repito, o ultimo em que o ST se envolveu), não sei qual é seu estilo de jogo favorito, mas SHorigins é um jogo tão sem originalidade que assusta (primeiramente fazer uma "pre-Quênia" de fatos já explicados na serie e ainda por cima deixando tantas pontas soltas era totalmente desnecessário, fora o fato de o Butcher ser uma versão ridícula do sucesso que o piramid head fez, some isso a uma historia rasa, caso você ainda esteja jogando pule essa parte

-spoilers-

na boa, o butcher ser o álter-ego do travis g. e uma das coisas menos originais que já vi...

-spoilers-

o motivo de eu ter posto a culpa no wii apesar dele estar sendo lançado para psp e ps2 é simples, os criadores deixaram bem claro que o Wii é a plataforma mãe do game, ele esta sendo desenvolvido pensando NELE, o psp e ps2 vão receber meros ports.
não sei se você leu a matéria que a EGM fez sobre o jogo, mais em momento nenhum foi abordado nada em relação a historia ou aos conceitos criados nos jogos passados, creio que depois de fazer mudanças tão radicais no titulo, isso seria o mínimo a ser feito para acalmar os fãs da série.

agora sobre o fato de a maioria dos fãs estarem apoiando você, sugiro que dê uma olhada nesses links para ver se realmente as coisas são do jeito que você falou

http://www.silenthillheaven.com
http://silenthill.ugo.com
http://silenthillforum.com/

e por fim assista esse vídeo

http://www.youtube.com/watch?v=1FPTOfsSbCk

talvez você reconsidere essa afirmação.

Kigai_Player disse...

BruNêra. Com todo o respeito, estou indo assistir The Big Bang Theory. E nao vou mais postar aqui. é obvio que voce nao passa de mais um hater de Wii. E para isso usa até o SHSM que nada mais é que uma volta da série as suas origens (assim como foi com o Origins), e que tem uma formula que parece infinitamente mais funcional para o seu estilo do que foi qualquer outro depois do 3.
Se quiser apostar contra Shatered Memories, sinta-se feliz. Mas voce nao vai mudar o fato de que esse tem tudo para ser o melhor SH em anos.
Prometo que voltarei a esse blog outra hora, se quiser que eu volte atras quanto a minha impressao ao seu respeito, no minimo, esforce-se para parecer mais original e imparcial. Porque me desculpe, mas seus textos até o momento só posso qualificar como "descartavel" e um pouco "cômico", e isso eu ja acho de sobra nas comunidades em que participo.

FiliPêra disse...

BruNêra...
escrevi 31.000 caracteres simplesmente por achar que uma análise aprofundada sobre os efeitos que um videogame novo está causando numa indústria que está começando (na melhor das hipóteses) a ficar desgastada, exige argumentos e opiniões embasadas (além de mais de uma semana de jogatina, e mais de um jogo jogado), coisa que seu post chorão não chegou nem perto de ter.
_____________________________________________

Agora, ouça o amigo Anônimo (um anônimo que apresenta um texto tão perfeito, que que qualquer jornalista daria um braço para escrever) e leia o texto "Homens-pássaros e a falácia casual" (http://www.scribd.com/doc/8206732/Homenspassaro-e-a-Falacia-Casual-Continue-) (dica para todos).

Se ainda tiver dúvidas da estratégia da Nintendo, grite aí que Eu respondo seus comentários com toda a paciência que vou precisar.
Melhor sorte da próxima vez...
______________________________________
E muito obrigado pelos elogios dos comentaristas... muito obrigado a todos!

Agora vou postar...

ergom disse...

Opiniões , opiniões...sou tiozinho e jogo games desde o atari, pra falar a verdade desde o telejogo philco...e ja curtia desde os primeiros RPGs "para mim eram" indiana jones no templo da perdição e zaxxon...depois vieram adaptações como intellevision e o frustrado ,mas bem loco odyssey, a jogabilidade era pessima mas o graficos eram tudo de bom, veio o super monaco gp e a era mega drive, com sonic, e paralelamente a isso o nes e o SNES que veio mostrar ao mundo o que era videogame (de novo) só o atari teve esse boom!! ai a sony lançou o ps1 inovando em muito e nos fazendo acostumar (essa é a palavra, nó , nerds ou geek ou qqr outo modo que nos chamemos temos de incomum em relação aos caras normais, que jogam futebol, assitem tv e vão pros posto de gasolina encher a cara ouvindo musicas que fazem sentido ter um soobwwofer) é que nós sedentários, QUEREMOS nos adaptar aos novos joystics, etc. se possivel antes deles, e nos adptamos...eu tenho até hoje o meu PS2 e ainda tenho muitos jogos por terminar, mas acredito que quando sair algo do nivel do need for speed carbon, ou gt4 para wii, claro que vou jogar, principalmente se puder usar um joystick como direção e outro como freio de mão, ja pensou um drift, com freio de mão!!! o problema...nisso eu concordo com o bruno, é que wii, por enquant é game pra não gamer...os jogos para nós ainda estão por vir, a primeira fazse está tentando resgatar os primeiros classicos do atari...tentando rsgatar tiozinhos que curtiram muito com decathlon e tenis (que não continuaram gamers, mas estão adorando o wii) ou seja, tem razão qem diz que noob não vira geek com facilidade, mas a maioria ta no orkut vendo a vida passar nas comunidades do poodle cor de rosa, fresno, hanna montana, hot weels, etc...jogo bom mesmo é o que póe a gente pra pensar, não jogo, nem nunca joguei street fighter, MK, winning eleven, etc. porque é puro braço, e eu jogo pra pensar, por isso sempre gostei de zelda, tomb rider, lemmings,e até tetris, porque faz pensar, senão é melhor asssinar uma tv a cabo e ficar babando e comendo diante da tv....

williamborg3 disse...

È o BruNêr insisti em falar que está certo, e nós (As 50 pessoas que postaram aqui) estamos errados.
E antes que você fale alguma coisa BruNêra, sabe onde eu achei o link do topico falando sobre seu texto anterior ?
Uma comunidade de Next Gen, uma mesma comunidade que eles travam flames incansaveis de wars.Engraçado que nenhum sonysta ou caixista venho te defender não ?
Acho que até eles, viram do que se trata...


E para o post anterior do BruNêra só vou responder a pergunta que ele fez, por que o resto do texto é desculpa frustrada para justificar uma critica que ele fez sem nexo algum.
Não BruNêra, meu SH favorito é 2, gostei muito do 4 e o origins, e o unico SH idiota e dispensavel foi o unico lançado para seu console que você idolatra tanto...

Vanat disse...

Informação útil para ambos, os defensores do wii, ou do ps3.

Nenhum console reina absoluto =D

o wii creio ser o console mais revolucionário dos últimos anos.
o ps3 nasceu na sombra do ps2, acho q isso foi um erro.

Agora, sobre a liderança de mercado, no japão no mês passado o PS3 superou as vendas do wii., graças a novos titulos lançados pra ele como Resident Evil 5 e Ryu Ga Gotoku 3...

Mto cedo pra falar na ameaça de dominio de mercado global, mas na terra do sol nascente podemos ver que a galera ta balançando xD

Anônimo disse...

NÃO É TODO MUNDO HIPER NERD VICIADO EM GAMES!!!!!
Eu acho que o Wii é uma puta inclusão, daqueles coitados, incluindo eu, que não conseguem, não tem habilidade nenhuma para jogar jogos difíceis ou até mesmo os medianos de dificuldade, ou que veem os games apenas como diversão momentânea, for fun, mesmo.

Não pra ficar perdendo,7 horas do dia, por exemplo, jogando. Eu jogo com alguns amigos nerds viciados e outros que nem jogam muito mas tem o dom, seilá...

E fico feliz da vida quando consigo ganhar deles em alguns jogos do wii esportes ou mario kart.
AEEEEE VIVA O BALANÇAR LOUCAMENTE IDIOTA, OU NÃO, DO WII!

André Galastri disse...

Vanat

Acho que o ponto não é discutir vendas...
O ponto é a inovação, a novidade, que faz o publico querer aprender a jogar video game...

@On-Topic
Minha namorada NUNCA teve um video-game e hoje ela joga Smash Bros, Mario Kart, jogos que são um pouco mais complexos que o Wii Sports xDD

Fora o total interesse dela em Zelda, mesmo que ela apanhe muito pra decorar e memorizar os caminhos na hora da exploração e eu tenha que ficar do lado ensinando mta coisa...

André Galastri disse...

@Anônimo

Isso que voce disse foi legal tbm... Essa é a chance de quem nunca jogou video game poder ganhar de quem SEMPRE jogou video game!! Quem diria que EUUUUU pederia no no Wii Sports Tennis pra minha namorada!!!1 Eu fico inconformado quando isso acontece, mas é extremamente motivador pra quem NUNCA jogou video game...

Bruno disse...

williamborg33

"Dragon quest owna Valkyrie Profile = FATO MAIS QUE COMPROVADO"

Esse negócio de fato mais que comprovado não existe. E aliás porque você veio falando de Dragon Quest pro meu lado, se eu comparei Valkyrie Profile com Chrono Trigger e não com Dragon Quest?

Edge, a revista mais rigorosa em críticas? Relativo. Existem revistas e sites tão bons quanto ela.

Halo 3 nem é da nintendo.

Você fala como se eu fosse um sonysta, mas eu não sou. Eu não gosto muito do Wii, mas defendo o DS. Eu defendo o PS3, mas acho o PSP uma merda.

Dica sobre engolir textos: quando eu faço um texto muito grande pra internet (em qualquer lugar, não só aqui) eu digito ele no bloco de notas e só depois de pronto é que eu dou Ctrl+C Ctrl+V pro site/blog/uóréva

Bruno disse...

mais uma pro williamborg3

Você tem tanta credencial pra falar que os jogos do PS3 são cinepipoca quanto eu tenho credencial pra falar que os jogos do Wii são casuais.É engraçado ver um cara me criticar e depois fazer exatamente a mesma coisa pela qual me criticou.

williamborg3 disse...

Bruno
é como eu disse antes, o blog comeu o texto que tinha feito é so resumi o que eu tinha escrito, talvez você entendesse melhor.
E sim bruno, não sei se você notou, mas eu disse se VOCÊ TEM O DIREITO de classificar jogos da nintendo casual, eu EU TENHO O DIREITO de classificar os jogos do ps3 cinepipoca. Agora ficou mais claro ?

Max, O Observador disse...

antes de mais nada, eu ñ defendo nem uma companhia nem outra, (eu ñ ganho para isso :-), mas vcs notaram que o meu comentário foi quase pró PS3?
para todos eu só digo uma coisa: vcs são todos hatters, odeiam o wii, odeiam quem odeia o wii, e alguns vão me odiar por ter dito isso.

williamborg, vc poderia maneirar os seus comentários, diminuindo o palavreado chulo desnecessário e elevarmos um pouco mais o nível?
Dragon quest OWNAR Valquiria Profile? ñ dá para comparar uma coisa com outra... são duas propostas completamente diferentes... vc já jogou Valkirya profile? pelas suas palavras vc provavelmente deve jogar jogos relativamente conhecidos, que possuem apelo + comercial, etc. ainda mais depois daquela, eu quero jogar um jogo ñ um filme... eu ñ entendi o q vc quis dizer com isso...

