quinta-feira, 6 de maio de 2010

Avatar Dolphin

Boy Bands – Nada De Novo No Front

 

image

Recebi o vídeo lá de baixo de um amigo, a intenção dele era óbvia: me fazer rir. Fiquei ali parada assistindo e me perguntando qual é a graça de ver um conterrâneo arrastando os “S” que se camuflam em “X” com aquele chiado natural do sotaque carioca e que abusa na encenação a lá Felipe Dylon? E que tenta – sem sucesso – dar à famosa ginga malandra típica do subúrbio da cidade, um quê de “menino do Rio que curte uma onda e é descolado”.

Além de ser excessivamente caricato, despeja um tal número de verborragia que chega a ser constrangedor, por não ter absolutamente nada de novo. O rapazinho, que pelo visto sonha com a fama em tempos de Web 2.0, apenas repaginou um velho discurso que se repete década após década, ou será que ele realmente acredita que bandas de garotos que cantam músicas com letras vazias, que fazem tipo no palco para agradar aos fãs, são algo dos tempos modernos? Roberto Carlos “apaixonado pela namoradinha de um amigo seu” já dava conta do recado, por sinal, muito bem acompanhado pelos 'tremendões” da Jovem Guarda.

O aspirante a futuro membro do CQC (sic e sic), diz que não faz sentido essa “gente colorida”. Oi? Boy Bands já existiam muito antes de você nascer neném! Quem não se lembra mesmo desejando esquecer, de algumas dessas bandas? Backstreet Boys ou New Kids on the Block para falar de duas que tiveram sucesso estrondoso. Ou as que marcaram a minha geração anos 80: Menudo, Dominó, Paquitos, Polegar, para citar as mais conhecidas?

Vejamos: naqueles tempos esses grupos eram idolatrados pelas meninas e em geral odiados pelos garotos. Desses últimos as expressões mais comum eram: “bando de gayzinhos”, “tudo bicha”, “parecem mulherzinhas”, “olha só como rebolam os maricas”, “que dancinha ridícula” e por ai vai. Alguma semelhança com os tempos de hoje???

Ah! - Me dirão muitos - a diferença de hoje é que eles são todos um bando de emos que estimulam os fãs do sexo masculino a soltar a franga, né? Ou como o mocinho do vídeo disse: Fazer pose de “viadinho”.

Primeiro, não esqueçam que até a geração passada – e me refiro a média de idade dos leitores do blog – não era fácil para um garoto assumir sua identidade sexual, se o preconceito ainda hoje é terrivelmente forte, quiçá há dez anos atrás… Ricky Martin que o diga!

Segundo, o autor do vídeo afirma que existe uma moda entre esse público em ser gay ou bi. Eu sei que existe um bocado de poser por ai, já fui a balada alternativa o número suficiente de vezes para ver essa garotada, mas daí a dizer que é moda são outros quinhentos.

Fato é que toda uma nova geração está aceitando a si mesmo, a sua sexualidade, naturalmente e me surpreende que essa constatação tão básica, de que as pessoas se agrupam por afinidades, seja tratada com tanto preconceito. Abre o precedente para que eu diga por exemplo que futebol é um esporte idiota e que todo torcedor é um energúmeno. Aposto que muitos ao lerem isso me xingaram mentalmente ou audivelmente... incomoda né? Então lembrem-se, ninguém gosta de ser julgado, ainda mais se for por suas escolhas pessoais.

Só posso dizer que lamento por todos que assistem ao vídeo e o consideram engraçado. Nada há de engraçado ali além do sotaque “carioquês”, que por sinal vem recheado de palavrões ditos por um mocinho que tenta inutilmente bancar o descolado usando para isso um discurso preconceituoso e homofóbico. É um direito dele não gostar das Boys Bands, de não gostar do estilo emo, mas jamais deveria esquecer que existe uma grande diferença entre crítica inteligente e grosseria disfarçada de indignação. Respeito é bom e todo mundo gosta, sejam héteros, LGBTS, emos, punks, flamenguistas, vascaínos, e por ai vai! Vive la difference!

