segunda-feira, 3 de maio de 2010

Avatar Colaborador Nerd

Os Homens que Não Amavam as Mulheres

Por Paulo Roberto Júnior, do blog Em Parallelo

 

livros%5B2%5D[1]filmes[3][3]cover-145350-600

[Aviso: o texto abaixo está cheio de spoilers. Considerem-se avisados]

Quando pensei em escrever este texto logo me veio o seguinte pensamento: “Novamente haverá a famosa discussão de que o livro é melhor do que o filme”. É claro que existem exemplos de filmes que foram tão bons quanto seus livros, como também livros que são tão ruins como suas produções cinematográficas (nem preciso citar nomes). Esta obra como um todo não se trata de uma sumidade no mundo da literatura, mas com certeza não pode passar despercebido.

Sempre gostei de um bom livro de romance policial, na verdade como se diz no jargão popular gosto de um livro que me prenda. Não só isso, mas livros que façam nossa imaginação fervilhar, não deixando nossos olhos se desviarem nenhum minuto sequer enquanto não se findar a leitura da obra. Como eu disse, Os Homens que Não Amavam as Mulheres não se trata de uma obra prima da literatura, mas sem dúvida convida a partilhar os mais variados sentimentos ao longo de sua leitura. Esta obra faz parte da trilogia Millennium escrita pelo jornalista sueco Stieg Larsson, sendo esta obra a primeira da série. A título de curiosidade, Larsson não viu o sucesso de suas obras, pois após entregar os manuscritos aos seus editores o mesmo veio a falecer de um ataque cardíaco, uma pena devo ressaltar.

O livro conta a história do jornalista Mikael Blomkvist. Após publicar em sua revista Millennium (será por isso o nome da trilogia?) acusações contra o poderoso financista Hans-Erik Wennerström sem as devidas comprovações, Mikael é condenado pela justiça a três meses de prisão por difamação. Caindo em total frustração pessoal e profissional, o único pensamento de Mikael agora é justamente sair do foco de toda aquela confusão não só para que sua revista sobrevivesse àquele escândalo, mas para colocar a cabeça no lugar enquanto aguardasse o dia em que fosse chamado a cumprir sua pena.

Na semana de natal, sozinho, arrumando suas coisas no que seria seu último dia na redação de sua revista, Mikael recebe uma ligação o convidando para uma reunião com ninguém menos que Henrik Vanger. Mesmo relutante acaba aceitando e vai até sua casa situada em uma ilha a três horas de Estocolmo.

Henrik Vanger, um idoso com mais de oitenta anos é o patriarca da conturbada Família Vanger, um clã onde o dinheiro e poder sempre falou mais alto. Há mais de quarenta anos Henrik possui um fantasma em sua vida, o desaparecimento de sua sobrinha Harriet em meio a um turbilhão de confusões, começando por uma reunião em família, passando por um acidente na única ponte de acesso a ilha e por fim o efetivo desaparecimento de Harriet. Harriet era a menina dos olhos de Henrik, inteligente, sensível e tida como possível sucessora de seu trono no momento oportuno. Pode-se perceber que em um família como essa o que não faltaria seriam suspeitos que a queriam fora de seu caminho.

Henrik então propõe a Mikael que desvende todo este mistério e escreva uma biografia do Clã Vanger, com a promessa de salvar sua revista da falência em virtude do escândalo que a cercara, mas também o pagamento de uma vultosa quantia em dinheiro. Relutante Mikael aceita a proposta.

 

147428

147430

Em sua árdua busca Mikael começa a descobrir evidências que outrora não foram levadas em conta (para sua total surpresa), mas em um dado momento, em que se vê com inúmeras perguntas sem as devidas respostas percebe que precisa de ajuda, momento este que conhece Lisbeth Salander.