Vanat: Apoiado!

Bruno: kra, relaxa, depois vc vê e ñ era o q vc esperava ou era pior. e mais uma coisa: Vc acha Cooking mama tosco? vc ñ viu os jogos de maquiagem para NDS que querem fazer pro wii... :-) e eu tb achei um absurdo aquele do help para jogos... muito horrível... mas acho que vc pegou um pouco pesado e deveria ter escolhido melhor os argumentos...

filipera: eu ñ acho que o wii é A revolução do mundo dos jogos... pq o wii só vai atrair uns jogadores que só vão preferir títulos como golfe, karaokê, tênis, e depois vai ver tv ou coisa parecida... eu o vejo mais como uma espécie de banco imobiliário mais moderno, ou como um aparelho de karaokê, ou seja, aquela coisa que todos se reúnem no final de uma festa para brincarem, alguns até meio chapados (eu nessa :-9), e ñ vai ter muito espaço para o público mais hardcore da coisa... como por exemplo dvd's de karaokê com canções do iron maiden... alguém já viu? se virem me mande um link pelo amor de Deus!!!!! e o batman é melhor que o justiceiro e pto final.

qto à silent hill... eu acho ruim todas essas franquias estarem se reinventando, tentando retirar essas coisas de uma maneira totalmente ridícula. Vamos ver RE. No primeiro, qual era o básico: RUN TO THE HILLS!!! ou seja, evite o confronto o máximo possível, como: poucos itens de cura, poucos saves, pouca munição, visão limitada, música ambiente quase nula, etc. mas olha o RE5: vamos matar zumbis na África! o enfoque agora é como se fosse um jogo mais combativo do que estratégico... o próprio autor original ñ gostou do resultado final...
mas eu digo uma coisa que ñ foi levantada por ninguém: a questão maior ñ é se um console é melhor que outro ou ñ, é pq os jogos de hj em dia são mais simples? alguém já reparou que boa parte dos comentários gira em torno disso? ñ é sobre a qualidade do wii, é sim o wii tem jogos mais simples, e eu digo que é pq o mundo ñ quer mais pensar. Basta olharem a letras de músicas pop e dá para contar nos dedos a qte de palavras com mais de 5 sílabas...
Eu leio sobre produções de jogos e digo: algo como um Gears of war(o melhor roteiro de um jogo de tiro no momento, na minha opinião) consome MUITO dinheiro, tanto de artistas, escritores, matemáticos, físicos (sim, existe isso em um jogo...), programadores, beta testers, atores, sanduíches, etc. E os jogos chamados casuais têm uma pequena vantagem: são mais simples de se fazer, ñ se precisa de uma estória muito complicada (ou nem tem uma estória), são mais simples de se programar e VENDEM BEM. Sim, vendem, nós vivemos num mundo capetalista (sim esse e é de propósito).

mais uma coisa: a nintendo tem um rígido sistema de controle de qualidade dos jogos que saem para os seus consoles, e Ñ dá para chamar de casuais os jogos de antigamente de dificuldade insana (golden axe, altered beast, metal slug, etc.) pq naquela época ainda existiam fliperamas por aí, e esses jogos eram difíceis com o objetivo de fazer com que as pessoas gastassem mais fichas...

enfim é só... mas só mais uma coisa: como eu disse no meu comentário anterior, o ps3 irá emplacar com o tempo, pq ele é muito custoso de se programar, e vai demorar até as soft houses conseguirem entender o ps3, mas acho que ele vai dar o que falar, a menos que apareça alguma outra coisa...

Kigai_Player disse...

"" E os jogos chamados casuais têm uma pequena vantagem: são mais simples de se fazer, ñ se precisa de uma estória muito complicada (ou nem tem uma estória), são mais simples de se programar e VENDEM BEM.""

Cara... leia Homens Pássaros e a falácia casual [213543201537468]

voce tem a mesma mente das produtoras idiotas que correm atras do pote de ouro, achando que qualquer "casual" vai vender bem assim.

williamborg3 disse...

Max.
Minha linguagem ? Ela vai muito bem obrigado, se você acha "xula" e achou que baixei o nivel, acho que o jogador de "jogos afeminados" é você né. (Engraçado que eu não falei um palavrão ou baixei o nivel, fazer o que né...)
Sobre a comparação eu simplesmente botei um RPG x RPG. (Sò citei o Dragon Quest, porque ele está hoje exclusivo do wii)
Sobre o Cinepipoca, gastei caro indo em locadoras só para poder virar SMS4 (Eu amo essa serie) eu adorei o fim que fizeram, digno de glorioso, mas foi essa a sensação que eu tive ao terminar, um otimo FILME.
E sobre os jogos hardcore, gostei da sua declaração, sinceramente jogos "hardcore" morreram junto com os arcades, pode botar um jogo tipo ninja gaiden (O jogo mais dificil dessa geração na minha opinião) que ainda não chega no pé de qualquer arcade que mesmo treinando anos e anos não eramos bom ao bastante.
PS: Quando digo que arcades morreram digo isso em questão de ocidente, porque na terra do sol nascente ele vive bem AINDA...

williamborg3 disse...

*SMS4 = MGS4

Já expliquei que troco palavras né ?
xP

fabiojoseassis disse...

Estava entre dois consoles: o XBOX 360 e o Wii. Por causa deste artigo, decidi pelo da Nintendo. Procurei por dois meses um argumento que me fizesse decidir por qual comprar. Este caiu como uma luva !

FiliPêra disse...

Max, o Observador...
Peço desculpa pela demora em lhe responder. Acabei me atendo as discussões que tinham mais a ver com o mercado de games em si, e deixei seus interessantes pontos técnicos de lado, mas vamos lá, vou dizer o que Eu penso acerca disso!

Mas, antes vou responder a observação do Vanat com respeito as vendas: claro, ninguém é absoluto todo o tempo, com relação a vendas, principalmente. Mas olhemos: o Wii vinha numa rota ascendente desde seu lançamento. Seus estoques nem eram suficientes para atender a demanda pelo console a até algumas semanas atrás. Essa situação começa a se inverter agora, com ele tendo pequenas desaceleradas. Ajuda também o fato da Sony ter mexido os pauzinhos e ter colocado seus principais lançamentos do semestre para o mesmo mês (nada mais correto do ponto de vista comercial). Mas veja bem: são quase três anos de lançamento do Wii e ele nunca havia ficado um mês para trás da concorrência no Japão.

No mercado global acho difícil uma vitória da Sony. Nos EUA, que responde por quase metade das vendas de games no mundo, o Wii, nesse exato instante, vende três vezes mais que o PS3 (os números gerais indicam isso também). Lógico que números podem mudar, e o PS3 passar o Wii por alguns momentos, mas, se olharmos a trajetória do Wii como um todo, creio ser bastante difícil ver o PS3 na frente dele, inclusive no Japão.


Agora Max, vou responder primeiro seu segundo comentário, pois o primeiro vai me levar um pouco mais de tempo (amanhã no máximo, pode deixar), principalmente por Eu não gostar de responder nada apressadamente.

“eu ñ acho que o wii é A revolução do mundo dos jogos... pq o wii só vai atrair uns jogadores que só vão preferir títulos como golfe, karaokê, tênis, e depois vai ver tv ou coisa parecida... eu o vejo mais como uma espécie de banco imobiliário mais moderno, ou como um aparelho de karaokê, ou seja, aquela coisa que todos se reúnem no final de uma festa para brincarem, alguns até meio chapados...”

Sim, é esse público que a Nintendo quer como bem disse no post. É o público que acha que videogame é coisa de gente perdedora que fica trancada o dia todo no quarto. Coisa de gente anti-social. Gente que nem sabe o que é videogame, ou sabe, mas nunca experimentou. E ela conseguiu chamar esse público, como muitos já perceberam.

De cara esse público só quer isso mesmo; golfe, boliche e karaokê (um jogo de karaokê acaba de chegar ao Xbox 360, mostrando que não são só eles). Mas, aos poucos, o nível de envolvimento com os games vai aumentando. Vide os sucessos de Mario Kart Wii, Super Mario Galaxy e Zelda. Não são os games mais difíceis do mundo (não que isso importe), mas não são Wii Music. Aliás, a própria Nintendo parou de fazer games casuais (Wii Sports Resorts tem uma boa explicação: a chegada do Wii Motion Plus, e esse game será uma adaptação do público com o novo periférico). As third parties é que entraram na onda. Mas games ruins existem para todos os videogames. Analisem os que fazem sucesso para saber qual é a tendência do Wii.

Vou exemplificar com o Nintendo DS, para que você entenda o que o Wii fará. Logo que o Nintendo DS saiu, vários da indústria o chamaram de console para crianças, máquina infantil, suicídio comercial... e todos esses alardes que adoram fazer. Com o seu lançamento a Nintendo o recheou de lançamentos casuais. Era Nintendogs pra lá (aliás, um dos maiores sucessos comerciais da década), Brain Age pra cá, e Brain Academy do outro lado.

Tudo casual, e praticamente fadava o DS a um nicho que não evoluiria, certo? Errado. Vou pular etapas e analisar o que o DS é hoje. No momento ele recebe praticamente todos os lançamentos exclusivos para portáteis, deixando seu concorrente, o PSP (aparentemente hardcore, com melhores gráficos, tela maior, enfim, um videogame mais adulto), com praticamente nada. Ele apenas recebe ports de PS2 e games da Sony, cada vez mais rarefeitos. É um bom hardware? Sem dúvida. É mais potente que o DS? Sem dúvida alguma, mas ele não construiu um público, simplesmente apostando nos 140 milhões que o PS2 havia feito, e que também não foram devidamente fidelizados. Basta dizer que hoje os games hardcore para portáteis vão para ele, inclusive TODOS os RPG’s da SquareEnix, que antes eram exclusividade para consoles da Sony.

Como Eu disse, isso não aconteceu da noite para o dia. O DS tem cinco anos de mercado, e já bateu a mágica marca de 100 milhões de unidades vendidas (mais rápido que qualquer outro videogame). O pensamento da Nintendo (baseado em uma linha correta de pensamento) é: o Wii fará o mesmo. Transformará esse público em hardcore. O DS fez isso pelos portáteis (cujo mercado provavelmente se estagnaria após o estrondoso sucesso do GBA), e o Wii fará o mesmo.

E sim, os games da Nintendo são tão bons quanto Gears of Wars (um iniciante no mundos games não consegue jogar o game, e é por isso que ele não faria sucesso no Wii à época de seu lançamento. Hoje ele venderia medianamente. Daqui a um ano, ano e meio, venderia bem), e consomem dinheiro e prazos parecidos com eles. E sim, os jogos do Wii estão evoluindo, à medida que seu público (que começou a jogar games agora também evolui). Basta dizer que Dragon Quest, um dos mais tradicionais RPGs do mundo dos games, agora foi pra Nintendo (na época do N64 a Square disse que jamais faria mais nada para a Nintendo).

