domingo, 8 de novembro de 2009

Avatar FiliPêra

O Vestido da Discórdia e o Fascismo Subjetivo

 

Waterboarding Middle Ages

Tudo começou, explosivo enquanto Eu simplesmente lia alguns updates do Twitter numa tarde de ócio. Me chamou a atenção o RT de alguém que não lembro o nome que frisava um ataque insano que mais parecia perpetrado por uma horda de selvagens inquisidores (não vou dizer bando de animais, pois eles têm um pouco mais de princípios). O link em questão apontava para um post do blog Boteco Sujo, do jornalista Fausto Salvadori, que já colaborou inclusive com a revista Vice, uma das minhas favoritas.

As cenas do vídeo, mesmo gravadas com a qualidade que um celular permite, deixavam uma coisa clara: não eram seres normais aqueles que estavam fora de si gritando asneiras sem tamanho unicamente porque viram uma moça em um vestido mínimo - que nem é tão mínimo assim, diga-se de passagem.

Mas até aí se pode engolir, afinal estamos falando de uma turba de alunos com mente limitada, que não vêem qualquer problema em não ter opinião própria e literalmente seguir a multidão. Mas a coisa piorou gravemente justamente no sábado (o dia em que estou escrevendo esse texto). A faculdade decidiu que puniria os responsáveis pelo incidente que a tornaria famosa nacionalmente (isso se descontarmos o fato de que ela está em 159 no ranking de faculdades que participam do Enade, de um total de 175. Veja AQUI nesse PDF)… começando pela vítima, tudo feito com um alarde que beira ao usado por Nazistas querendo se mostrar ao mundo.

O resultado foi que a aluna Geisy Arruda, 20 anos (estudante de Turismo), a que estava com o vestido e foi presa na sala por uma multidão de retardados que não tinham nada melhor pra fazer na vida, e teve que sair escoltada pela polícia tendo que ouvir uma faculdade inteira gritando Puta! Puta! - em resumo: ela era a VÍTIMA - foi expulsa da faculdade.

Sim, numa clara e bizarra inversão de papéis, a vítima do caso fui punida, com uma alegação estapafúrdia que mais beira uma bula do Tribunal de Santo Ofício do que uma nota de uma instituição que tem a missão de dar educação superior. Sim, de acordo com a Uniban (nem conhecia essa faculdade, e pelo que conversei com o povo que conheço de São Paulo, é uma porcaria) Geisy "demonstrou um comportamento instável, que oscilava entre a euforia e o desinteresse".

Claro, desfilar pela faculdade é um comportamento instável, mas prender a aluna numa sala aos berros é completamente normal. Ao menos é o que aparenta, já que ela foi punida, mas os malucos que participaram da algazarra que mais se assemelhavam a um bando de hienas risonhas e traiçoeiras quando vêem carniça no deserto do que qualquer outra coisa, ainda não.

Mas eles foram punidos, estão suspensos, Filipe!. E que punição é essa que supostamente ocorre, mas não mostra a cara de quem a recebeu? Expor uma aluna que se veste minimamente, inclusive espalhando notas em tudo quanto é órgão de imprensa pode, mas mostrar os alunos supostamente identificados de toda a agressão não pode? Nem ao menos quantos estudantes foram punidos a nota esclarece, se limitando apenas a tentar embasar a maluquice que foi a ação deles.

Bom, se até o momento a direção da faculdade ainda estava isenta - afinal, ter um bando de baderneiros estudando em seu estabelecimento é completamente normal - agora ela mostrou que é tão culpada, retrógrada e imbecil quantos os alunos culpados pelo tumulto. E agora tratou de colocar em cena a impunidade para que um bando de filhos de papai que estudam em uma das piores faculdades do Brasil (não sou Eu que tô dizendo, é o MEC) continuem com o aval da direção para continuar com seus atos.

 

vestido_estudante_uniban

A essa altura você pode estar pensando: Mas o anúncio disse que ela usava roupas curtas para provocar (e provocar um professor, de acordo com o depoimento de um aluno), e desfilava à vontade pela faculdade, o que ia de encontro às regras da instituição. Bom, mesmo levando-se em conta que tudo isso aí em cima seja verdadeiro, por que a direção não tomou providências antes? Ou por que ela não tentou impedir que o tumulto tomasse as proporções que alcançou? Ou ainda não expôs os nomes dos supostos culpados que ela já supostamente suspendeu das aulas (cadê a expulsão, porra, já que eles tiveram um comportamento muito mais instável do que usar roupa curta ou provocar professores?)? Bom, parece que os erros da Uniban não foram poucos… e são mais injustificáveis do que aparentam.

Mas "A educação se faz com atitude e não com complacência", como foi intitulado o anúncio que espalhou ao Brasil inteiro que a Uniban mais se assemelha a Inquisição do que a uma universidade. Porém, ela deve ter esquecido que atitudes devem ser pensadas e não vomitadas, de forma ainda mais suja e degradante do que as atitudes idiotas de um bando de idiotas.

