sábado, 3 de outubro de 2009

Avatar Colaborador Nerd

Mangá de Ranma 1/2 será relançado

Por Murilo Andrade, do Humorragia

 

47046_2

A primeira vez que Ranma 1/2 foi publicado no Brasil foi em uma edição modorrenta feita pela Animangá anos atrás, em formato americano, com tradução de doer. Cada volume original japonês valendo três nacionais. E ainda era espelhado, ou seja, a Animangá pediu para ninguém comprar o mangá. Como era de se esperar Ranma 1/2 logo foi cancelado pelas baixas vendagens, antes de seu final ser publicado. E ficou a dúvida: alguma editora se arriscaria a republicar o mangá, depois que seu filme foi completamente queimado? Passou algum tempo, a cultura japonesa se firmando cada vez mais em nossas terrinhas e a JBC anunciou que relançará todo o mangá em formato original, como já virou costume hoje das editoras nacionais de quadrinhos japoneses. A primeira edição tem 186 páginas e custa  a fortuna de R$ 10, 90. Cara, isso é metade do que eu ganho de salário todo mês! (Quem quiser me doar um real depois dou o número da minha conta no banco pelo Twitter). O fato é que os mangás estão ficando caros demais. Eu ainda me lembro da época em que era possível comprar um mangá em formato original por míseros três reais e noventa centavos.

A notícia é sensacional. Quando a li no Blog dos Quadrinhos pulei de alegria feito um idiota. Ranma 1/2 é famoso no mundo inteiro e a sua autora Rumiko Takahashi é na minha (humilde) opinião a melhor mangaká do Japão. Seu único defeito é nunca saber o momento certo de encerrar os seus mangás, mais arrastados que cobra doente e com preguiça.

- Hã? O que foi Voz do Além? Claro que vou contar um pouco da história de Ranma 1/2. Ficaí quieto enquanto termino de escrever o post.

Ranma 1/2 narra as desventuras do jovem Ranma, que treinando artes marciais com seu pai Genma, na China, cai com ele em fontes amaldiçoadas, cada uma com uma história de alguém que morreu afogada nela. A partir daí, toda vez que se molharem Ranma vira uma garota e seu pai um panda, só voltando ao normal com água quente. Isto é só um aquecimento da história, tem muito mais no mangá.

Yes! Eu não sou de fazer propaganda de graça, mas a JBC manda muito bem nos seus mangás, por isso acredito que veremos um Ranma 1/2 com melhor qualidade desta vez. O único problema é que todo dia surge uma editora nova de mangás e já tem dezenas de publicações de qualidade incontestável nas bancas. Assim fica difícil adquirir todos os mangás que desejo. Já disse que ganho uma esmola de salário? Pois é.

 

[Via Blog dos Quadrinhos]

9 Comentaram...

Max, O Observador disse...

3,90? eu me lembro da época do 2,90...

saudades...

Thor disse...

Sim a história pode ser legal, blza, mas e esses peitos de fora? você não deu nenhuma informação se o Mangá é "Bom!" ou se só a história é boa.

Eduardo Palocci disse...

quando os mangás custavam 3.90 eles tinham metade das páginas e o salário mínimo era menos do que a metade de hoje. Se você é mais pobre hoje do que era antes, o problema é seu
;p

kenshin disse...

oro! x)

Maíra disse...

O melhor mangá do mundo!

CANUT disse...

caraca... vai ser mto legal...
o preço tá salgadinho...mas como dizem dá-se um jeitinho...

Roberta disse...

Pois eu me lembro de quando Card Captor Sakura saiu: era R$2,50. XPP

Eu descobri em maio deste ano que Ranma 1/2, meu mangá favorito em todo esse mundo XP, sairia pela JBC, não me conti de tanta alegria. XPP Pô, são quase 10 anos de absoluta devoção e, mesmo lendo em japonês, eu gostaria de tê-lo completinho e bonitinho em português.