O que é bom (jogos caros e complexos) é também um problema. Eles precisam vender mais e mais. Até aí tudo bem. Mas eles não atraem novos públicos para os games, ficando direcionados aos que estão lá no topo e jogam videogame há anos (e nem novos estúdios, ficando o mundo dos games limitado a uma fatia do mercado pequena). No momento isso não é problema, mas o mercado, que não está crescendo (como mostrou o baque de vendas do PS3 e do Xbox 360, em relação ao PS2 sozinho), se estagnará em breve sem gente nova atraída para ele. O Wii está impedindo esse processo, causando uma ruptura e trazendo gente nova para o mercado. Infelizmente muita gente não vê as coisas assim, e prefere chamar o público do Wii de acéfalo e retardado (são pessoas como essa que fracassarão).

É por isso que tanto falo que o Wii é a salvação do mercado. Ele atrai gente nova para os videogames. São os ditos casuais de hoje que serão os hardcore de amanhã.

Amanhã respondo as questões técnicas e seu comentário sobre jogos simples serem para pessoas que não querem pensar (não concordo).

Lunik[BRA] disse...

Realmente li os dois posts e olhando por esse lado..

Parabéns vc me fez ler tuudO! O.O

Vanat disse...

Antes a análise do ponto de vista comercial...

Agora, quanto a inovação e público alvo.

Acho que conforme a proposta do Wii de atingir o público mais "casual" (não no sentido de retardados vlw, no sentido dos q naum tem mto tempo ou experiencia em video games), acho que ele foi mto feliz sério, conforme o artigo dos homens pássaros q por sinal achei mto interessante, provavelmente esses gamers casuais tornem-se "hardcore" com o tempo, porém isso não muda o fato de que os jogos pra Wii são em geral para pessoas com menos experiencia em games que exigem mais do jogador na questão de pensar... (no geral, não atirem pedras.)
Eu me considero um player mais experiente, jogo desde que tinha meu atari com meus 4 anos de idade. Portanto prefiro uma plataforma que me ofereça games da pesada que exijam o máximo de mim e do console. E quanto a hardware inegavelmente o Wii é inferior em performance, mesmo que isso represente para o PS3 sua força e sua caveira ao mesmo tempo.
Vide: 1UP.com PS3 vs. WII: Head-to-Head (não sei se é uma boa prática postar o link, procurem no google xD). É um comparativo bem interessante. P.S. Está em inglês.
Resumidamente, acho que o que muito "hardcores" pensam é esse video-game não serve pra mim... e por isso moem o Wii. Porém, inegavelmente o Wii eh sucesso de vendas e público (inegavelmente: principalmente o casual). Mas é como eu disse, não é porque não serve pra mim que não serve pra ninguém... Acho que esse é na real, a grande discussão.
Vlw

João Rodolfo disse...

Caramba, ótimo post (sou Nindendista), ótimas respostas (uma parte), ótimos comentários!!!

Pqp, me deu até vontade de ter um blog... e olha que eu nem gosto muito disso....

Max, O Observador disse...

williamborg3, o que eu me refiro à baixar o nível ñ é só encher de palavrões, é tb utilizar um tom agressivo ao falar... relaxa kra... vc ñ é pago para defender ninguém aqui...Só mais uma coisa: o autor de MGS4 disse que a idéia deste metal gear era de deixar o + cinematográfico possível, e acho que ele conseguiu, de acordo com sua opinião. e outra: ñ q eu acho os jogos de hj em dia poucos sangrentos, mas kra, já vi muito filme BEM mais sangrento e bizarro... procura uma lista feita aqui mesmo de filmes bizarros e vc vai entender...

Kigai_Player: eu já ouvi falar deste artigo, e digo mais, como eu disse, este é um mundo capetalista (as pessoas louvam o dinheiro, o sangue, o suor e as fezes que fazem um grande lago no centro financeiro...). Para mim, o fato de ser casual ou ñ, ñ importa,o que eu digo é em relação ao fato dos jogos serem meio bobos hj em dia...
eu já ouvi falar deste artigo, que fala sobre a indústria dos jogos casuais, e acho que me entendeu mal, eu ñ disse q era contra os jogos casuais, eu sou contra a falta de desafios. Quem aqui já ñ jogou columns? Tetris? o que eu digo é a chamada curva de satisfação (serve p/ qq coisa, de jogos até roupas) e ver q hj em dia o q fazem: colocam um ser famoso qq Ex: 50cent, fazem um roteiro medíocre e faz sucesso, pq tem o coisa lá... por isso eu repito, eu ñ acho jogos casuais ruins, mas apenas acho que deveriam melhorar a curva de desafio para agradar à todos. Um ex: Mario Kart DS. eu até hj eu ñ consegui vencer as 150cc em 1o. lugar, sempre chego em 2o. ou 3o.... eu tb acho ridículo colocar esses e outros jogos, Harvest moon, por exemplo, que eu adoro (é eu sei um homem, nerd, metaleiro, que joga isso...). O problema das empresas é muito simples: boa parte das empresas fecham nos primeiros 6 meses, e a maioria raramente dura mais de um ano. Pq? pq elas ñ sabem planejar. As empresas criam jogos casuais para o NDS, WII de maneira apressada e acaba saindo um produto aquém em qualidade, depois ñ vendem e vão botar a culpa no alvo da moda, a nintendo, pela sua própria incapacidade... mas para fechar, digo que saiu meio deste jeito de propósito, meio que imitando o pensamento capetalista.

Filipêra: tens todo o tempo do mundo... eu realmente concordo que a idéia do wii seja um grande NDS. mas vc ñ notou uma coisa, eu disse que Gears of War tem o melhor ROTEIRO, ñ disse que era o melhor jogo... o wii motion plus pode ser um tiro no pé, visto que para isso vai se precisar ter uma certa margem de erro para o seu deslocamento (imagina captar o tremor da sua mão na hora de fazer um movimento preciso, que horror...) mas vou esperar para poder opinar melhor. Depois eu posso dizer o pq o ps3 tem o melhor hardware na minha opinião, mas vou ter que ligar o engenherês para poder explicar isso. mas podes crer que o caso da square é bem mais complicado do que vc pensa, e a square nos últimos anos anda meio mal das pernas(ñ financeiramente apenas)... nem sempre um bom equipamento é o que vai ser implementado. um exemplo bem simples: existiu videogame de 64 bits à muito tempo atrás, mas foi um fiasco... faz parte... a única coisa que disse é que a longo prazo provavelmente (essa palavra significa gde probabilidade, mas ñ certeza)tem chances do ps3 ter jogos melhores que o wii e assim alavancar as vendas. só um adianto: eu ñ disse q jogos simples são para pessoas que ñ gostam de pensar, eu disse que pessoas que ñ gostam de pensar (a maioria, infelizmente), gostam de jogos simples, e por isso compram mais, como elas compram mais, saem mais jogos assim, lei da oferta e da procura... mais uma vez o capetalismo falando...
eu tb concordo que os "casuais" de hj serão o "hardcore" de amanhã, afinal todos evoluem(brincadeirinha...). Eu tb acho que as terceirizadas (third parties)entraram na ondas sem se preparar direito, visando lucro rápido sem qq coisa e nem planejamento (capetalismo de novo...).
eu depois posso provar pq o ps3 pode fazer jogos com qualidade superior ao Xbox, mas como eu disse, o ps3 é um horror de se programar... o que o deixa pouco competitivo e complicado.

Diana disse...

Pow, obrigada. Estou há MUITO tempo de SACO CHEIO dos nerds frustrados porque o mundo de games "não é mais deles". Da última vez que falei sobre isso (que, por sinal, foi em um tópico no Ambrosia que falava do play3 batendo as vendas do wii no japão e apenas em um mês específico), fui taxada de fã-boy da nintendo e o assunto acabou aí. Muito bom ver alguém escrevendo sobre isso de forma séria. Além do que, é bom ver outros nerds que gostam de ver o "nossos gostos" expandindo para outras pessoas.

FiliPêra disse...

Max e Vanat...
Bom, creio que chegamos a um denominador comum aqui no nosso debate (ao menos isso é o mais perto de um denominador comum que um debate de videogames alcançará). Alguns dos pontos que levantei nas respostas foram frutos de mal-entendidos na minha leitura (culpa da madrugada).

Mas, é como Eu disse, aos poucos as third parties vão acertar, creio Eu. A Sega, a EA e a Ubi Soft já estão conseguindo construir coisas interessantes para o Wii (No More Heroes, Mad World, o futuro The Conduit). São das primeiras que estão conseguindo olhar por sobre a moda dos casuais e ver como esse público está se comportando. As que não seguirem essa linha(muitas) vão ter prejuízos fazendo jogos para Wii. Também acredito muito em estúdios novos e nos independentes (vejam como a Live e o Steam tem jogos pequenos e interessantes feitos por estúdios assim). Eles estão fazendo muitos dos melhores games dessa geração. Vejam o Team Ico, que fez Shadow of Colossus. Eram iniciantes com uma grande idéia. A Lionhead, de Pete Molyneaux, que era pequeno até que a Micrsoft o contratou, também fez jogaços. Só lamento que a Rare, hoje da Microsoft, e responsável pelos maiores clássicos do N64 (Conker: Bad Fur Day é o maior), não faça nada na atualidade.

Por isso acredito que, com o tempo os jogos terceirizados do Wii melhorem, assim como aconteceu com o DS.

Só uma coisa: tem muita raça de jogo casual entrando pelo cano

Enfim, Eu não acho o Wii perfeito, e teria um Xbox 360 também, caso tivesse grana para comprar os dois. Olho os dois videogames como complementos, ou próximo disso.

Também não duvido que jogos excelentes sejam lançados para o PS3, como aconteceu com seu antecessor. O problema é ter base instalada, coisa que o PS3, por enquanto não tem. O que a Sony precisaria é fazer contratos e subsidiar games de primeira para aumentar sua base de jogadores, pois as duas coisas estão interligadas. E tem que ser por agora, não deixando o Wii alçar um vôo mais alto do que o atual (difícil). O problema é que a Sony é muito mesquinha e orgulhosa. Prefere criticar a compra de exclusivos por parte da Microsoft (http://www.eurogamer.pt/articles/sony-critica-compra-de-exclusivos-da-microsoft) do que se movimentar. Quando abrir os olhos pode ser tarde demais...

E Eu sei que o PS3 tem de longe o melhor conjunto de hardware, mas isso não é o bastante (um dado curioso e irrelevante para o debate é: o mais poderoso nunca venceu uma batalha de consoles comercialmente falando. O Xbox perdeu para o PS2, o N64 perdeu para o PSone, o Mega Drive para o SNES... e agora o PS3 tá perdendo). O hardware é uma ferramenta para a criatividade dos criadores de games. Não adianta nada ter o melhor hardware, se os jogos não o usam. No momento, se não estou enganado, são poucas as empresas fazendo títulos que realmente exijam graficamente do PS3 (a Square parece ser uma delas). A maioria simplesmente adapta os títulos que fizeram no Xbox. Talvez seja esse o problema de querer dar um passo muito a frente do seu tempo (lembra do Dreamcast? Ele era um bom videogame).

FiliPêra disse...

Max, o Observador, agora seu priiiimeiro comentário...

"o nintendo wii admito que me surpreendeu na época, mas convenhamos, ñ é um video-game feito para jogos prolongados, já que como ele exige atividade física intensa (leia-se mexer os controles feito um louco), ele cansa, e dificilmente este recurso será muito explorado pelos programadores, pq um jogo que cansa tanto física e mentalmente dificilmente irá atrair jogadores."