Lisbeth Salander era uma investigadora excepcional, inteligente, perspicaz e possuía habilidades inimagináveis com a computação, como Mikael dizia: “Lisbeth, você é uma puta hacker”. Possuía uma magreza anorexa, poderia ignorar uma pessoa facilmente, mesmo que estivesse gritando à sua frente, se vestia como se fosse a um show de punk rock e Mikael logo de cara tinha certeza de que ela possuía um ódio descomunal pelas autoridades e a sociedade em que vivia, mas ao mesmo tempo percebeu que se houver um segredo a ser descoberto Lisbeth é a pessoa certa que iria fazê-lo. Aos poucos, Mikael e Lisbeth mergulham nas investigações e ao desvendarem os mistérios começam a descobrir um “circo de horrores”, como cita o livro.

Os Homens que Não Amavam as Mulheres é um suspense maravilhoso, intrigante com uma narrativa inteligente que não cansa o leitor, atiçando sua curiosidade e com uma riqueza de detalhes que leva o mesmo a viver intensamente os acontecimentos. Larsson em sua narrativa consegue prender o leitor a cada página de sua obra que com certeza merecia virar um filme, o qual passo agora a comentá-lo.

 

66509923_1-Imagens-de-Os-Homens-Que-Nao-Amavam-as-Mulheres

O filme teve sua estréia no dia 27 de fevereiro de 2010 na Suécia, com o mesmo título do livro, se tornou um grande sucesso não só no país de origem de Larsson, mas em toda a Europa. Dirigido pelo norueguês Niels Arden Oplev, estrelado por atores obviamente suecos e pouco conhecidos em “nosso mundo” como Michael Nyqvist, no papel do jornalista Mikael Blonkvist e Naoomi Rapace como Lisbeth Salander.

Como eu disse no início do post geralmente as adaptações para as telonas, salvo raríssimas exceções, nunca são tão boas quanto a dos livros, sinto dizer, mas a adaptação deste livro não foi uma exceção à regra geral. O livro, como todos que leram puderam constatar que daria um excelente filme o que neste caso não se sucedeu. Não entendi o motivo de tanto sucesso por um filme tão ruim, deixe-me explicar meus motivos.

Parto sempre do pressuposto que um filme baseado em uma obra literária deveria ao menos obedecer a ordem cronológica dos acontecimentos, mesmo que cortando algumas partes menos importantes do livro. Ocorre que os acontecimentos ao longo da película ocorrem de forma absurdamente discrepantes e não só isso, foram cortadas importantíssimos fatos no desfecho da história. Se a pessoa que for assistir ao filme não tiver lido o livro fica sem entender absolutamente nada no desfecho do filme, realmente ridículo.

Os atores para o cinema sueco devem ser sumidades, mas sem dúvida para nós que estamos acostumados com nomes como Robert de Niro, Morgam Freeman dentre outros, sem dúvida, chegamos a conclusão que os mesmos são absolutamente desprovidos de qualquer emoção, sem passar em nenhum momento o suspense que norteia a história literária. Michael Nyqvist em nada se parece com o Mikael Blomkvist descrito no livro, já Naoomi Rapace fisicamente se parece muito com o personagem de Lisbeth Salender, mas em nenhum momento demonstra a fúria e o total desinteresse pelas pessoas que são características marcantes no personagem original.

 

147432

147434

Para que os fãs da obra não se entristeçam, já foi confirmado a versão hollywoodiana da obra que terá como diretor nada menos que David Fincher na direção. Para quem não conhece, David dirigiu filmes como Se7en e Clube da Luta (não preciso dizer mais nada né?). A produção do filme começa ainda este ano com previsão de lançamento para 2012, isso se o mundo não acabar primeiro (só para descontrair). Muitos nomes estão sendo cogitados para o filme, mas o que se sabe é que os cotados para o papel de Mikael Blomkvist são George Clooney e Brad Pitt, o que não me agradou muito e de fato me deixou um pouco apreensivo. Para o papel de Lisbeth Salander já foi confirmado o nome de Carey Mulligan, para quem não a conhece ela concorreu ao Oscar e Globo de Ouro no papel de melhor atriz na pele de Jenny no filme An Education (2009). Não tenho o que falar dela, mas fisicamente ela nada se parece com a Lisbeth do livro, contudo o que nos resta é esperar e ver se Hollywood assim como os suecos irão estragar a obra de Stieg Larsson.