Abaixo uma seleção de imagens especiais das Boys Bands da minha época, porque recordar é viver e atormentar vocês é uma “dilícia”!!!

 

[bb01]

MENUDO

- ARQUIVO [BB01] -

Fiz parte de uma banda cover dos Menudos, fã paga todo o tipo de mico com alegria no coração! =P

 

[bb02]

DOMINÓ

- ARQUIVO [BB02] -

Era tão fã que passava horas escutando o disco de vinil, até o belo dia em que meu irmão caçula em protesto o transformou em frisbee arremessando-o pela janela do apartamento! =P

 

[bb03]

PAQUITOS

- ARQUIVO [BB03] -

Nutria uma paixão platônica pelo Xandi – sim, eu lembro do nome do sujeito – tão forte que escrevi uma cartinha toda apaixonada, estou esperando resposta até hoje! =P

O famigerado vídeo:

 

LINK

Roberto Carlos e sua franjinha emo:

LINK

24 Comentaram...

A Pig disse...

Concordo que em Noventa por cento do que você disse está correta, realmente julgar homosexualismo é ridiculo.

Contudo eu vi o video( e sim eu ri, mas desde pequena sempre achei incabível gostar de algo como "não se reprima", e principalmente quando ele fez a própria letra mostrando sua total inaptidão pra coisa) e concordo que a indignação foi sim exagerada para um tema que já existe a séculos.

Só que num ponto eu concordo, da mesma forma que me incomoda ver cenas de sexo na tv em horário nobre, pois acho desnecessário e ridiculo.
Da mesma forma que acho casais se agarrando em locais públicos algo desnecessário e vulgar.
Da mesma forma que acho depreciação humana letras chulas como a maiora dos funks.
Também acho extremamente deprimente esses adolescentes que ainda nem sabem o que são e ficam falando ser bi, lesbica, ou gays simplesmente porque quer aparecer.
Afinal da mesma forma que o carioquês forçado não soa nada legal, como você mesma disse, o estilo gay forçado também não soa nada legal.
Soa o que parece, forçado, desnecessário. Gays quando são naturalmente afeminados é perceptivel mas por fazer parte da personalidade da pessoa você nem sente o tom forçado.
Então sim, acredito que a frase em que ele dize que você pode sim ser gay sem querer forçar é bem válida. Como é valido revindicar menos apelação na televisão, menos vulgaridade em lugares píblicos e letras de músicas.
Isso não é ser preconceituoso, isso é respeitar um espaço social.

E quanto as bandas, são vazias como os fãns gostam que seja, e da mesma forma que elas sempre existiram, sempre existirá aqueles que falem contra, a globalização só fez que tudo fica-se mais explicito ao ouvidos dos indignados, tanto os que ouvem e não gostam do som, quanto os que sente-se ofendidos com os comentários.

ANDF disse...

Bem bacana esse artigo. MENUDOS tinha até porta-retrato de uma marca de iogurtes(!). Um parente meu queria imitar um dos PAQUITOS (!!).
...
NÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!! XD

rand0mica disse...

Hihihi, eu ri, é claro. Eu era da época BSB e acho meio esquisito esse lance de chamar meninos de boyband de viados - eles foram simplesmente os maiores pegadores (alguns bem mocréios) de todos os tempos hahaha. Isso é inveja.

Marshall disse...

Tem uma coisa incorreta nesse post. Essas bandinhas de hoje (Restart, Replace, Cine etc.) por mais hediondas que sejam, não podem ser consideradas "boy bands". Boy band são 05 ou 06 garotos, que encarnam "tipos" diferentes entre si e tem como principal caracteristica as coreografias.

As bandas emos citadas são um tipo diferente de praga.

Rodrigo disse...