Excelente observação. Cabe as produtoras acharem uma forma de se usar as funções de movimento do Wii Remote de forma original sem cansar aos jogadores. Me explico melhor: temos Wii Sport. É um jogo mega divertido, mas realmente cansa (boxe então, nem se fala, e de terminar pingando), mas temos Mario Galaxy, que você joga sentado e tranquilo, ainda assim usando usando a função de movimento do controle (vou me ater as experiências de jogo mais prolongadas que tive). O que as pessoas ainda não entenderam é que, o Wii não necessiariamente precisa ter jogos com movimentos no joystick. Ele faz o que os outros fazem também, o apertar de botões (assim como o DS não precisa usar suas funções de tela touchscreen). Mas as produtoras (a Nintendo já está fazendo isso) têm uma grande oportunidade de fazer games mais interativos e interessantes, que atraiam mais jogadores para o mundo dos gamers, coisa que as combinações excessivas de apertar botões não estão mais fazendo.

É natural que essa safra de games para o Wii, principalmente os terceirizados, sejam ruins. Trata-se de uma máquina nova, com uma forma diferente de se jogar. É natural esse período de adaptação. E também é lógico que muitas empresas tentarão pegar carona no sucesso dos games casuais. Lançarão porcarias, achando que irão vender e quando dão com a cara na porta xingam o Wii e seu público. Mas, vamos admitir, muitos dos jogos casuais que a Nintendo fez são bons (ao menos Wii Sports, que joguei, posso dizer com certeza). Eles enjoam rápido quem joga game desde os 5 anos com o Atari (meu caso)? Sim. Mas são diversões descompromissadas... além de uma porta de entrada para pessoas que nunca jogaram videogame, gostarem da experiência.

Eu vi a cara da minha mãe, e ouvi ela parar de atacar os videogames assim que ela jogou Wii Sports. Pra mim foi prova o bastante de que a Nintendo acertou em cheio.


Agora a parte técnica...

Sem dúvida, se olharmos o Wii ele não parece nada atrativo em relação a gráficos e processamento (e não é, é quase um GameCube 1.5). Faz parte do plano da Nintendo. Ela vende um console barato e lucra com isso. O Wii é o único dos três consoles do mercado que nunca foi subsidiado. Hoje alguns analistas dizem que a Nintendo lucra metade do valor do aparelho. Já a Sony chegou a subsidiar 250 dólares do seu aparelho e a Microsoft 150 dólares. Hoje a situação melhorou para as duas. A Sony injeta 100 dólares e a Microsoft vende pelo preço de custo.

Me responda que atitude aí parece mais benéfica para a indústria (não estou dizendo que ter consoles robustos não é importante, mas tentar dar esses passos muito a frente do tempo, com pesados custos financeiros, parece prejudicial). Enquanto os subsídios da Sony e Microsoft fazem as duas empresas cobrarem mais taxas para empresas que lançam jogos para seus consoles (o NPD Group afirmou que é necessário vender em torno de 1 milhão e 100 mil unidades para lucrar com games para 360. Com o PS3 o valor é ainda maior, embora não sei quanto é). Enquanto isso a Nintendo usa seu lucro com consoles para financiar novos estúdios (como o Retro Studios, que produziu Metroid sob a supervisão de Miyamoto, e o Left Fiel, o skip Ltda, o Game Designers Studio, o Silicon Knights, e assim vamos...).

E essa é mais uma medida acertada da Nintendo. Estúdios iniciantes jamais conseguiriam orçamento e pessoal para programar um game para Xbox 360 ou PS3 (muito menos). E eles não poderiam errar, pois um erro e o estúdio fecharia. Já com o Wii é diferente. Assim como Eu disse, ele é como um reboot do mundo dos games, inclusive nesse sentido de querer atrair gente nova para produzir games diferentes dos que são feitos hoje.

E o Wii está educando seu público ainda mais com o Virtual Console (isso é um avanço para uma empresa que diria que internet não seria útil para os videogames). Com ele a Nintendo mostra para seu novo público os games que eles não aproveitaram, mas estão ao alcance de um clique (e um pagamento). Isso passa uma clara mensagem: "Olhe novos gamers, jogos são criatividade, e diversão. Não se deixem enganar com as perfumarias que são oferecidas hoje, principalmente com essas porcarias de games adaptados de filmes. Olhe a própria história e confirmem isso (é algo assim)".

E pelos motivos que você apontou, creio que o Xbox 360 é o melhor console para quem não quer o Wii. A Sony cobra por coisas que não são usadas, como seu processador Cell (que nunca foi usado em totalidade, e o Blu-Ray, que ainda não deslanchou).

Se a Square está fazendo isso, é porque Final Fantasy recebe subsídios (não posso dar certeza desse décimo terceiro episódio, mas até o passado, quando a série ainda era exclusiva, a Sony cobria parte dos gastos de produção).

Ou a Sony oferece incentivos para outras produtoras fazerem o mesmo, ou vai ficar nessa de "meu processador é o melhor, mas ninguém faz nada a altura".

De resto, concordo com sua abordagem técnica dessa geração!

williamborg3 disse...

Minha opinião continua a mesma FiliPêra.
O Nintendo wii é um console mais casual que "hardcore" ? Sim, sem duvida.
Mas o publico hardcore que possui Nintendo wii consegue viver com o Wii.
Digo o mesmo da plataforma ps3/xbox onde um publico casual consegue viver muito bem tambem.

Considero essa geração fraca por enquanto, porque na ultima eu conseguia viver muito bem só com meu ps2 (Não nego que senti saldades do baixinho, bigodudo italiano). Enquanto nessa geração, Wii completa a metade da laranja que falta no ps3/xbox.

williamborg3 disse...

Só uma observação, crianças não é sinonimo de casual, alias nunca foi sinonimo de casual, é bem pelo contrario...
Por acaso alguem virava aqueles jogos brutos de dificeis do snes/nes/arcade com que idade ?
Eu por exemplo não tenho metade da habilidade que eu tinha no street fighter quando tinha meus 10 anos.

Max, O Observador disse...

Kra, vc acabou de falar a única coisa que mantém a nintendo de pé: o suporte que ela oferece. Tanto que ela mesma montou uma universidade só para programadores de jogos (digipen), onde costuma captar novos talentos. O caso da sony é um pouco mais complicado, ela literalmente, em nome da perfomance, retirou boa parte das funcionalidades do processador, o q o torna necessário ser programado, o q requer muito tempo e estudo de programação para conseguir isso. A licensa do Play 3 custa 10.250 dólares(olha que é promoção, 50% de desconto no eua), mas já tem um rumor sobre um sistema de desenvolvimento gratuito (para conseguir mais jogos...), como no caso do ps2 (sim qq um pode baixar o kit de desenvolvimento (sdk) e programar o seu jogo... O Xbox dá para se programar, pq o seu sdk básico é free (microsoft XNA), mas os pequenos o põem para download através da loja virtual (mais em conta). O do wii custa uns 2.500 dólares (o mais barato). neste ponto a melhor estratégia é da nintendo, tanto que a sony até mesmo mudou o seu ceo, colocando um ñ asiático na chefia, com o objetivo de reestruturar toda a sony,
O problema da square é que o mercado japonês de RPG está ficando saturado, e eles estão procurando sabgue novo, ainda mais depois da saída do FFteam, eles tÊm tido problemas cada vez maiores com vendas (ñ que tenham vendido mal, mas está difícil manter o público), isso somando ao fato e que a square quer conquistar o público ocidental (finalmente entederam que as pessoas tb gostam de outras coisas sem serem colegiais, que samurais ñ existiam na europa, e tb existem outras raças no mundo)tanto que ela vai comprar a eidos (soul reaver, tomb raider), numa tentativa de dar novo fôlego à empresa.

o wii dificilmente terá jogos que ñ envolvam a fç de balanço do controle, visto que isso é o ponto forte do console, é algo que a maioria do público vai esperar...

por enquanto é só

FiliPêra disse...

@Diana
De nada. Finalmente um comentário feminino, e de uma nerd... ruiva :D

Agora a resposta: realmente, esse tipo de atitude é de crianças que não querem mais "emprestar a bola". Dá até vontade de rir de alguns... parece até que se a mãe dele começar a jogar videogame a coisa vai perder a graça.
Típica atitude de cabeças duras!

Bruno disse...

Um ponto sobre Blu-Ray: ele ainda vai deslanchar. Até aqui na minha cidade, no cu do mundo do interior de Minas, tem muitos filmes em blu-ray nas locadoras. Naõ sei se tem HD DVD em outras cidades, mas aqui eu ainda não o vi, mas o Blu-Ray já. Enfim é somente uma análise da situação na MINHA cidade (esquecida de Deus). Não sei como está na sua.

André Galastri disse...

@Max

Voce acabou de falar a maior besteira desse "mar" de comments..

A Nintendo possui as franquias mais poderosas do mercado de games e, inclusive, a maior delas: Super Mario Bros..

Só Zelda e Metroid já estremessem os concorrentes nos lançamentos, o que dirá um jogo do Mario!
O que mantém ela viva é a criativade e capricho em fazer consoles E jogos...

Acorda cara... Jogo não é só programação não...

Max, O Observador disse...

Para fazer um jogo, somente 10% são de programação, o resto é de cerca de 80% planejamento, 10% matemática e física. Eu disse exatamente isso no meu último comentário. Vc se esquece que eu disse que ela tem um banco de pesquisa de talentos! eu ñ disse que jogo é só programação, eu disse que o preço para poder vc começar a fazer um jogo é impeditivo. Pense bem, uma pequena empresa, de uns 20 kras q se juntaram, montaram eles mesmos os próprios computadores, a infraestrutura, tudo, vc acha que eles vão ter facilmente 10.000 dólares para começar? e ñ sei qto dólares para fazer a parte de arte, se envolver pesquisas então, distribuição, marketing, engenheiros de áudio... Vai às alturas... o que eu disse que os programadores de jogos dos USA aprendem tb a fazer a parte de design, o que depois cada um faz uma especialização de acordo com a área que preferir... o suporte da nintendo que eu me referia seria às próprias franquias e à empresas juniores, kra. Vc fala de Zelda e Metroid (q para mim ñ é lá grande coisa), mas como vc acha que sempre tem novas idéias e novidades para manter a qualidade? com sangue novo (ñ estou falando de sacrifícios...), recém contratando os alunos promissores... Tem até uma reportagem que saiu numa revista nintendo world falando sobre isso... E sem falar de um detalhe que vc desconsiderou: quem vc acha que dá um jeito de implementar as idéias dos designers/autores? eles mesmos? ñ, são os programadores (atualmente a posição que + dá dinheiro dentro do ramo de programação). Este é o caso típico do Oscar Niemeyer: ele inventa os desenhos amalucados dele e os engenheiros se viram para montar... tanto que nas empresas sempre tem um porta voz de programação justamente para falar sobre o que seria possível ou ñ de se fazer para um determinado comando, e como encaixar aquilo em um console, sem que fique demasiado difícil para os jogadores... sim a posição dos controles tb pesam na hora de se decidir sobre um jogo... kra, de tão complicado e complexo chega a ser lindo...

Andre Galastri disse...