Bem, eu não acho que a tradução da Animanga era tão ruim quanto foi colocado pelo post. Claro, foi uma tradução de tradução (japonês -> inglês -> português), mas não foi muito errada. O formato era estranho, sim, com poucas páginas e caro. Sem contar a periodicidade do mangá, que era absurda. Foi uma aposta bastante pretensiosa para a Animanga, que era uma loja (que mais parecia uma residência). Era o único mangá que era publicado em 1998, seguido por Pokémon em 1999 e logo em seguida por Dragon Ball e Cavaleiros do Zodíaco em 2000, que foram os mangás que definiram o formato e lançaram a publicação brasileira de mangás em massa. Chegou, então, a JBC, que consolidou a invasão nipônica nas bancas, com muitos e variados títulos.

Não poderia nunca xingar a Animanga pela tentativa de publicar Ranma, pois foi por meio disso que pude conhecer o mangá que viria a ser o meu favorito.
Eu acho que a JBC está pecando em vários pontos da tradução. O primeiro é o fato de utilizarem como base a tradução do anime, que foram eles mesmos que fizeram. Há coisas que foram traduzidas desnecessariamente, como "veterano Kuno", em vez de "Kunou-senpai". Por que não puxar uma nota de rodapé e explicar o que é senpai? (Como se a grande maioria dos leitores já não soubessem...) O mais absurdo é que eles traduziram esta palavra, mas no mangá de Negima a expressão de modéstia "de gozaru" foi mantida na fala de uma das personagens, o que mostra uma incoerência total. E, veja, até o nome da personagem foi grafado incorretamente. Por que isso, se o nome do protagonista de Love Hina, por exemplo, foi mantido (Keitarou -> Keitarô, no sistema Hepburn, que é o utilizado para as transcrições do japonês para o alfabeto romano)?
O segundo ponto é ter mantido apenas parte da capa original da 1ª edição do mangá. Por que tirar o fundo da imagem para colocar uma cor super estranha e berrante? É pra dizer: "Olha, isso é dos anos 80 MESMO, hein?", é pra isso? o_o'
O terceiro, e mais ridículo de todos, é o fato de manter na capa "Da mesma autora de Inu-Yasha". u______u FIM DA PICADA! u____u Claro, eles precisam vender e esta é a estratégia mais fácil, mas também mais ridícula e degradante. Primeiramente, Ranma é mais antigo do que InuYasha, foi por meio de Ranma que Takahashi ficou milionária e espalhou seu trabalho pelo mundo afora. Segundo, que, desculpe, mas Ranma é muito melhor do que InuYasha, principalmente porque não se arrasta tanto. A história de Ranma abre margem para o seu prolongamento, o que não acontecia com InuYasha. Ranma, para mim, é a obra-prima da Takahashi e sempre será. InuYasha é uma obra mais mdura da autora e teria tudo para ser melhor, entretanto, sua longa extensão foi um ponto desfavorável e determinante para que perdesse o posto. Sem contar que Ranma é um mangá despretensioso, engraçado e divertido, diferentemente de InuYasha, que até tem comédia, mas o enfoque é no fantástico.

Enfim, comprem Ranma, porque é diversão garantida! XD

Brish disse...

UAHUAHUAH eu ja ocmprei o volume 1 custaaa 10,90 :O UHAUHAUAHUAH carinho até :/

Anônimo disse...

onde eu consigo os magas da ranma por favor me diz só me add no msn aaliyah_hta@hotmail.com

Postar um comentário

Mostre que é nerd e faça um comentário inteligente!

-Spams e links não relacionados ao assunto do post serão deletados;
-Caso queira deixar a URL do seu blog comente no modo OpenID (coloque a URL correta);
-Ataques pessoais de qualquer espécie não serão tolerados.
-Comentários não são para pedir parceria. Nos mande um email, caso essa seja sua intenção. Comentários pedindo parcerias serão deletados.
-Não são permitidos comentários anônimos.


Layout UsuárioCompulsivo