______________________________________________________________

E quando você acha que não é possível fazer humor com um caso desses, abaixo está um vídeo genial - que já nasce clássico - tirado do Passaralho, o blog do Cardoso para as maluquices do Twitter. Basta dizer que até Hitler tem vergonha de ser comparado ao povo da Uniban.

 

16 Comentaram...

All3X disse...

Nem se a garota estivesse nua na faculdade, pois se assim fosse, o que deveria ocorrer era a “instituição de ensino” pedir para que ela se retirasse, ou se quisesse adentrar no local, que se vestisse de forma apropriada. Mas nada exime a (ir)responsabilidade de quem age da forma como a foi vista. A conduta irregular de alguém não autoriza ninguém a também da mesma forma irresponsável. Lamentável situação de regresso...

natario disse...

UNITALIBAN

Mario disse...

Eu acho que não é desculpa isso, concordo com a universidade.

Tarilonte disse...

Vamos fazer umas suposições. Suponhamos que Geyse seja uma moça, como dizem os baianos, arretada ou, como diriam os paulistas da Uniban, puta. Talvez ela faça o tipo mulher-vulgar-quase-fatal. Talvez ela goste de usar roupas provocantes e, mais que isso, talvez ela não finja ser surda quando algum rapazote cheio de si faz um comentário maldoso quando ela passa, cuja finalidade é apenas se afirmar perante os outros rapazotes que formam seu grupinho de galinhos garnisés.

Imagine que situação humilhante para esses pobres garotos com capacidade mental ainda incompleta, em plena formação de sua identidade e extremamente dependentes da aprovação de seus colegas, quando tentam realizar o importante ato social de bancarem os fodões pra cima de uma menina, e em vez dela colaborar e cumprir o seu papel de ficar ruborizada e, calada, apressar o passo, resolve se insurgir contra o que está posto e mostra para o macho que ele não é assim tão macho.

Anônimo disse...

O que podemos esperar de um ensino que se diz superior ter admitido pessoas como as que aparecem vulgarizando a moça?
Concordo que existem trajes apropriados pra todas as situações e locais, mas num lugar publico, a não ser que estaja especificado, não há! Acho mesmo que se ela quisesse ir nua lá não haveria impedimento, e se fosse considerado improprio não deveria ser permitido sua entrada.(ponto)
Imagino qual seria o motivo pra uma universidade inteira agredir uma pessoa pelo simples fato de vestir roupas 'mais confortaveis', é de um irracionalismo que não se escreve! Além de ser uma falsa moralidade sem tamanho! Afinal, nos colégios (acontecido no Paraná) alunos matam aula pra 'dar umazinha' no banheiro no melhor estilo 'manage a trois'. Não estou defendendo a vulgarização das instituições, mas alertando pros revoltados de plantão que se revoltem com coisas que realmente possam levar à uma melhora de alguma coisa, como por exemplo:
Melhorar o corpo docente, dando preferencia à mestres e doutores;
Melhorar os planos de ensino dos cursos;
Melhorar/implantar sistema de bolsas internas pra pesquisa (uma instituição de ensino superior deveria mesmo incentivar a pesquisa! coisa que não acontece de fato [salvo, as pucs da vida e IGV).
Revisar as grades curriculares e exigir melhoras...

Brigas por estas questões melhorariam e muito a UNIBAM, pelo menos sua colocação na classificação do MEC.

Agora, fazer tamanho estardalhaço por um vestido cor de rosa que PODE ser considerado vulgar. Ou todos lá são VIADOS ou não vejo motivo pra não se gostar da visão...

"JP" disse...

O fato é que a mulher é gostosa pra caral**.

Nathan disse...

Esse é o primeiro post do NSN em que eu não pude aproveitar nada.
Você trouxe o tema para a esfera mais 'boring' que eu já pude ler sobre toda essa algazarra que se fez (alguém viu o reporte patético da UNIBAN sobre o caso na TV?).
Não dá pra ler o que você escreveu, olhar pra carinha de Geisy-girl e soltar aliviado um "ok, champz".
Mas, olha, só tenho a dizer que tudo sobre esse minivestido foi um grande desperdício, sobrando pano até pro New York Times dar o seu pitaco.

May Cry disse...

Uma instituição privada tem a prerrogativa de estabelecer regras de convívio e conduta dentro de suas dependências, a priori, em caráter de antecipação, desde que essas regras respeitem a legislação do Estado democrático. O que não é aceitável é que: Tais normas surjam a posteriori de um evento, e com caráter de endosso ao comportamento de linchamento moral do grupo de estudantes que atacou a moça em questão; Que a vítima desse moralismo de ocasião seja punida como causadora do problema;Que o comportamento desse grupo não seja punido. Que ninguém se iluda; Esse tipo e comportamento, quando não é confrontado pela sociedade de forma clara, volta a se repetir, e as vezes de forma mais trágica que esta. Esse tipo de bando fascista vai permanecer ali, letárgico, esperando a oportunidade de fazer algo pior.

Pina disse...

