quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Avatar Colaborador Nerd

Salt

Por Paulo Roberto, do Em Paralello 

 

filmes[3][1]image

Ao contrário do que muitos estejam pensando, não fui levado a assistir esse filme simplesmente pelo fato de Angelina “Boca de Travesseiro” Jolie ser a protagonista, mas por gostar de filmes de espionagem. É claro que a protagonista sendo quem é ajudou bastante na minha escolha, não só pela sua beleza e sexy appeal, mas por seu passado em filmes de ação como Tomb Raider, por exemplo.

Embora o filme tenha sido dirigido por Phillip Noyce, de O Colecionador de Ossos, o mesmo não passa de mais uma péssima produção de Hollywood e uma medíocre imitação da Trilogia Bourne e tão ruim quanto Missão Impossível (o primeiro).

A sucessão de erros começa pelo roteiro de Kurt Wimmer (do perfeito Código de Conduta), extremamente clichê. O filme se inicia na Coréia do Norte, onde Salt está presa e sendo torturada a todo o momento para fornecer informações confidenciais e confessar que é espiã. Mas, a cada bofetada, ela continua jurando de pés juntos que não estava espionando e que trabalha simplesmente para uma empresa atuante na área petrolífera. É claro que os vilãos torturadores não acreditam. Após seu namorado e futuro marido ter movido céu e inferno para retirá-la da prisão, Salt é trocada por um preso norte coreano e se vê livre de seus algozes.

Já casada, Salt, após mais um dia de trabalho, é chamada juntamente com seu amigo (Liev Schreiber, o Dente de Sabre de X-Men) para interrogarem um desertor russo que jura pela própria mãe que possui informações cruciais que evitarão o assassinato do presidente russo, que está em solo americano para o enterro do vice-presidente (o mesmo era quase um irmão para ele). O grande problema é que no momento do interrogatório ele acaba acusando Salt de ser a espiã infiltrada por trás de tudo isso. Preocupada com o marido, Salt foge em busca de sua inocência, de salvar seu grande amor e ao mesmo tempo lutar com os quais eram seus colegas de trabalho.

 

image

image

Não preciso nem dizer quais os clichês que encontraremos nessa história, que tem como vilões os norte coreanos e os russos, bem como um agente a serviço do “Tio Sam” salvando mais uma vez seu país e honrando seu juramento de dar a sua própria vida se preciso por sua pátria, mesmo que eles a estejam caçando. Ridículo! O grande problema é que as bizarrices do filme não param por aí. Se já não bastasse esse roteiro clichê ao extremo, temos cenas mal construídas com efeitos especiais absurdos, que fogem de qualquer senso lógico possível: tipo saltar de um helicóptero, cair dentro de um rio praticamente congelado e sair correndo pela relva em pleno inverno americano. Sem comentários.

Eu poderia elencar inúmeras estranhezas deste filme, mas o que realmente não colou foi a Angelina Jolie com sua magreza anoréxica encher de porrada brutamontes de dois metros de altura a torto e à direito, e ainda sair tranquilamente pela rua como se nada tivesse acontecido. Vale ressaltar também a cena ao estilo Resident Evil, onde Salt usa a parede como trampolim para dar um chute no estilo Dragão Branco em um agente secreto já dentro da Casa Branca. Só me restou morrer de rir.

A título de curiosidade, o protagonista original do filme seria Tom Cruise (meu deus!), mas, por achar o roteiro muito parecido com Missão Impossível, ele acabou desistindo do projeto, e convenhamos, ainda bem.

Se você não tem nada para fazer nesta semana fria e não tem pretensão alguma de ver um bom filme, querendo apenas distrair, assista a esse filme, pois irá ele atender aos seus anseios. Contudo, se você espera um filme de espionagem inteligente, bem construído, com cenas de tirar o fôlego, desista, pois irá se decepcionar amargamente. A minha grande tristeza é que o final do filme coloca uma deixa nos informando que terá uma continuação, nem me darei ao trabalho de comentar isso.

 

Filme: Salt

Diretor: Phillip Noyce

Gênero: Ação

Duração: 100 min.

Nota: 2 (só pela boca da Angelina Jolie)

10 Comentaram...

Piada disse...

Poxa, achei que o filme valeu pelos plot twists. Nem liguei pros clichês porque senão ia perder meu dinheiro.

Chaves Papel disse...

Legal, gostei da resenha. Não vejo a hora de assistir esse filme! #NOT

Vai por mim, assistam "Inception". O filme é muito bom, como vocês podem conferir na resenha anterior.

REGIS disse...