Zelda e Metroid pode não ser mta coisa pra voce, mas voce sozinho não define o mercado...
Por exemplo, um Metroid venderia bem, mesmo que voce nao gostasse =P

E francamente, não me interesso pelos aspectos tecnicos de criação de jogos, acho um saco... Mas não vem ao caso...

Compreendi o que voce diz, faz sentido, mas não entendi o que voce quis dizer com isso tudo... Todas as empresas buscam ideias novas, até uma fabrica de cuecas...

Tu ta falando o que é obvio...

Anônimo disse...

kkkkkkkk
Você esqueceu das declarações humilhantes da sony.
"Nintendo wii não é nosso concorrente"
"Microsoft está jogando sujo comprando exclusivos "
"Não considerados Nintendo wii um video game"
Eu dou muita risada quando a sony fala isso.
Vocês estão engolindo toda sua arrogancia das duas ultimas gerações. Engole o choro Sony.
E sinceramente, minha opinião é que Sony faça uma porcaria de video game na proxima geração e volte para mercado de eletronicos dela, onde não deveria ter saido.

Anônimo disse...

Nintendo tá igual o Lula.
Todo mundo reclama, todo mundo esperneia, Todo mundo quer tirar ele do poder, mas a popularidade dele só aumenta. Tem seus seus erros, mas não muda o fato de ter seus grande feitos, e foi o melhor de todos os presidentes. (No caso da nintendo é os concorrentes).

Po vamo deixar a Nintendo trabalhar...
xD

Shadow disse...

As séries sempre são as mesmas, sem contar que não tem nada de inovação o sitestema de jogo é o mesmo a diferença colocaram nos controles que por sinal até teclado e mouse são melhores XD, os games realmente são bons... mario e donk kong morreram no super nintendo os atuais dessa séria não valem nada, pow mario dance dance revolution por favor né e ainda falam que a nintendo é a melhor prefiro a EA games, que ultimamente só tem feito games bons, ou mesmo rockstar que esta investindo em games novos. Se vocês adoram coisas que não tem evolução nenhuma a respeito game em si... então joguem os games da nintendo... hahaha e por favor metroid na minha opniao tem ate Halo II barra. Olha essa imagem linda pros nintendistas... http://www.genesisgames.com.br/images/descricao/Dance%20Dance%20Revolution%20Mario%20Mix.jpg hahaha.. vamos fazer escolhas sabias peguem um pc descente e joguem ou mesmo um Xbox 360 serás mais feliz.

André disse...

*@Shadow
Me fala qual a inovação nos jogos do Xbox360 e PC? Segunda Guerra Mundial? Halo?

Cuidado com a resposta, pq eu vou rir MUUUIITOOO da sua "escolha sabia"...

Shadow disse...

Então tudo bem... vamos começar por Fable 2, tem gente que tem a cara de pal de dizer que ele é inferior a o novo Zelda pelo Amor de Dios affs, santa hipocrisia... Se você pensa assim se mate. lISTAGEM DE GAMES: FABLE 2, GTA4, MIRROR'S EDGE, LEFT 4 DEAD, Brothers in Arms Hell's Highway (Só o melhor game da segunda Guerra), CRYSIS, CRYSIS WARHEAD, FAR CRY 2, MEN OF WAR, COLLAPSE DEVASTATED WORLD, Ghost Recon: Advanced Warfighter 2, DARK SECTOR, BIOSHOCK, Clive Barkers Jericho e os HALF LIFE'S 2... E TEM MUITO MAIS GAMES AEE SO PUDE ME LEMBRAR DESSES... CASO VOCE NÃO GOSTE DE GAMES SA SEGUNDA GUERRA COMO BROTHERS IN ARMS NOVO CARA... POR FAVOR ENTÃO NAO TENS GOSTO, VAI DAR SOCOS EM TARTARUGAS OU QUEM SABE DANÇAR COM O MARIO NA TELA HAHAHA...

André disse...

Ainda não vou rir da tua cara, pois eu não perguntei quais jogos são bons... Eu perguntei qual a inovação deles... =)

Até o Wii Sports inova MTO mais que Fable 2! Mesmo que não sejam movimentos 1:1, o simples fato de voce mexer o controle como se fosse uma raquete, dá uma puta de uma sensação gostosa de jogar... É bobo, mas é divertido...

Aí é que tá... Tu ri dos que gostam do Wii, de "dançar com o Mario", mas tu não encherga o quão ridiculo é voce dar a entender que é melhor ficar enfurnado num quarto sozinho numa nerdisse doentia e anti-social, estupida e inutil!!! Se pra voce SÓ ISSO é bom, digo-lhe: grandes merdas!!!

Gosto de mto jogo pra PC... Passo horas jogando Battlefield e perdi mto tempo em Command e Conquers da vida... Mas eles não inovam merda nenhuma! Isso enjoa! as vezes dá vontade de jogar com um amigo do lado! Chamar aquela mina pra festinha pra ela jogar tennis com voce...

Mas claro, nerd doente tem alergia em se mexer... Eu pelo menos sou nerd, mas sou normal, como, creio eu, a maioria daqui...

Anônimo disse...

RONALDoO!!!

Anônimo disse...

Amigo... tenho 35 anos e ja tive praticamente todo tipo de vídeo game, desde o Atari até o XBOX 360, e(de um certo tempo pra cá) desisti dos consoles..

a era dos consoles esta em acabando.....

Eu agora só jogo no PC.. praticamente tudo que saiu para o PS3 e XBOX 360 tem disponivel para o PC...O Wii que vc ta puxando tanto o saco, ja tem emuladores que roda os jogos dele......pra que comprar console????? Se vc montar uma maquina com uma configuração bacana (o que custa menos do que um PS3) vc pode jogar o que vc quizer..........(sem contar a quantidade de jogos exclusivos do PC (como Crysis)

pra quem é jogador a muito tempo como eu, vc e tantos outros, JOGAR NO PC É O QUE TA ROLANDO.... OS CONSOLES JA ERAM!!!!!!!!!!!

64dio64 disse...

Vocês todos são um bando de tontos, o Bruno, o BruNêra, e quem mais postou aqui.
Veja que discusão tola vocês discutem de videogames mas esquecem que os videogames como PSP, DS, PS3, Xbox360 na verdade não são nada!!!!
O que realmente importa são os games. Sem jogos, videogames seriam inuteis ou meros player caros, e pra que discutir de videogames se o que intereça é o que esta dentro dele.
Eu quero jogar Wii por que tem games que me intereção da mesma forma que quero jogar PS3 porque quero jogar MG4, e também quero ter um emulador no PSP pra jogar os games do atari como enduro. E é isso! quero jogar e não ser um "andertal" que torçe para o corintias que fara eu querer tirar e ofender quem torçe para o outro time.Bando de tontos torcedores faz apenas vocês ficarem preconceituosos.
Não existe console bom ou ruim, o que existe é game bom de game ruim. Veja os consoles que tinham games ruins ou nem tinham games.... FRACASSO

Fora isso boa máteria contra o tosco preconceituoso do BruNêra.
Boa FiliPêra você realmente joga e não vê se o console é nintendo, sony ou microsoft.

Renan disse...

Só encontrei hoje esse belo artigo publicado sobre o atual mundo dos games, Parabéns FiliPêra, muito bem escrito e bem argumentado. Acho que conheço um pouco sobre o mundo dos games, comecei sério com um mega drive (o atari meus pais jogavam mais que eu), depois pulei pro Nintendo 64, Comprei o play 1 ,depois um super nintendo, depois o play 2 e agora recentemente comprei o play 3. Tenho grandes memórias de todos, Sonic, Road Rash, Golden Axe, Zelda 64, mario 64, mario kart 64, Final Fantasy 7. donkey kong, metal gear 3, gran turismo 3, assassin creed, enfim entre MUITOS outros de TODOS so Consoles e empresas. Tambem acompanhei todo o editorial brasileiro sobre games por muito anos com Açao Games, Super Game Power, Game-x, Gamers. E como bom gamer nao vejo como nao ficar contente com o que o Wii esta fazendo. Como dizer que a foto com os velhinhos jogando Wii é deprimente?? é fantastica!! eu sempre quis jogar video game com meus pais, mas como já foi dito, os games sao muito complexos (nem sempre estou disposto a ficar 7 horas só pra aprender a movimentaçao básica de um personagem)e eles tentavam mas nao conseguiam acompanhar. A nintendo faz sim um excelente trabalho em juntar as pessoas pra se divertirem em grupo, mto melhor que jogar sozinho. Qual o problema em ver outras pessoas que nao Nerds curtindo um game? alguem vai ter um crise existencial com isso? só os nerds podem gostar de video game? Nao sou nintendista, por sorte tive a oportunidade de comprar consoles variados e aproveitei muito todos. Para mim sonystas ou nintendistas nao sao gamers sérios, alguem vibrou com a saida da Sega dos Hardwares? Porque torcer contra determinada empresa se todos ganham com a competição entre elas? e a Nintendo tem funçao importantísssima em manter esse mercado girando sim, ela é a unica que tem a coragem de ousar e mudar os parâmetros de tempos em tempos. Exemplo mais claro que o Zelda Wind Waker nao há: após o imenso sucesso de Ocarina ela no embalo lançou um game identico (majoras mask), ta é legal , vendeu bem, e o que ela fez?? lançou um ocarina 3, ocarina 4, ocarino 17? nao ela mudou tudo botou a cara a tapa e lançou o wind waker. A mesma coisa aconteceu com o Wii. Entre as antigas gerações as mudanças foram grandes: 16 bits, para 32, para 64 para 128, grandes alterações, ai parou, só se investiu em gráficos e mais gráficos. se o mais importante de um game é o grafico lançem CGs controláveis que venderão mais que Zeldas e Marios e Sonics. Nao tive chance de jogar muito o wii ainda, nem o XBOX 360, mas nao vejo a hora de jogar o Mario e Halo, e me divertir com os DOIS, sem desejar que a Microsoft ou a nintendo quebrem.
Viva a diversão entre amigos que games como Mario Kart 64 possibilitam, e viva também a horas rapidissimas bem gastas enfrentando solitariamente duzias de zumbis

Shadow disse...

André... Só da pra jogar com amigos com Wii né porque parece que foi isso que você disse... Além do mais esse negocio de jogar com mulher... Isso pode ser feito com qual quer console.. Quer jogar estilo retardado do Wii tem controles de corrida com volante e tudo mais pra pc... Jogar com amigos caso não esteja afim de sair em casa... Suporte online pelo hamachi cara... se você não tem argumento a baixe a cabeça a aceite a derrota... Além do mais Battlefield é command & Conquer é uma merda... Tome vergonha na sua cara. Quando se joga em pc você tem varias diversificações... carro volante e avião manche. O controle pra Wii pode ter até ficado bom pros games inúteis e retardados que tu gosta, mais utilizar com os games de tiro só tenho uma palavra a ser proferida, merda. E se não tem o que falar pare de proferir idiotices.

Renato disse...