Porra barba, Paquitos é tenso, hein?
Rachei vendo as fotos. Só faltou a capa do vinil do New Kids...
A, e para Randomica: O RIck Martin foi pegador também. De homem. E vai saber quantos integrantes de Boy Bands seguem a mesma linha só que ainda estão no armário?

Velho da Montanha disse...

credo daqui a pouco criam o gay-nsn

Slade disse...

Concordo com Marshal.

Digo, aquilo não é uma 'boy-band', como as citadas. É uma banda "normal". Com um guitarrista, um baterista, um vocalista e um baixista. Além de efeitos de som modernos e blablabla.
E creio que o que mais irrita nessas bandas atuais, é que essa "gente colorida", está tendo um lugar muito grande no mainstream. Está se desfarçando de rock e tomando seu lugar nas rádios...

Farol Negro disse...

Sobre a opinião dele:

Sim eu concordo com ele. Algumas bandas são ridículas , mas minha opinião esbarra nos seguinte pontos.Eu faria melhor ou diferente sendo adolescente?Creio que não. Outra, quem liga? Adolescentes sempre foram superficiais, acreditam que o mundo surgiu no dia do seu nascimento, sempre foi assim. Só que acontece uma coisa que alguns já perceberam. Eles crescem!!!Tornam-se adultos e seguem a vida. Ou alguém acredita que o “Sr. Ixperto” assistia Sem Censura e não torcia pelo Shun dos Cavaleiros do Zodíaco e lia Caros Amigos ao invés de comprar Playboy por causa das reportagens?


Sobre ele:

Ele é forçado demais! Tenta disfarçar seus erros de dicção como se fosse espontaneidade .Ele serve apenas como exemplo de como não ser levado a sério na web.

bloganimazonando disse...

ach que era melhor o embed do video estar lá em cima, mais pro início do post, eu de inicio ja saquei de qual video se tratava, mas muita gente pode boiar.

e não acheio o sotaque do cara forçado, tem gente que fala assim mesmo, ele pode te rum humor forçado, mas não o sotaque.

sim, ri do video, nao de tudo, mas simplismente das criticas mais basicas, porque realmente é engraçado, e realmente é algo que me irrita e tambem irrita o cara, e como mesmo foi citado no texto, homens sempre odiaramboy bands e são geralmente homens que gostaram desse video.

e outra é que a parte dele criando a musica realmente é engraçada e faz sentido.

kuchiki-sall disse...

Como o amigo de cima, também não achei o sotaque do cara forçado, mas definitivamente o humor dele é forçado e apelativo, e quase sem graça.
Eu só dei risada pois realmente acho engraçado sair e encontrar com um arco íris ambulante andando pelas ruas...

Sobre as bandas, fala sério né. Ele está totalmente certo, não que seja algo de agora, mas nessa geração essas bandinhas estão dominando tudo...Mas tá bom, a criançada fica feliz né. Cultura ? Pra quê ?

Sobre homo/bisexuais no meio, não concordo, pois hoje em dia tudo está sendo feito, e aceito praticamente numa boa, independentemente da tribo. Fim dos tempos galera...Não estou me referindo ao homo/bisexualismo, aliás isso é indiferente, digo sobre oque é publicado nos Jornais, Livros, TV e daí adiante, essa quebra de inocência cedo demais.


E vejam só, agora tem wars até no meio emo, de um lado os "Wannabe emo" e do outro os "Tr00 hardcore emo" defendendo seu rótulo dos "posers" com todo o amor e quem sabe oque mais que você puder imaginar.

Isso aí tá ficando meio bizarro.

. disse...

Só ñ entedo o q essa garota q só escreve besteira e comentários estritamante pessoais faz aki no NSN; Ta aki eu e um bando de nerds vendo esse post q ñ tem relevancia ou sentido p nós, e se perguntando "E daí??"

Mibshiny disse...

no meu tempo de curtir boy band, os carinhas eram bonitoes e gostosoes...esses tais de coloridos (q eu nem sabia q existiam ateh semna passada) n xegam nem perto disso -.-" eles saum tipo RICK MARTIN "nao se reprima" - literalmente - em portugues

Panthro disse...