Rapaz, notei alguns erros de percepção referentes a interpretação do que é um bom filme para o autor do artigo.
1°: "Colecionador de Ossos" não é a melhor lembrança sobre um filme de Phillip Noyce autor de obras do mesmo gênero deste "salt" e mais importantes, como "Jogos Patrióticos";
2°: Tomb Rider (1 e 2) é ruim, onde, se algo escapa, a salvação é a figura De Angelina de boca fechada (os diálogos acompanham a ruindade dos roteiros);
3° "Código de Conduta" é perfeito ? Talvez o comentário seja sobre outro filme com o mesmo título do que assisti, que é ruim de doer, que tem o Gerard Butler como protagonista, em que a premissa é ótima, mas a condução é idiota até os ossos.
4°: "Missão impossível" não é o que se esperava de um filme baseado no seriado, mas está longe de ser um filme ruim e é o que consegue ser, cinematograficamente falando, o melhor da série.
E esse Salt também não é tão ruim como filme de ação, mas sucumbe na infinidade de clichês e não avança no que já estamos cansados de ver nos filmes de espionagem. Enfim, tem vários problemas mas tem algumas qualidades, mas muito diferente do que analisou a crítica do "perfeito Código de Conduta".

Gilmarzinho disse...

Tá um esqueleto essa guria.
No "O Procurado" ela tava parecendo doente, não tinha carne no rosto.

Que merda. A mulher que foi considerada duas vezes consecutivas "a mulher mais gostosa do mundo" tá parecendo uma aidética terminal.

Ah, sim... sobre o filme: me pareceu de cara uma cópia de Bourne, porém sem a produção toda, claro. Mas ainda não me dignei a ver. Um dia vejo no Intercine... hehehehe
Té.

Paulo Roberto [Em Paralello] disse...

@REGIS

Meu caro REGIS, sem dúvida Phillip Noyce possui outros filmes melhores do que "O Colecionador de Ossos" como você bem colocou, citei este filme como um exemplo, mas não quer dizer que o mesmo seja o único ou mesmo que eu tenha desprezado os mesmos.

Por outro prisma assim como você não gostou de Tomb Rider eu gostei apesar das bizarrices que o mesmo também possui na minha (grifo) opinião foi muito melhor que Salt.

No tocante a "Código de Conduta" discordo de sua opinião completamente. O filme foi muito bom, com uma excelente história, um ótimo reteiro e com um desfecho bem interesante. Concordo que Gerard Butler não foi uma boa escolha para o papel, mas a meu ver nem se compara a Salt que foi ridículo.

Por fim, missão impossível assim como Salt cumpriram o seu propósito de ser um filme "pipoca". Missão Impossível nunca (grifo) poderá ser considerado um bom filme de espionagem, agente secreto ou outra nomenclatura que você deseja usar, ele sempre será um filme "pipoca" que é produzido com um único propósito: ganhar dinheiro!

Como exemplo de um excelente filme de espionagem sugiro que assista a triologia Bourne, esse sim é um verdadeiro filme de espionagem inteligente e bem feito.

Abraço.

daniella disse...

Eu assisti Salt, e gostei das sequencias de ação por mais absurdas que fossem. Só não gostei do desfecho, e assumo, custei a entender de que lado ela estava. Na verdade, até agora não consigo afirmar com 100% de certeza.

Felipe disse...

Pra assistir Salt tem que desligar a cabeça. Como você mesmo disse sobre MI, é um filme pipoca, feito pra ganhar dinheiro, divertir as massas com explosões, lutas, tiros, etc...

luiz100000 disse...

Eu gostei do filme, porque me prendi na ação, nos tiros, nas lutas com uma visão geral e não detalhada.
Cinema mente vazia é só alegria.

Anônimo disse...

Olha, eu gostei do filme, porém não consegui entender como foi o treinamento dela. No início fala que ela foi trocada, e depois que os pais dela eram da embaixada americana e morreram em um acidente. Os pais também eram agentes?

Anônimo disse...

Ahh eu já tinha assistido esse filme uma vez, e por incrível que pareça, eu jurava que o marido dela tinha sido morto sentado em uma cadeira e afogado no submarino onde estavam os russos e no final ela matava o carinha do anel amarrando ele em uma cadeira e jogando no rio. Ou eu estou ficando maluco ou vi um filme bem parecido e to confundindo as histórias.

Postar um comentário

Mostre que é nerd e faça um comentário inteligente!

-Spams e links não relacionados ao assunto do post serão deletados;
-Caso queira deixar a URL do seu blog comente no modo OpenID (coloque a URL correta);
-Ataques pessoais de qualquer espécie não serão tolerados.
-Comentários não são para pedir parceria. Nos mande um email, caso essa seja sua intenção. Comentários pedindo parcerias serão deletados.
-Não são permitidos comentários anônimos.


Layout UsuárioCompulsivo