Mesmo assim quem quiser assistir ao filme no cinema, o mesmo terá sua estréia no dia 14 de maio deste ano nas telinhas tupiniquins, mas antes aconselho a dar uma espiada no trailer abaixo apesar de trailers não dizerem muitas coisas sobre os filmes.

 

Crédito das imagens

7 Comentaram...

- Lord ♪ disse...

Bem a muito tempo esperava algum comentário sobre a triologia Millennium por aqui. Leitor ávido, foi com muito gosto que completei a leitura dos três livros de Stieg Larsson. A história tanto analisando individualmente cada livro ou analisando os três, é fascinante. Por recomendação de um amigo li o primeiro livro e logo estavamos debatendo sobre as questões. Quando soube do filme fiquei extremamente ansioso. Cheguei a baixar o filme por torrent, mas meus conhecimentos são bem limitados e não consegui a legenda. Ao saber da estréia no dia 14 (sabia antes do post)fiquei novamente contando os dias, e confesso que esse post me desanimou muito. Mesmo assim estarei lá no dia 14 para assistir. E sobre a produção hollywoodiana eu espero muito pelo diretor. Sobre os atores me divago, não queria ver um George Clooney ou mesmo Pitt como Blomkvist. Dei uma olhada rápida no link falando da atriz e fiquei assustado quando vi o nome de Kristen stewart cotado para representar Lisbeth Salander. Mas quanto ao livro recomendo sem restrições alguma!
"A Sally que me ensinou os benefícios do golfe."
Essa frase me marcou!

Paulo Gomes disse...

Idem o comentário anterior como leitor fiel do fórum e um amante dessa trilogia fantástica a tempos esperava por esse post. Os livros são únicos, fascinantes, intrigantes e apesar de nos últimos tempos eu estar tendo um certo preconceito a essa mania dos autores de lançarem trilogias para prender os leitores e vender mais, essa é a MINHA opinião, essa é uma trilogia que vale a pena ser adquirida. Personagens marcantes, história envolvente e um final, final. =D
Assisti os filmes, suecos e são em boa parte fiéis aos livros, considerando os tamanhos dos mesmos e a complexidade da história diria que a adptação foi boa. Agora resta esperar a versão de Hollywood.
É isso, belíssimo post!!!

LOSK LOSK LOSK disse...

Nossa ainda estou no terceiro livro, esse é o melhor da trilogia na minha opinião.
Concordo plenamente o que vc disse sobre o filme parece que foi feito para quem leu o livro...pois só nós podemos entender o filme.

Joelma Alves disse...

Eu estou querendo muito ler essa coleção.Como fui iniciada na leitura pelos livros da Agatha Christie,então adoro todo tipo de romances policiais!Só estou esperando o Submarino resolver fazer uma promoção com a Trilogia. =D Que bom q o NSN está dando mais espaço pra resenhas de livros,realmente era algo d q eu sentia falta por aki! ^^

tety lawson disse...

ja li o livro 1 e 2 gostei msm do 2 q tem uma narrativa bem mais dinamica e rapida, e o leitor nem precisa ler o primeiro livro para entender a historia do segundo. agora sobre o filme os atores axei totalmente fora do padrao da historia o mikael pela idade parece mas o visual nunca me passou pela cabeça ele parece um pouco gordo para um cara q ja foi do exercito, e a lisbeht axei ela alta e diferente ja q umas das suas caracteristiccas mais marcante no livro é seu corpo q parece de uma garota muito mais jovem e suas tatuagem e estilo rockeiro. mais a historia do livro é fantastica principalmente sobre o tutor dela ^^

Daiane Santana disse...

MEUUUUU DEEEEEUS! Não acredito que eu não tanha visto esta matéria ainda... hunf

Bom, eu já comentava sobre este livro com o Filipe desde o ano passado, quando o comprei em Goiânia/GO, o rapaz da livraria havia me dito que era muito bom, um sucesso rescente, afinal de contas eu procurava um conto policial, havia acabo de ler Guerra Sem Fim (ficção científica) e não gosto de repetir gêneros, se não eu me confundo rs =P

Mas confeço que eu não me arrependi da compra, sou super fã da Lisbeth Salander, tuitei várias vezes que eu queria ser como ela rs =D uma personagem super foda!! =P com certeza a leitura é muito boa, destas que te deixa curioso para voltar a ler o livro.