Filipera eu achei totalmente non- sense esse seu texto sobre a "revolução" que a Nintendo está fazendo. Você se de um tiro no pé nesse texto.
Você simplesmente inves de defender o wii, citando jogos bons, está defendendo a "novidade" que o wii está botando no mercado.
Só porque o wii trouxe um novo modo de jogar (Isso seria só uma teoria sua), isso justifica ter um console ruim ?
Você simplesmente deixou transparecer isso:
"Não importa se wii é uma merda, e tá cheio de jogos casuais, o que importa é que ele é revolucionario".
Repense nisso, pois eu escolho meus consoles pela qualidade deles, não pela "importancia" que ele teve ou ira ter na historia.
Até

Carlos Maestre disse...

To comentando tarde, mas aqui estou.
Toda essa história me lembrou de um acontecimento marcante no mundo dos games e que serviu de lição para muita gente: alguém se lembra quando a Nintendo (a mesma do dilema entre as publicações) mostrou ao mundo seu - na época - novíssimo Zelda Wind Waker?

Eu mesmo estranhei, claro, e questionei também o que poderia ser. Mas não detonei não. Desde o vídeo até ter o game em mãos, passaram-se 2 anos. O jogo na televisão é lindo. É animado e fluído. Até aquela data não existia nada parecido. Tudo orgânico e uma explosão de cores, como uma pintura impressionista.

Wind Waker não desbancou Majora's Mask como meu Zelda favorito, mas me propiciou horas gratificantes de muita diversão.


E o que todo mundo dizia (quando foi mostrado WW)? 'Não vou jogar Zelda nunca mais'; 'A Nintendo acabou (com ela e com a franquia)'; etc. etc. etc.

Carlos Maestre disse...

Outro ponto: atacar um determinado público alvo (chamar os 'casuais' de 'descerebrados' [foi esse o termo?]) foi, sem dúvida nenhuma, muito escroto. É comprar uma briga estúpida. É como se eu, torcedor de um time, quisesse brigar com os outros por serem diferentes. Aliás, vale pensar também que os hardcores só são hardcores por que existem os 'softcores' ou casuais. Caso contrário seria tudo nivelado por baixo, provavelmente. Sem empenho de ninguém.

[Em nota: eu sou um dos que descobriu o blog pelo Yahoo!Posts e, de vez em quando, passo por aqui. Mario, Zelda, Metrois, (Nintendo em geral), somando-se Prince of Persia, Beyond Good and Evil, toda série do Resident Evil (principalmente o 4) são fodas. Silent Hill é chato. Mas isso é pessoal e intransferível.]

Anônimo disse...

Esta discussão não terá fim se depender dos "Sonystas" pelo simples fato de que a Nintendo de um jeito ou de outro sempre revolucionou o mercado e quem ficou jogando Winning Eleven pra fazer carreira (Chato demais), MGS (que é um ótimo jogo) entre outros, não admitirão a superioridade da Nintendo.
Eu particularmente prefiro a Sony e seus jogos, mas sei admitir que a Nintendo foi e esta sendo novamente com o Wii "Fodástica" no quisito Interatividade.
Do mesmo modo que concordo que é uma p*** sacanagem lançarem jogos de genero consolidados e mudarem drasticamente para se adaptar ao Wii. Não me imagino jogando BLACK (PS2) sem todo aquele efeito sonoro e cenas de violencia.
Definindo, o termo usado pelo caro amigo BruNera foi incorreto para a situação, sendo que a culpa não é do sucesso do Wii e sim da necessidade da empresa produtora do game lucrar e não conseguir vender para as demais plataformas, sendo assim, utilizaram da plataforma Wii para tirar seus lucros e serem felizes, rsrs.

Deus,

Versiani disse...

Putaquiospareo vocês com seus pots longos. Deixa eu entrar nesta também.

Como se ter um console ou outro fosse questão de parcialidade (e não de falta de grana ou mesmo escolha própria), digo logo de cara: tive um dos inúmeros clones do Nintendinho (Hi-Top Game, da Milmar), um Mega Drive, um Nintendo 64 e agora comemoro a compra de um PS2. E, de locadoras, fliperamas e emuladores, você pode adicionar aí mais umas boas empresas, consoles, gêneros e títulos à lista.

Enfim. Meu primeiro console (que comprei na Mesbla, procêis terem uma idéia da velharia) ganhei ainda novo. Tinha um cartucho que vinha com o clone do Nintendinho, de naves. Era legal e tal, mas cansava. Então meu pai, aos fins de semana, alugava Mario Bros. 3. E agente jogava quase o fim de semana inteiro, porque o troço não tinha save ou pasword. Era isso, sempre que dava pro meu cansado e ocupado pai, todo fim de semana. Alguém aqui tem na memória o fato de deixar o vídeo-game ligado ao dormir para poder continuar no outro dia? E foi assim, mesmo depois de zerarmos juntos o jogo. Depois? Bom, depois meu pai não diminui as horas de trabalho e não tinha a mesma paciência que eu em ficar tanto tempo em uma só coisa que era tão exaustiva. E vocês não têm idéia de como isso me deixou chateado. Talvez eu tivesse deixado de jogar não fosse o fato de eu ter um irmão mais novo.

Depois veio o Mega, e com ele um monte de amigos que fiz através dos jogos (além de gastar fichas e mais fichas em um fliperama velho de Cadilac Dinossauros no bar copo sujo perto de casa). Com o N64 foi a mesma coisa, mas já não na mesma intensidade. A idéia era a mesma: emprestávamos os cartuchos e íamos uns na casa dos outros jogar MK2, Battletoads, Mario Party, Smash Bros. Mas acabou. Meus amigos preencheram suas vidas com outras coisas, pois jogar era caro demais e gastava tempo demais (além de, cada vez mais, virar um atividade solitária).

O que quero dizer com isso? Que a dificuldade crescente, aliada à também crescente necessidade de horas e mais horas para terminar um jogo, espantaram de vez muitos jogadores potencias. Virou um troço de “nerd”, de “bitolado”, de “viciado”. “Gamer”. E ficou assim por um bom tempo.

Enfim, os jogos se tornaram específicos demais. Perdeu-se, em boa parte, a idéia do entretenimento para todos. Ficou um troço de “gamer” pra cá, “arte” pra lá, mais polígonos, mais frames por segundo, mais mega, giga, tera bytes. E se esqueceu que, não diferente de um filme, um quadro, um livro, o objetivo é entreter, sociabilizar, informar. Eu acredito que vídeo-game, assim como escultura, música, literatura, quadrinhos, filme e outros, é uma arte. Mas, percebam bem, eu não acredito que arte seja algo excludente, para poucos, para “entendidos”. É exatamente o contrário.

E a porta de entrada para qualquer arte é exatamente a simplicidade e falta de compromisso. Não é algo que se queira gastar mais que, sei lá, umas duas horas no final de semana (o mesmo tempo que aquele filme que você vai assistir com os amigos ou a família no cinema, talvez um pouco menos que o gasto naquele final de tarde lendo mais um trecho de um bom livro de Machado de Assis).

Problema é que, com o crescimento da indústria, o video-game virou objeto de consumo. Mais, mais, mais. Tantos e tantos títulos, tantos e tantos números (quem é mais popular, quem vende mais, que tem os melhores gráficos etc). E percebeu-se que quem gastava mais tinha um perfil bem definido: jogava várias horas, gostava de dificuldade, presava por “qualidade”. E com isso não apenas modificaram boa parte do que era até então um “mero brinquedo”, para transformar em objeto de colecionador – sem falar na crescente influência direta dos próprios gamers no que era ou não interessante. Com isso, não se perdeu apenas público, mas também qualidade real, a qualidade de conteúdo.

Versiani disse...

Não, meu pai não voltou a jogar (ainda). Mas meus amigos sim. Eles vão lá em casa jogar uma partida de Guitar Hero, esmagar os botões sem técnica alguma em Soul Calibur (o que resulta em partidas hilárias), quebrar uns carros e causar pânico em GTA, estragar aqueles lindos carros poligonais em Gran Turismo, cair e bater a cabeça em Tony Hawk ou, enfim, bater uma pelota virtual em Winning Eleven. Ainda assim, não têm animação o suficiente para desbravarem as horas e horas de um Dragon Quest, Disgaea, Final Fantasy, Metal Gear Solid, Splinter Cell ou algo do tipo. Não mesmo.

O “gamer”, essa pedra angular que permitiu ao vídeo-game catapultar seu tamanho e influência, também é a mesma pedra que o prende e impede de alcançar novos horizontes. Diga-me: qual a diferença entre os tantos jogos de Playstation e PS2? Qual a diferença entre os minguados títulos de Game Cube e de N64? O que o Xbox trouxe de novo? Nada. Era um festival de seqüências e uma infindável lista de clones. Mais gráficos, mais detalhes, mais opções, mais sidequests, mais acessórios, mais horas de jogo, mais mais mais... Para! Onde foi parar a diversão? Quando foi que jogar exigia tanto tempo e dedicação? Quando foi que isso se tornou algo tão frustrante, tão alvo de paixões e ódios?

Quem sabe um cadin de quadrinhos deve saber o que foi a época em que X-Men vendeu tanto, mas tanto, que todo dia se lançava uma edição de colecionador, que compravam na expectativa de vender mais caro depois. E todo dia era dia de heróis cada vez mais melodramáticos, com mais poderes super-hiper-mega absurdos, com mais mundos e universos (paralelos ou não) em perigo iminente. E virou uma bolha tão grande que uma hora não deu: explodiu. E sobrou pouco leitor pra cotar história.

Não é diferente nos jogos. PS2 vendeu pela pirataria, não se deixem enganar, e porque seus jogos mais populares são exatamente aqueles que possuíam algo mais simples ou que pouco importa quais botões você apertava: jogos de luta (mesmo Soul Calibur, que fora de torneio não é diferente dos códigos e códigos de Street Fighter e Mortal Kombat que poucos decoravam), futebol, música e ritmo ou simples pancadaria (fala aí: quantos vocês conhecem que zeram GTA do começo ao fim e quantos que botam um código qualquer e/ou transformam o jogo em um beat 'em up 3d?).

Francamente? Que diabo de jogo te faz ficar horas para destravar uma opção extra? Que diabo de jogo o chefe demora, no mínimo, cinquenta minutos para ser derrotado? Que diabo de jogo você tem que estudar sua estrutura e regras para não morrer no começo? E isso tudo par alimentar um público faminto, alienado e muito, muito restrito.

Mas os jogos precisavam crescer. Viram que não era coisa apenas de uns poucos e que, também, não era algo apenas para grandes desenvolvedoras. Alguns apostaram, e deu certo. Agora outros tentam correr atrás. E, neste momento de transição, é assim mesmo: surgirão coisas boas, surgirão coisas ruins – como em qualquer outra coisa que os seres humanos põem suas mãos.

Resumindo, não é culpa da Nintendo, nem glória dela. Ela não foi a primeira a perceber isso, mas apenas a que foi bem sucedida comercialmente. Você já podia observar este movimento em diversos jogos do PS2, assim como sucesso absurdamente estrondoso dos portáteis, MMOs e redes sociais de consoles e jogos. Isso trás novos jogares e desenvolvedores? Muda o cenário? Tanto para o “bem” quanto pra o “mal”? Certamente. Mas percebam que mesmo o cenário atual não é o máximo que os jogos podem alcançar – se é que há um limite.

Versiani disse...

