segunda-feira, 24 de maio de 2010

Avatar Murilo

High Scholl of the Dead

  quadrinhos[3][2] image

Uma das melhores formas de se definir High School of the Dead é como uma obra feita por e para fãs dos filmes clássicos de zumbis do mestre George Romero. A maioria dos elementos que o consagraram está lá. Zumbis lerdos e quase inertes, infecção por mordida e a única forma de matá-los é destruindo a cabeça. Até mesmo o nome do mangá e dos capítulos remetem claramente à obra de Romero, sempre terminando com of the Dead (dos mortos, em inglês). Além disso, como um legítimo discípulo, esse mangá (que tem maior mérito ainda por ser de um gênero pouco explorado pelos quadrinhos japoneses) é um dos mais próximos a desenvolver o que realmente aconteceria se do nada uma infecção tomasse o mundo de surpresa, em uma escola muito maior e devastadora do que qualquer gripe que vemos nos jornais diariamente.

No início do mangá vemos três jovens no terraço da escola - o protagonista e narrador Takeshi Komuro, Hisashi Igou e a namorada deste, Rei Miyamoto - tentando escapar de um grupo de zumbis. No começo, não se explica como se deu a infecção e nem como chegaram até ali, somente vemos a tentativa deles de se manterem seguros e percebendo que toda cidade deve estar tomada por zumbis. Cercados, esperam por socorro, mas no fundo, pressentem que ela não virá. Começam a calcular quanto tempo sobreviveriam com a parca comida que encontravam ali e pensam no que fariam caso a água acabasse. Só então Takeshi nos fala o que aconteceu até que a escola ficasse naquele estado, tomada por zumbis em todos os lados.

 

image

Na fuga, eles se esbarram com outros sobreviventes e formam um grupo para ter maiores chances de êxito na tentativa de escapar. Aí aparecem mais alguns dos personagens principais. Cada um tem personalidade própria e é útil de alguma forma para os demais. Alguns, inclusive, chegam a curtir a idéia de poderem explodir crânios e passar por cima de zumbis com um ônibus. Já outros enfrentam o mais profundo desespero, desejando acreditar que tudo aquilo não passava de um pesadelo e que depois de acordar tudo voltaria ao normal. Essa é uma idéia recorrente nos diálogos dos personagens, que fazem questão de lembrar o leitor que o mundo como conhecemos acabou, uma nova era se inicia.

A narração do protagonista Takashi é melancólica e demonstra que o autor pensou com antecedência em todos acontecimentos da sua história. A trama é tão bem escrita pelo  Daisuke Sato que personagens e situações que são citadas pelo protagonista no início, só aparecem tempos depois, quando o leitor nem se lembrava mais. Os personagens também são bem desenvolvidos e as reações psicológicas deles à infecção zumbi são exploradas. Uns tendem a histeria, alguns têm crise de choro, outros abraçam o seu destino e tentam salvar as pessoas que gostam. O protagonista Takeshi lidera o grupo e parece se preocupar mais em proteger a amiga de infância Rei (da qual ele é apaixonado), do que em manter a sua própria vida.

 

image

O grupo principal

Outro detalhe interessante é que, diferente da maioria dos filmes, a infecção não se resume só a um lugar ou país. No Japão, a defesa nacional é chamada e o governador decreta estado de emergência. Nos Estados Unidos a coisa estava tão brava que o próprio presidente tenta fugir e o uso de armas nucleares começa a ser cogitado. Pequim fica completamente destruída. Nesses pequenos detalhes, o autor Daisuke demonstra como uma infecção zumbi se alastraria rapidamente pelo mundo, tornando-se uma pandemia. Pandemia tão terrível quando a Gripe Espanhola e a peste bubônica, ou até mais, pelo fato dos mortos se erguerem para contaminar mais pessoas, num horror sem fim.

Mas num mangá de zumbis, é claro, que um bom traço também seria importante. Aí entra o papel de Shouji Sato, que apesar de ter o mesmo sobrenome do autor, Daisuke, não tem nenhum parentesco com ele. Embora seja desconhecido pelo grande público, ele fez um trabalho excelente em High Scholl of the Dead. Ele não só sabe criar personagens com o mais profundo pavor e desespero. O Shouji se sai bem também quando desenha seus zumbis. Nascem do seu traço mortos-vivos com expressões vazias e corpos semi-devorados zanzando tortos e lentos pelas ruas, com sangue escorrendo pelos orifícios do corpo. Dá até a impressão de que ele os desenhou com a televisão ligada nos filmes do gênero para alcançar resultados tão bons.

 

image

Os cenários também são amplos e grandiosos, dando uma sensação maior de desastre, com fumaça e destruição por todos os lados. Ele também desenha perfeitamente armas e outros aparatos militares que aparecem recorrentemente na série. São helicópteros e armas de fogo ultradetalhadas, embora alguns personagens prefiram utilizar armas brancas. Mas eu acho que deveria haver um pouco mais de exagero e violência no mangá. Afinal, são cabeças explodidas e pessoas devoradas vivas. E, às vezes, o máximo que vemos é uma inocente poça de sangue. É claro que isso é um detalhe irrelevante, que não afeta a qualidade da história e que se trata somente de uma preferência minha.