Já sabia deste filme, na verdade, um dia fui procurar na net sobre o livro e o google me mostrou o trailer, como estava lendo o livro ainda, procurei não me aprofundar muito, digo, baixar o filme =D

Pelo o que vejo, foi uma boa escolha, a minha rs Mas esta história aí, de HollyWood se interessar a fazer o filme, juro, me deixou super feliz aqui =D Adoooooro =D E fico com você, espero que não saia uma obra de má qualidade, mas eu tenho esperanças, pelo grupo, não vai vir coisa ruim, assim espero!

No último salão do livro do TO, mês passado, comprei os outros 2 livros (A menina que bricava com fogo e A rainha do castelo de ar)... ainda não comecei a ler, porque tenho Harry Potter 6 (terminando) e o 7 para fechar =D Mas logo vou DEVORA-LOS!

Parabéns pela matéria! sucesso ^^

CINEFILOMANIACOS disse...

Aos 14 anos de idade, Harriet Vanger desapareceu sem deixar rasto. Quase quarenta anos depois, o jornalista Mikael Blomqvist é contratado pelo industrial Henrik Vanger para escrever a história da família Vanger. Teria que buscar no passado, processo de um caso de assassinato de 40 anos, não solucionado, envolvendo uma família bem conhecida corporação com ligações nazistas, e os 24 anos de idade hacker Lisbeth Salander EMO (Noomi Rapace). Quando ela entra em uma cena, você bloquear seus olhos para ela e não deixe de ir, de olhos penetrantes me deu arrepios ao longo do tempo. Um filme nórdico, e com excelente história, de dar inveja a Hollywood, com grande atuação, o que mais você precisa? Noomi Rapace é fenomenal como protagonista Michael Nyqvist e apoia-la em uma maneira grande. Não perca este filme. É um thriller de construção lenta, Os Homens que não amavam as mulheres “The Girl With The Tattoo Dragão ou Män Som Hatar kvinnor” é uma refrescante história diferente, assumindo o enigma “gênero policial”. Este filme sueco tem cargas de grande cinematografia, aproveitando o lado belo país sueco bem como enquadrar a história assustadora. As caracterizações principais são muito bem servidas pelo elenco que se encaixam naturalmente nos papéis que desempenham com grande realismo. Os homens que não amavam as mulheres são baseados na primeira história Stieg Larssons três romances mais vendidos na Europa. No mundo fechado de distribuição de filmes, pouco suecos passam na “peneira”, mas são de boa qualidade. Mas este filme não é algo que não pode ser ignorado! E verá um dos filmes mais emocionantes sueco em um tempo muito longo! A história do filmes é muito interessante e intrigante (para aqueles que não leram o livro) e que o ritmo é constante com algumas situações realmente tensa. A parte de investigação da história é excelente. Embora sejam 2,30 horas de projeção, ele nunca é chato. A segunda parte e terceira parte já estão no mercado europeu, previstos para serem lançados no Brasil em 16/07/2010 e 03/09/2010 respectivamente, já tive oportunidade de assistir: A Menina que Brincava com Fogo (The Girl Who Played With Fire/Flickan Som Lekte Med Elden -2009) – e A Rainha do Castelo de Ar (Luftslottet som sprängdes – 2009) são a continuações das investigações, mas que tomarão outro rumo, com tanta ação como o primeiro. Imperdível. Anotem em suas agendas. Nota: 10,0

Postar um comentário

Mostre que é nerd e faça um comentário inteligente!

-Spams e links não relacionados ao assunto do post serão deletados;
-Caso queira deixar a URL do seu blog comente no modo OpenID (coloque a URL correta);
-Ataques pessoais de qualquer espécie não serão tolerados.
-Comentários não são para pedir parceria. Nos mande um email, caso essa seja sua intenção. Comentários pedindo parcerias serão deletados.
-Não são permitidos comentários anônimos.


Layout UsuárioCompulsivo