Quebra de inocência? Não sabem nem o que são e pagam de homos?

Please, nigga! Eu já vi pressuposição de heterossexualidade de crianças de 3 anos de idade e todo mundo achando lindo. Já vi crianças instadas a terem "namoradinhos" desde que fossem do sexo oposto. E ninguém diz um ai, pq né? Heteronormatividade é isso aí. Considerar que hetero é a norma, o certo, o padrão e homossexualidade (ou bissexualidade) o desvio de caráter. Tenchi muyo.

Quanto as bandinhas, nada de novo sob o Sol. É real que elas não possuem o mesmo estilo de antigamente, porque o punk foi absorvido pelo mainstream e hoje é legal posar com um visual mais "agressivo". Mas o que está por trás do frenesi adolescente é sempre a mesma coisa: Um garoto gostoso que não vai transar. É bizarro, mas as meninas se excitam loucamente com a idéia de tomar a iniciativa em um amor platônico. Pelo menos até crescerem e perceberem que o platonismo nunca leva aos finalmente.

Por fim, não existe nada mais poser no mundo do que usar óculos escuro pra gravar vídeo. Ou pra ir em balada, por sinal. Óculos escuro serve não só pra proteger do Sol, mas da exposição das reais intenções. Especialmente modelos grandes, que dificultam a leitura das intenções/sentimentos da pessoa. No mundo gay isso se chama fazer carão. Fikdik.

Panthro disse...

PS - Quanto as bandas em si, fui atrás de Restart e Cine pra ouvir. Afinal, criticar sem ouvir é coisa de cabaço.

Restart é emocore total. A batida é até bem bacana, lembra Blink 182. Mas o vocal é muito fraquinho. E as letras foram adaptadas do sertanejo com certeza.

Já Cine é total pop de baixa qualidade. Nível Wanessa ex-Camargo de vergonha alheia. Cópia mal-feita de pop estrangeiro. Sem necessidade.

KuchikiSaLL disse...

Parece que o amigo pulou esta parte.
"Não estou me referindo ao homo/bisexualismo, aliás isso é indiferente"

De modo geral, as crianças são mais tentadas à coisas "diferentes" hoje em dia, pelo fácil acesso à informação, concordo com você sobre existirem crianças já com tendências ao homo/heterosexualismo desde cedo, mas não era onde eu queria chegar.

Praticamente todo meio de informação é controlado hoje em dia, e se você é um daqueles que aceita qualquer coisa como resposta, você é influenciado sem saber meu querido.

Panthro disse...

Vc REALMENTE acha que existe mais influência na mídia pra ser gay que pra ser hetero? De verdade vc pensa isso? Conta o número de vezes que se faz referência a casais heteros na mídia. Depois conta as referências a casais gays.

Não é de hoje que toda novela acaba em casamento. E gays explodem em shopping centers. Ou viram seres assexuados, que se abraçam quando qualquer casal normal se beijaria.

Essa teoria da conspiração é ridícula. Ninguém vira gay, podem viver sem medo. Ninguém vira coisa nenhuma, nem hetero, nem gay. Por isso que mesmo sendo criados em uma sociedade que não menciona a existência de gays (pega 40 anos atras), eles continuavam existindo. A diferença é que eles se casavam e tinham filhos, traindo as esposas com homens. Claro que tem gente que considera isso um modelo de vida e se propõe a "resgatar valores que estavam esquecidos". Mas eu acho isso decadente.

Hoje existe mais liberdade pra se existir? Com certeza. E não só pra gays: punks, nerds e qualquer outro grupo que não se encaixe no establishment é mais aceito hoje do que há 30 anos atrás. Bom pra nós, eu penso. Afinal, ninguém é normal.

KuchikiSaLL disse...