Poxa, no meu tempo chamavamos uma garota como ela de Gostosa (o que ela é) e não ficava gritando puta!! A uniban (minusculo mesmo) já tinha fama de picaretagem (olhem o blog do Luiz Nassif sobre mais informações) agora, com essa ai...Enfim, cá entre nós, é coisa ou de mulher despeitada, invejosa (traduzindo: baranga mal comida) ou de gay enrustido (tá vendo a moça como concorrente - deixo claro que não tenho nada contra gays)
Para finalizar, as piadinhas sobre paulistas vão ficar piores depois desse episódio, graças à esses animais mauricinhos!!!!!Puta que pariu, ninguem merece!!!!!!!

Alessandro Soledade disse...

Belo texto!
A euforia que os estudantes fizeram por causa da garota foi ridícula e a atitude da Uniban mais ainda.
Talvez seu traje não fosse apropriado para o lugar que frequentava, mas isso não justifica vários seres insanos - que realmente não merecem ser chamados de animais - de constrangê-la a tal ponto.
E ainda por cima a Uniban a expulsa? Sua humilhação é exposta na internet e ainda é punida com o argumento "a sua intenção era justamente chamar a atenção dos rapazes e causar alvoroço". AH PELO AMOR DE DEUS!
Afinal, gostei do "uma turba de alunos com mente limitada, que não vêem qualquer problema em não ter opinião própria e literalmente seguir a multidão". Por que os jovens de hoje são tão alienados? -.-"

Joelma Alves disse...

"Eu acho que não é desculpa isso, concordo com a universidade."
Tá zuando,né????
Qntas vezes eu já vi gente na minha Faculdade com roupas menores q essa!
E olha q o pova acha q aki em RO só tem onça e índio...Pelo menos o pessoal daki é mt mais civilizado q esse bando de filhinho-de-papai!
E olha,esse vestido nem tá curto!
Eu acho q deve ter acontecido algo especial nesse dia,tipo um teste com uma nova arma química q deixa as pessoas totalmente insandecidas.Q nem nakele jogo,Infamous...
É isso.

Victor disse...

Parabéns pelo post!

Há também outros dois artigos importantes sobre o caso. O primeiro aborda a questão dos alunos, sob uma perspectiva social e psicológica. O segundo trata da Universidade.

Recomendo a leitura do artigo de Contardo Caligaris sobre o assunto, muito esclarecedor sobre a reação dos alunos:

http://contardocalligaris.blogspot.com/2009/11/turba-da-uniban.html

E, sobre a atitude da Uniban, o artigo publicado no blog do jornalista Nassif é fundamental, por abordar as políticas públicas que levaram à criação dessas "Universidades-Shopping-Centers":

http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2009/11/08/a-fabrica-de-alunos-da-uniban/

A reação da Uniban só comprometeu ainda mais a sua reputação. E o pior é que o caso está tendo repercursão lá fora, e já estão tratando o Brasil como uma República das Bananas. Ou melhor, uma República MEDIEVAL das Bananas.

Anônimo disse...

Outro bom blog com informações sobre o caso e mais um link para reportagen estrangeira sobre o caso:

http://tsavkko.blogspot.com/2009/11/uniesquina-unibando.html

http://observers.france24.com/en/content/20091109-expelled-wearing-miniskirt-class-brazil-geisy-arruda-video

Anônimo disse...

Esse episódio é muito triste, principalmente porque os alunos da Uniban se mantiveram contra ela, a favor de sua expulsão, defendendo "a moral e os bons costumes". Em vez de mostrar que não são cabecinhas ocas, confirmaram. Acho que merecem a droga de universidade na qual estudam. Tenho pena das exceções.

Maringa disse...

E agora muita gente generaliza e desce a lenha em TODO estudante da Uniban. Isso também é uma demonstração (gravíssima) de ignorância.

Tenho mais pena dos alunos dessa universidade, que verão seus diplomas reduzidos a meros pedaços de papel, do que dessa tal Geisy escandalosa.

Anônimo disse...

Mas "A educação se faz com atitude e não com complacência"... complacente como só a UNIBANdodedesocupados foi... educação passa longe! Ainda bem que ela mesma reconhece! Eheheheheeheh

Eu vivi uma situação similar no meu tempo de adolescente. Peguei uma calça jeans e enchi de bolinhas brancas. Usei somente um dia na escola porque fui chamada no setor competente e avisada que não poderia usar a calça por não estar de acordo com o uniforme escolar. É assim que a coisa tem que ser!

Postar um comentário

Mostre que é nerd e faça um comentário inteligente!

-Spams e links não relacionados ao assunto do post serão deletados;
-Caso queira deixar a URL do seu blog comente no modo OpenID (coloque a URL correta);
-Ataques pessoais de qualquer espécie não serão tolerados.
-Comentários não são para pedir parceria. Nos mande um email, caso essa seja sua intenção. Comentários pedindo parcerias serão deletados.
-Não são permitidos comentários anônimos.


Layout UsuárioCompulsivo