A indústria é bitolada e segue, invariavelmente, aonde a grana jorra. É o talento de um ou outro que fazem a corrente mudar. No entanto, os vídeo-games não podem mais ser comportados pela esfera limitada das grandes publishers, depender do talento criativo de uns poucos. Com isso, jogos seguem os mesmos passos de outras artes: é cada vez maior a participação de pequenas empresas, de pequenos grupos e até de criadores solitários.

Reclama-se tanto de jogos mainstream, mas não conseguem virar o rosto um pouco pro lado e ver algo cada vez mais crescente: jogos para nichos específico, jogos experimentais, jogos curtos e baratos vendidos virtualmente. Podem ver isso muito bem na quantidade de novos jogos que permitem ao jogador editar, sem dificuldades e sem a necessidade de habilidades em programação, seu próprio jogo e cenário. Podem ver como agora as empresas se preocupam em criar sistemas que facilitem a programação. Podem ver isso na venda de pacotes para que desenvolvam jogos para seus consoles. Mas podem ver isso mesmo nos jogos inovadores que não ocupam espaço em prateleiras e pipocam pela internet – e com grande recepção dos jogadores e entusiasmo dos críticos.

O que quero dizer é que não existe isso da Nintendo estragar/salvar algo, nem de uma ou outra empresa significar o “bastião da família, bondade e bons costumes do velho gamer”. O vídeo-game é bem mais que um punhado de empresas, que agora, mais do que nunca, depende menos delas. E é bem mais quem um grupo de pessoas.

Hoje, mais que nunca, existe uma quantidade enorme de jogos diferentes, de estilos diferentes, de gêneros diferentes, para públicos diferentes. O que os velhos gamers precisam fazer é uma única coisa: deixarem de ser mimados. Depois de tanto tempo com as grandes empresas lhes dando o que pensavam querer, se acostumaram mal. Se acostumaram a comprar e jogar a mesma coisa, suas seqüências e clones, com mais horas, mais polígonos e mais opções de roupas de baixo. E a ter isso religiosamente a cada temporada, a cada nova geração. Podiam comer merda, mas eram o centro da atenção. Acabou.

Acabou porque vídeo-game não é coisa apenas de gamer da mesma forma que cinema não é coisa apenas de cinéfilo – nem ao menos que estes são os que mais sabem sobre a área ou os únicos que podem criar algo interessante. Finalmente vídeo-game é uma forma de entretenimento para todos, além de uma arte em expansão vertiginosa. Deixem de ser mimados: vídeo-game não é mais uma exclusividade de gamers, nem nunca foi!

Saiam de suas poltronas bolorentas e enxerguem além: novos jogos e novas possibilidades surgem a cada dia! E se querem algo mais, seja desafio, seja inovação, seja qualidade, não dependam de grandes empresas: busquem, estimulem, criem! Tem hoje no mercado infinitas opções para todos os gostos. A maioria pode ser ruim ou mediano, mas assim também o é com música, literatura, quadrinhos, cinema e outras artes – porque haveria de ser diferente aqui?

Versiani disse...

E, por fim, não existe essa merda de “evoluir”, não. Se acham que um game mais simples é “inferior”, estão profundamente enganados. Além disso, o que determina a “evolução do jogador” não é o jogo que ele joga, mas como ele joga. Se ele experimenta coisas novas, se ele sociabiliza o vídeo-game, se ele prima pela qualidade de conteúdo (e não de superfície), este sim é um jogador buscando se divertir mais, aprender mais, crescer mais e incentivar aquilo que tanto gosta – e não para ter a alcunha de “gamer” e se sentir “superior”.

Eu gostaria que meu pai voltasse a jogar. Que ele parasse de achar que “não tem mais idade para isso”, como se jogos fossem para crianças, ou como se jogos para adultos se resumissem a sangue, pancadaria e pornografia. Que ele parasse de achar que “não tem mais tempo para isso”, como se jogos, para serem bons, tivessem que consumir um puta tempo. Que, principalmente, ele parasse de achar que “não tem mais habilidade” para jogar, como se jogar fosse algo difícil, inacessível, exclusivo de quem joga horas e horas e conhece todas as manhas e macetes.

Eu queria que, assim como tantos outros no mundo, meu pai descobrisse, de novo, o prazer de jogar. Porque, afinal, este é o motivo que me fez, durante todos estes anos, sentar na frente de uma pequena caixa de plástico, componentes eletrônicos e possibilidades infinitas.


Nota final: Eu nem conhecia o NSN. Conheci através do Yahho! Posts.

Versiani disse...

Antes que eu me esqueça: um joga consoles de determinada empresa, outro jogo consoles de outra determinada empresa. Parem. Joguem de ambas, joguem de outras fontes, joguem de outras formas. Deixem de falar que um ou outro é bom ou melhor, que é responsável por isso ou por aquilo. Não é. Video-game é mais que uma empresa, mais que uns seletos jogadores. E, principalmente, video-game deve ser algo você goste, algo que você aprecia - não algo pelo qual briga e se frustra.

Dionatan G. Grevinell disse...

Cara, eu tô chorando de emoção após ler este post!!! Que coisa maravilhosa ver alguém falar tanto e tão bem sobre games!!! Eu sou gamer desde o meu primeiro odissey... faz tempo!!! hoje tenho uma bela coleção de video games, incluindo todos da nova geração, compro tudo acessórios, jogos, só não compro portáteis. Então ler este post foi algo extasiante. Obrigado pela sensação que me causou! Me contate: dionatangg@hotmail.com

Anônimo disse...

Olá.
Muito bom o artigo. Enfatizo algo que você já expôs e as pessoas parece que ainda não atinaram bem: o que o Wii fez com os controles, os sensores de movimento, a interação, é altíssima prova de tecnologia, muito mais do que os "mais do mesmo"´: o aumento dos pológonos em jogos. O Wii, antes batizado de Revolution, soube perceber onde a indústria de games falhava, e pode ter prestado uma grande contribuição a essa nova arte, levando-a a universos ainda não explorados (comercialmente): o público comum. Atacar o Wii, assim, é como atacar Hollywood: e convenhamos, isso é coisa do passado, ao contrário da Nintendo, que parece não passar nunca.
Sergio

doansel disse...

PUTA Q PARIL
Q POSTE GRANDE































































SO FIZ ESSE ESPAÇO PRA PODER SER VISTO OU NÂ IAM ME ACHAR

Bruno disse...

Vou ser sincero, esse foi o primeiro par de artigos que eu li da NSN... tal qual outros assuntos (leia-se futebol, política, religião, etc...) é impossível manter total imparcialidade, mas ainda sim vou tentar... antes de mais nada vou citar os consoles q tive ou tenho: Atari, NES, Genesis, Dreamcast, Playstation 2, Gameboy Advance, PSP e WII... Ñ vou negar q sou jogador casual, mas esse post ñ tem esse intuito, apenas quero ressaltar alguns pontos: o propósito da nintendo, tal qual o filipera mesmo comento em seu artigo, foi a de trazer jogos que cativem mais facilmente os “novatos” em games, digo isso pq, apesar de jogos como mortal kombat, final fight ou street of rage e tantos outros, os consoles tinham diversos jogos "familia”... outro ponto, ñ digam q o wii é q é responsavel por trazer pessoas velhas ou que ñ dão a msm importancia que os hardcores dão aos jogos, dos consoles acima citados, meu pai me acompanhou no final de varios até o dreamcast, onde pediu arrego pelo fato de ser 3d, ñ o considero ele casual por isso, apenas vinteage, minha mãe igualmente jogou comigo até o dreamcast, e hj em dia, ñ só o meu gameboy advance "é dela", como ela tbm joga alguns jogos no PSP tbm... a nintendo tem uma imporancia no mercado de games q eu já irei abordar... antes eu quero exemplificar o que eu vou falar... quando vc pega um "aspirante" a futebol, por exemplo, se vc pega o kra, sem nunca ter jogado bola (sei q o exemplo soa impossivel, mas acontece com outros "ramos" de entretenimento), e colocar ele no meio de uma partida de times grandes, (subtenda-se, qualquer par da serie A do brasileirão) pode ter certeza, tão cedo ele vai querer voltar pro futebol, quando vc apresenta algo novo de forma errada vc repele as pessoas q começam a se interessar por elas, o papel da nintendo se tornou fundamental nesse ponto pois em seus consoles ela sempre possuiu tanto jogos "hardcore" quanto jogos "casuais", ela ñ foi a unica a ter ambas categorias, mas foi a que conseguiu conscilia-las melhor, eu msm joguei varios jogos "de vovó" no mega drive, no playstation, e até msm no x-box, então se uma pessoa virar pra vc e falar algo como "nossa vc parece se divertir com esses jogos... posso tentar" , ñ largue ele num campo aberto em um "metal gear solid" da vida, tenha a consideração de pelo menos falar "olha esse aqui é meio complicado pra vc começar, mas vc pode começar por este...", e apresente algo mais facil, acredite, se ele realmente gostar vai achar seu próprio caminho depois, ñ é por causa de atitudes dessa q vc vai criar "pseudo-gamers", vc apenas está sendo um "Morpheus" pra ela, vc está mostrando a porta, cabe a ela entrar ou ñ. Tambem ñ to dizendo pra vc jogar um alex kid na mão dessa pessoa pq ela vai ficar profundamente ofendida por vc chama-lá de burra tão descaradamente... enfim, o intuito da nintendo é trazer "gamers em potencial" de forma tranquila, ñ colocar vc no meio de um exercito com a ordem de ñ deixar ninguem morrer...entretanto existem muitos jogos bons no wii pra quem já joga a algum tempo... Referente ao Prince of Persia ñ é influencia do wii... falando sério, POP 2008 foi uma tentativa fracassada de inovar, pois se ele ñ morre nunca é por pura e simplesmente ñ possuir mais o rewind e sim uma maga que o salve, tbm ñ gostei do sistema do jogo, quanto a parte de ser repetitivo, ñ é por nada, mas eu fechei o sands of time, passei da metade do warrior within (meu save corrompeu T.T) e quase cheguei na metade do two thrones, e digo a vcs q já passava algumas partes de olhos fechados (tá certo, to forçando) mas é inegavel q em todos os prince of persias vc passa pelas msmas coisas, apenas mudando a proporção dos acontecimentos, mas o q conquistou prince of persia foi a estória e ambientação do cenário, pq justamente no POP começou a importar a repetitividade? pq o POP ñ chegou visando combates, e sim exploração... uma vez que vc ñ está empolgado esmagando 500 cranios da msm forma, o jogo acaba se tornando repetitivo... era só isso, e é possivel que eu volte ao NSN para a leitura de artigos futuros.

Anônimo disse...

Conhecí o Wii de uma forma muito bacana, pesquiso dança em um coletivo de artistas que temos na cidade de Sorocaba (Coletivo KD), temos músicos que pesquisam sons e movimentos de forma integrada, essa semana fizemos uma pesquisa com o Wii. Colocamos eles em partes do corpo amarrados e faziamos nossas movimentações, a partir de um programa no computador ele propunha composições sonoras muito incríveis.
É claro que para a gente ainda é muito pouco e até precario, mas assim como tudo acredito que esse tipo de tecnologia vai evoluir e esta começando a desenvolver caminhos muito particulares para entender interação e percepção. Será um grande momento para os games e com toda certeza não estão para tomar o lugar de nada, mas para ampliar as possibilidades de existência do game, ainda vai demorar, mas a "inovação" é muito bem vinda. Fiquei preocupado com a frase "Mostre que é nerd e faça um comentário inteligente!", enfim... Espero ter contribuído de alguma forma.