Também não poderia esquecer do detalhe que provavelmente foi vital para a escolha de Shouji Sato para ilustrador de High School: Ele é relativamente famoso pelos doujinshis (fanzines) hentais que produz. Talvez você esteja se perguntando por que diabos um autor de quadrinhos eróticos está desenhando uma história de zumbis. Ora, o próprio autor Daisuke faz questão de explicitar o motivo:

 

"Mesmo num mundo cheio de zumbis, eu não pretendo abrir mão dos peitões, bundões e coxões".

Por isso, todas as garotas são bem peitudas, closes ginecológicos são dados aqui e ali, calcinhas sempre estão à mostra e os ângulos exploram lados mais sensuais. Ninguém melhor do que um quadrinista de hentais para desenhar isso. Claro que isso não é o foco da história, mas um elemento presente nela.

 

image

A editora Panini fez um trabalho competente com High School of the Dead, não cometendo nenhum grande erro nele. A série vai ser lançada bimestralmente, o que já se tornou comum nos lançamentos de mangás da editora. A encadernação está melhor do que de costume, já que as folhas se soltavam com pouco tempo de leitura em outros mangás. A tradução ficou excelente, embora neste quesito eu prefira a JBC. Eles também fizeram uma cuidadosa pesquisa para o glossário do mangá, chegando até a citar O Guia de Sobrevivência a Zumbis (ainda preciso gastar meu dinheiro nisso!). O mangá ganhará uma versão em anime pela sempre competente Mad House, que já foi responsável por Death Note e Sakura Card Captors.

Comprei High School of the Dead sem muita pretensão. Peguei só por estar com dez reais sobrando no bolso. Pensava até, pela sinopse, que era ruim. Mas tive uma surpresa ao começar a ler e vou comprar os próximos volumes, com certeza. Só acho que não terei paciência de esperar dois meses por volume - se descontarmos os possíveis atrasos da Panini - e correrei atrás dos scans para saber logo o que vai rolar na história. Depois compro os volumes restantes para compor o meu pequeno acervo de quadrinhos. Em suma, High School of the Dead não é para todos os gostos, mas para fãs de zumbis e de mangás é uma obra essencial.

Para fechar, fiquem com um dos comentários do autor, que são dois pensamentos que muitos fãs de zumbis já tiveram ao ir a um supermercado:

1) Sempre que vou fazer compras no supermercado, fico imaginando qual seria a melhor forma de me trancar ali.

2) Fico decepcionado com os mercados japoneses por não terem uma seção de armas e munições.


High School of the Dead (Panini)

História : Daisuke Sato

Arte: Shouji Sato

Nota: 8

7 Comentaram...

Paulo Roberto [Em Paralello] disse...

Se rolar um Link para download agradecemos meu caro Murilo =D

Belíssimo post, como sempre.

Abraço.

Guilherme disse...

Já li algumas scans dessa obra. Gostei muito da história, mesmo sendo, ao meu ver, uma história muito usada nos últimos anos com Resident.
Mesmo assim, a história consegue prender a atenção do leitor, empolgando a cada página (claro que os peitões, bundões e coxões também ajudam). xD

Murilo Andrade disse...

Eu encontrei pra download aqui, mas como estou no trabalho nem testei os links.
http://brazilmanga.com/projetos/ativos/highschool-of-the-dead

Guilherme disse...

Foi daí que baixei.

Halan disse...

Muito legal... tem também uma referência ao (ótimo) filme Shaun of the Dead... não lembro a página, mas é na cena em que há um atendente chamado Simon, com um taco atrás... Simon é o nome do ator e roteirista que fez o filme, sem contar que o personagem é a cara dele.. valeu à pena... :D

maradonarockstar disse...

Zumbis?
Garotas bonitas e closes ginecológicos?
Calcinhas?

Tamos aí!

@!ien-kon* disse...

Cara, antes eu não dava nada para esses tipos de historias ( zumbis e tals), mas dpois q lir HSD fikei aluciando. soh pra vc te uma noção, agora qndo saio na rua, fiko imaginando o melhor local de fuga, planejando açoes de atakes e locais bom para se abrigar...



muito tensooo ^^"

Postar um comentário

Mostre que é nerd e faça um comentário inteligente!

-Spams e links não relacionados ao assunto do post serão deletados;
-Caso queira deixar a URL do seu blog comente no modo OpenID (coloque a URL correta);
-Ataques pessoais de qualquer espécie não serão tolerados.
-Comentários não são para pedir parceria. Nos mande um email, caso essa seja sua intenção. Comentários pedindo parcerias serão deletados.
-Não são permitidos comentários anônimos.


Layout UsuárioCompulsivo