terça-feira, 22 de setembro de 2009

Avatar Voz do Além

Novo passo do Grande Irmão: saber exatamente onde tem gente atirando

 

orwell

Eu não sou um daqueles fanáticos da Rifle National Association que dizem que só deixarão que levem as armas que possuem quando estiverem frios e mortos. Na verdade nem sou a favor do comércio de armas - mesmo tendo votado a favor da continuidade dele no plebiscito aqui do Brasil. O fato é que armas entre a população só atrapalham, principalmente em tempos de pessoas extremamente estressadas, e numa sociedade guiada basicamente pelo medo e por noticiários sensacionalistas… E, armas são o modo de vida de muita gente, principalmente nos EUA, onde qualquer pessoa pode ter a sua, afinal eles têm coisas bacanas como a Quarta Emenda que, entre outras coisas, permite que elas sejam vendidas livremente por aí.

Então, como qualquer pessoa pode ter a sua arma na terra do caridoso Tio Sam, é preciso um sistema de vigilância que garanta que autoridades policiais possam saber com precisão de minutos como e porque as pessoas estão usando suas armas. Afinal, mesmo a indústria de armas tendo um lobby poderosíssimo e lucros astronômicos somente com vendas para a população, não é interessante que eles as usem… somente as comprem e tornem empresas como a Browning, Remington e a Smith & Wesson multibilionárias e influentes forças políticas.

Mas, como tecnologia serve justamente pra isso, eles tiveram uma idéia. Foi o povo que cuida da segurança, do bem-estar, e do sono dos americanos teve essa brilhante idéia: por que não montar um sistema de som que capta tiros? Simples… além de ser uma daquelas coisas que se imagina por que não tive essa idéia antes e fiquei milionário?

A coisa funciona do modo como você acabou de imaginar - na verdade já está funcionando em 45 cidades americanas: sensores de áudio instalados em pontos estratégicos (leia-se: com muito tiroteio) captam sons de tiro e repassam pra centrais, que emitem um alerta pra polícia, que manda um agente pra lá. Parece complexo, mas o governo americano diz que tudo ocorre com a velocidade de segundos, e com a margem de erro de dez metros.

O sistema possui um esquema de quatro microfones por sensor, o que ajuda a determinar a direção de que veio o barulho, e um sistema de GPS ajuda a localizar onde está o espertinho que acha que só porque tem uma arma pode sair atirando por aí.

Admitamos, a idéia é boa, e num país como o Brasil o sistema logo ia ficar louco de tanto tiro que ia denunciar, mas nos EUA, com a venda de arma largamente incentivada, as medidas bem que poderiam ser outras. Posso estar enganado, mas simplesmente proibir a venda de armas, e torna-la algo similar ao Brasil já ajudaria bastante a reduzir o mata-mata desenfreado que rola por lá (não vou sugerir como resolver por aqui, pois isso exigiria medidas semi-ditatoriais, o que vai contra meus princípios libertários).

Mas, o capitalismo fala mais alto, e ter armas vendendo no Wal-Mart é mais lucrativo, tanto para as Remington da vida, como para hospitais, funerárias e toda essa gama de serviços que gosta de pobre infelizes peneirados pra cuidar…

 

[Via G1]

10 Comentaram...

murilo disse...

O sistema não vai funcionar. Pode apostar.

Anônimo disse...

Já funciona, Murilo.

Anônimo disse...

Viva o silenciador!hehe

Mauro Tavares disse...

tudo tem seu lado contraditorio

pode parecer perigoso as pessoas terem arma em casa, mas por outro lado eu acho que é bom.

quando o Estado desama o individuo ele o domina completamente, se nos vivessemos em uma cultura de paz nao existirial exercitos e nem fronteiras, nem cultura pop, mas a realidade é outra, o que a contece é que o Estado quer as armas so pra si e o individuo como um verme indefeso e dependente !!

por isso acho que todos devem ter suas armas, nao para matar o vizinho, mas para se defender do Estado, o verdadeiro inimigo.

agora esse equipamento ia explodir no Rio.

Max, O Observador disse...

eu acho esse sistema interessante e infelizmente necessário, pq a população não denuncia onde está ocorrendo os tiros (pois se denunciasse não seria necessário ter um aparelho que rastreia...)

outra coisa tb: a quarta emenda americana não diz que todo mundo pode ter armas, diz que cada pode manter a arma que achar necessária para manter a sua família e a si mesmo em segurança. Mas o problema maior é a questão do quantitativo desta segurança.

Panthro Samah disse...

Mauro, sua idéia só tem uma falha: Ela parte do pressuposto que as pessoas armadas vão se rebelar contra o Estado. E isso não acontece.

Seja porque as pessoas que possuem armas aprovam o Estado, seja porque não têm interesse em matar pessoas, seja porque conseguem o que querem de outras formas, você não tem revoluções armadas. Nem durante a Ditadura isso aconteceu. Formaram-se grupos armados, ok. Mas qual foi a influência deles para o fim da ditadura?

David disse...

UMA falha???

UAHUAHAUHUAUAHUAHUAUAHAUHAUHAUHAU

Panthro, você está sacaneando... O comentário do Mauro é a coisa mais imbecil que já foi escrita na história do NSN. Primeiro que "cultura de paz" é uma bela duma utopia, levando em consideração que a violência é parte integrante não de uma cultura específica, mas da própria natureza humana. Aí ele propõe que todos tenham armas para se defender do Estado... Boa! Vai dar uns tiros no mensalão, camarada? Fuzilar compra de votos?

Mas o melhor... Cultura pop como produto de uma sociedade violenta UAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHAUHAUH

M7 disse...

No Canadá, até onde sei, a liberdade de se comprar armas é igual. Posso estar enganado. Porque a sociedade Canadense não é tão violenta? Acho esse assunto complexo, não creio que a compra livre de armas seja a causa, mas sim, a paranóia americana de se armar, e de lidar com a mundo sempre de punhos cerrados. Essa agressividade é que está por trás da necessidade compulsiva que eles tem de se armar e de agredir ao seu entorno.O ser humano é intrinsecamente violento? Sem dúvida. Mas existem sociedades que conseguem lidar com esse componente humano de violência de forma menos destrutiva. Não é o caso também da nossa, mas, eu particularmente, não sinto necessidade de me armar. Quanto a ter uma resposta ou certeza, amigos, se eu a tivesse, mas quem a tem, quem a teria?

Mauro Tavares disse...

Pergunte ao pó.

Moziel T.Monk disse...

Só um acréscimo: normalmente os defensores do direito ao porte de arma americanos utilizam o texto da segunda emenda da constituição americana, que diz o seguinte: "Sendo necessária à segurança de um Estado livre a existência de uma milícia bem organizada, o direito do povo de possuir e usar armas não poderá ser impedido." O argumento é que uma população armada impediria a subida ao poder de um tirano através da insurreição armada. Até que ponto isso é válido pros dias de hoje...
Pessoalmente eu já defendi bastante o direito ao porte de arma. Hoje possuo uma opinião mais ponderada sobre o assunto.

Postar um comentário

Mostre que é nerd e faça um comentário inteligente!

-Spams e links não relacionados ao assunto do post serão deletados;
-Caso queira deixar a URL do seu blog comente no modo OpenID (coloque a URL correta);
-Ataques pessoais de qualquer espécie não serão tolerados.
-Comentários não são para pedir parceria. Nos mande um email, caso essa seja sua intenção. Comentários pedindo parcerias serão deletados.
-Não são permitidos comentários anônimos.


Layout UsuárioCompulsivo