Bruno disse...

voltei só pra mostrar aonde o WII influenciou:
Video Youtube

Isso prova que o intuido ñ é manchar nenhuma "casta" de jogadores, e sim dar mais possibilidades aos mesmos

Anônimo disse...

Aê. Só pra comentar então:
"Se a Konami (insira no lugar dela qualquer produtora que hoje você considera top de linha) está afrouxando seus games, independente do time que está por trás do desenvolvimento de Silent Hill: Shattered Memories, é porque eles não são bons no que fazem e não merecem o público que tem."

Falou tudo aí. A sacanagem mesmo é das próprias empresas que produzem os jogos, que não se renovam e simplesmente copiam o que tá dando certo.
Mais uma coisa, os títulos da nintendo são sempre muito bons! O nintendo 64 mesmo, tinha MUITA porcaria (na boa, eu não gostei do console) mas os jogos da própria nintendo salvavam ele (Mário, Zelda, Quest...). Como foi citado aí em cima, Sony e MS não tem a mesma qualidade em jogos próprios.
Eu não joguei o Wii pra saber como é, mas acredito que deve ser divertido. Porém, prefiro o clássico e se pudesse compraria um PS3. O problema todo é que essa "casualização" (péssima expressão) força as grandes produtoras ávidas por dinheiro a casualizarem os jogos clássicos (como SH). Não deveria, mas acontece. Dá pra entender a indignação do BruNêra no outro post.

Cleison disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ricardo disse...

quando vc menciona títulos para serem comparados entre os consoles, ps3 e xbox360 por exemplo, e apontar alguma mudança, graficamente e visualmente falando, hipoteticamente justificando a aquisição de tal console, eu não concordo. pq? pq são jogos multiplataforma, e geralmente utilizam a mesma engine, mesma física, etc, com algumas modificações ou alterações dependendo do hardware.

de resto eu concordo com tudo! foi graças ao snes q me tornei um gamer. não me considero hardcore, tenho sim meus jogos preferidos, mas isso não turva minha visão a ponto de ignorar a nintendo e seus "gamers casuais".

lynx disse...

Muito bom esse post,
e adorei a comparaçao com os visitantes para quedistas do blog, pois sou um deles entrei no blog por causa de um post sobre o Irã e agora já to lendo sobre games aqui.
E quanto ao Wii, acrdito que a grande maioria do que foi dito por Filipera acaba por ser verdade(metal gear 2 é uma das exceçoes), e olha que isso é uma coisa dificil de admitir,
pois eu mesmo a pouco tempo tinha um certo receio do novo videogame da nintendo
Ocorre que posso me considerar um jogador "hardcore", do tipo que passa 12h/dia jogando rpgs e jogos adultos tipo chrono triger/cross, metal gear e final fantasys da vida como tem sido tao falado nesses posts, tive a maioria dos videogames nintendo e da sony desde a era do Supernes, e mesmo assim nao da pra negar que se nao fosse a o Wii provavelmente haveria um declinio da industria de games(agravado pela crise economica, já que na verdade este declinio já tinha se iniciado, e como exemplo disso acho que podemos usar a tao discutida situaçao da serie silente hill, a qual sou um grande fa, e que infelizmente nao vem perdendo sua qualidade somente agora, a verdade é que desde o 3º jogo a qualidade vem diminuindo, nao que este fosse ruim mas já podiamos perceber um declinio que continuou com os proximos jogos, outro exemplo sao os rpgs, veja square a alguns anos costumava nos presentear com ao menos 2 grandes classicos por ano(chrono triger, chrono cross, Final fantasy vi, vii, viii, xenogears etc)mas hoje é dificil serem lançados jogos deste porte, sem duvida os final fantasy continuam bons, mas nao tem mais aquela mesma emoçao que os jogos mais antigos conseguiam passar, para provar isso podemos dizer que entre os melhores da empresa atualmente sempre estao remakes, ou continuaçoes como Crisis Core( que acaba por ser um dos melhores final fantasys em anos). A criatividade cada vez mais estava diminuindo, e o wii acaba por ser provavelmente uma salvaçao até mesmo para nós "jogadores hardcore". E quanto a esta estoria de wii estar emburrecendo, para ganhar mercado isto é uma questao complicada, pois a verdade é que toda esta sociedade de consumo capitalista é voltada para alienar,e a sony, microsoft e seus jogos "hardcore", nao se enganem, nao estao fora desse barco, poderiamos passar varaias paginas escrevendo sobre isso mas talvez nao caiba em um comentario sobre videogames.
E por fim acredito que foi um pouco a falta de argumento que levou o rapaz a dizer o que disse de zelda, pois qualquer viciado em jogos, ou jogador hardcore, sabe que é uma heresia dizer akelas coisas(nao vou repetir)de um Zelda, assim como o é dizer que um metal gear é ruim(mesmo o 2 que nao melhor deles).

até mais e espero postar mais vezes por aki

Anônimo disse...

Depois eu leio.

Wallace disse...

Gostei do post mas não li até o fim...
Achei interessante sua abordagem sobre o Wii.
Tenho o ps3 e o xbox360, ds, porém passei pelo gba, gamecube, ps2 e antes destes super nes e nes.
Uso o ps3 pra ver filme/seriado e só tenho o metal gear 4(o que é muuuuuuuuito bom e quem fala mal dele é pq não o jogou ou não jogou os anteriores já q ele consolida tudo).
No xbox eu jogo só os tops.
Metal Gear 2 não é ruim, achei que meio superficial esta conotação.
Entendi que a base do seu post foi comentar sobre as criticas sobre Wii mas acho que ao criticar games é bom sempre apontar os defeitos e nao somente dizer q é ruim...
O problema desta critica aonde se culpa a plataforma pelos jogos está justamente nisto... culpar a plataforma pelo jogo que ela tem.
E daí que o wii tem casuais e poucos hardcores e o xbox fps?
As plataformas em si são boas e suas propostas tb, se as empresas não tem criatividade ou preferem não se arriscar por motivos óbvios de baixas vendas(a gente tem visto um monte fechando ou sendo compradas) parte da culpa é do mercado(ou seja nós jogadores) que temos gosto pelo certo e não pelo duvidoso...
quando vem uma empresa e tenta inovar como o caso do Clover Studio com Okami e fecha logo em seguida por baixas vendas o problema está na inovação? Joguei Okami e o jogo é simplesmente arte jogável. Divertido até o final. Propaganda ruim? Público-alvo ruim?
Na prática as empresas de games estão aí pra vender jogos e se for possível unir o útil ao agradável que é vender muito inovando elas vão fazer o problema está no risco... o risco é que complica as coisas.
Se a nintendo repensou o seu modelo de negócios com o Wii inovando e ao mesmo tempo abocanhando uma fatia do mercado que até então era ignorada, ponto pra ela!
O problema é que a maioria dos jogadores não tem acesso as diferentes plataformas para ter um nível de comparação mais aprofundado ou até esquecer a plataforma em si e pensar apenas no jogo...
As vezes me divirto muito com um joguinho de DS e não com um de Xbox... culpa da plataforma ou jogo?

Enfim, gostei do blog, e faço uma sugestão ao analisar os jogos pelos jogos e não a empresa ou a plataforma... que na prática é apenas o meio usado para mostrar/vender o ideal dos desenvolvedores/produtores.

joneslopes disse...

badalado Metal Gear Solid 4, o supremo game hardcore consegue (Mario Galaxy conseguiu uma nota 97, enquanto a nova aventura de Solid Snake conseguiu um 94. Ah tá BruNêra, até o “casual” Twilight conseguiu uma nota maior que MGS 4)?"
Querer comparar Metal gear solid 4 um jogo que tem uma Estória de dar inveja a muitos filmes de Holywood ,mcom este jogo tosco do MArio , ta louco cara , o wii é uma chatisse sem fim, fica ae jogando estas merdas de criança ,enquanto nos jogadores hardcores jogamos jogos de verdade como Resident evil 5, GTA 4 , Metal gear Solid 4 , Crysis, God of War 3 (esse ultimo não foi lançado ainda mas concerteza vou jogar) , fica ae balançando essa merda de controle , o wii ja era, respeito a serie Metroid mas ela ja terminou no terceiro e ultimo jogo , agora a nintendo só vai ficar lançando mario ate terminar essa geração,

El Borra disse...

Excelente texto. Na boa, xingar Cooking Mama eu entendo, mas Zelda eh imperdoavel. Melhor jogo da historia, e vc SOH balança o wiimote pra usar a espada, mas nada. Re4 wii edition eh considerada por 99% do mundo (menos por esse fulano ai) a melhor versao do jogo.

Não existe coisa de criança. Porque nao posso ser um adulto normal, pagar minhas contas, cuidar de minha familia, viver minha vida e nas horas vagas, jogar mario? Wii TEM hardcore, mario eh mais hardcore que guitar hero. Se n fosse a Nintendo, nao teriamos praticamente nada dos consoles de hoje em dia.

Bruno disse...

Inovações da Nintendo criaram, movimentam e recriam o mercado gamer: chip super FX (predecessor dos games de gráfico poligonais); rumble pak (primeiro a utilizar o sistema háptico humano, algo estudado cientificamente no gamestudies particamente só agora); Virtual boy e sua proposta 3D; N-64 e o primeiro joystick analógico; o Wii mote e o balance board, a virtualização esportiva e do corpo num patamar nunca antes experimentado na cibercultura...
O melhor game de todos os tempos "The Legend of Zelda: Ocarina of Time"... Nós gamers só temos a agradecer e admirar a Nintendo, empresa centenária que iniciou produzindo baralhos e sempre soube inovar e se reinventar, sendo a única sobrevivente na produção de consoles da "velha guarda" dos games (Atari, Magnavox,Sega...). Vida longa a big-N e suas
inovações!
Parabéns pelo post Filipêra.

Bruno Rol

DO KC IK disse...

Sua comparação com o Orkut foi a analogia mais interessante que vi no post. Pois vejo assim tambem, (não que isso seja verdade mas...)"casualidade" é a nova onda do mundo ,não só dos jogos. Com orkut vc nem precisa "bater papo" só manda o recado e já é! A nintendo não esta inventando nada, só acompanhado a tendência do mundo digital(Ex: jogos em flash que na verdade são propaganda. Casual que da lucro ou novo exemplo de evolução neste caminho kinect) Ou você acha que a nintendo realmente esta preocupado se você esta se divertindo(Jamais kkkkkkkkkkkk).rsrrsrsrsrsrrsr

Postar um comentário

Mostre que é nerd e faça um comentário inteligente!

-Spams e links não relacionados ao assunto do post serão deletados;
-Caso queira deixar a URL do seu blog comente no modo OpenID (coloque a URL correta);
-Ataques pessoais de qualquer espécie não serão tolerados.
-Comentários não são para pedir parceria. Nos mande um email, caso essa seja sua intenção. Comentários pedindo parcerias serão deletados.
-Não são permitidos comentários anônimos.


Layout UsuárioCompulsivo