Parece que o amigo novamente pulou esta parte.
"Não estou me referindo ao homo/bisexualismo, aliás isso é indiferente"

Como eu disse, não era esse o ponto que eu queria chegar, e sim em como está um caos todo meio de informação hoje em dia, tanto na programação em horário nobre quanto ao respeito de sua opnião, que é simplesmente ignorada ou então você toma processo por tê-la exposto.

bruninhho disse...

Cara aqui em São Paulo todo final de semana tem festivais de "rock" cheio de bandas desse tipo.

Boy bands eram muito diferentes desse estilo q vem tomando conta do espaço na midia do rock nacional e das bandas de garagem tb :(

Felipe Sali disse...

Quer dizer então que sempre foi uma bosta, vai continuar sendo uma bosta e a gente não pode falar nada com relação a isso?

...Que bosta.

Maior do que você pensa disse...

1. Restart não é Boy Band
2. Boy Bands se caracterizavam por ter um ritmo pop, sem guitarras. Os integrantes não tocavam instrumentos.
3. Os caras eram bonitos
4. Restart é pior porque denigre a imagem do Rock se passando por integrantes do mesmo.
5. É uma bosta e ponto final. Assim como as Boy Bands eram no passado. E é pra falar mesmo, sem dó.

Iluminatti disse...

Eu não gosto dessas bandas, nunca gostei, mas uma coisa é odiar porque todo mundo odeia, outra, é não gostar porque simplismente ela não faz seu tipo, eu gosto mais do rock puro, Beatles (que NÃO é uam boyband), Nightwish e etc...
As vezes podemos não gostar de algo. eu acho ridículo o jeito como se vestem, como eu acho ridículo times de futebol,panico na tv e etc...
Mas não preciso ficar xingando essas pessoas, para provar sua civilidade, porque não as respeita?
Elas esão numa FASE, estão iludidas num lindo mundo da imaginação tardio,com o tempo elas vão mudando. As pessoas SEMPRE enjoam de algo com o passar do tempo.
PS: Com excessão do Chocolate, Leite Consensado #fail.

Iluminatti disse...

Mudando de assunto. Muito legal as indiretas pro Felipe Neto, mesmo achando engraçados e até concordando com algumas coisas que ele fala.
Futuro CQC... Até ele já tá sucumbindo a fam que ele tanto criticava. Eu dei unfollow nele no twitter, porque antigamente ele respondia alguns mentios, falava coisas interessantes.
Mas NINGUÉM está imune a um virus chamado famatócilo-A, o vírus da fama. Ele agora tá com programa de TV, tá famoso e só fala "nada" no twitter... Os videos deles começaram a enjoar também com o passar do tempo.

Por isso eu curto as coisas logo no começo, pois sei que elas podem ficar famosas, e consequentemente sucumbir a um sistema chamado show business, musando cada vez mais até perder toda a sua personalidade.

Ufa! que desabafo filosófico... #TENSO

Iluminatti disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pascotto_shimabuku disse...

a diferença é mais que óbvia: em primeiro lugar, antigamente não havia a nececidade de se usarem roupas coloridas FLORESCENTES PARA APARECER. Em segundo lugar, o ritmo de musica era completamente diferente. enquanto os coloridos antigos usavam uma batida mais plin plin, os de hoje usam 1 guitarra, 1 baixo e 1 bateria, e acham que podem se considerar roqueiros sem saber fazer sequer um solo de guitarra decente. Mas sem pressão. se quiser continuar defendendo essas porcarias, não precisam me escutar

Postar um comentário

Mostre que é nerd e faça um comentário inteligente!

-Spams e links não relacionados ao assunto do post serão deletados;
-Caso queira deixar a URL do seu blog comente no modo OpenID (coloque a URL correta);
-Ataques pessoais de qualquer espécie não serão tolerados.
-Comentários não são para pedir parceria. Nos mande um email, caso essa seja sua intenção. Comentários pedindo parcerias serão deletados.
-Não são permitidos comentários anônimos.


Layout UsuárioCompulsivo