quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Avatar Voz do Além

Quando o digital invade o real

 

ue_samara_emerges3

Eu não sou o inventor da identidade do Voz do Além. Na verdade sou o segundo a assumi-la depois de comprovado que o primeiro - e um dos fundadores - era FAIL. O convite partiu do FiliPêra, primeiramente para tocar o projeto do Anarquia Nerd, que ele tinha. Depois comecei a escrever regularmente e o resto é história que vocês conhecem (inclusive a parte que me torno o blogueiro mais popular do NSN. #Chupa FiliPêra).

Desde o início fiz o possível pra não misturar a minha digital (basicamente o Voz do Além), com o que fazia no dia-a-dia. Tanto que pouquíssimas pessoas, fora o povo do blog, sabem de toda a verdade. Nem mesmo a minha família sabe. Não porque tenho medo, ou seja paranóico ao extremo… simplesmente prefiro assim. O que também é divertido, sem dúvida, vide a batelada de pessoas que já deu palpites sobre quem sou.

As coisas foram bem nos quase dois anos que o blog possui (amanhã será o dia de comemorar, e provavelmente estaremos no BlogCamp-ES)… até que comecei a trabalhar no meu último emprego. Sempre trabalhei em lugares bizarros, com chefes megalomaníacos que gostam de deixar bem claro que estão de olho até nas minhas piscadelas sonolentas. Mas quando passei pra uma repartição pública as coisas mudaram. Tinha total liberdade em praticamente metade do meu expediente. Na outra metade tinha um serviço relativamente fácil. O salário era bom e só tinha que trabalhar cinco horas por dia.

Mas com a liberdade deixei de lado princípios básicos da segurança digital, como o uso de proxys confiáveis e de serviços pra burlar sua atividade na web. As únicas medidas que eu tomava era usar um teclado virtual pra digitar senhas e apagava meu histórico todo o santo dia.

Vocês já devem ter percebido como falava mal do meu serviço no Twitter. Sempre ressaltava tudo de bizarro e estranho que via por lá. E tinha muita coisa pra alimentar os meus tweets matinais, que geralmente eram os mais divertidos. MAS, sempre tive o cuidado de jamais citar qualquer nome, ou de falar o meu próprio, para não haver possibilidade alguma de alguém saber onde trabalhava (e a prova são os que me seguem no Twitter jamais saberem mais do o fato de que eu era funcionário público, e no Espírito Santo). Sendo assim, eles não podiam ligar uma coisa a outra, mas…

O fato é que durante a minha última renovação de contrato me chamaram para uma reunião e deram um ultimato: encerre o NSN (quem nem pertence a mim) e o seu Twitter… se não será mandado para o olho da rua. Para terminar me deram 15 dias de férias para “pensar”. E pior: com uma folha com as minhas twittadas usando os PCs do serviço.

No início me abalei, afinal, preciso de dinheiro como qualquer, e o emprego era bom. Mas, conversando com as pessoas mais chegadas, definitivamente cheguei a conclusão que era a mais pura bobagem tentar manter o maldito emprego e voltei lá uns dias depois e pedi demissão… crente achando que era graças as coisas que falava no Twitter que resultaram no ultimato.

Enquanto fui umas três vezes para receber a grana que tinha direito descobri que o Twitter - ou “minhas atividades na internet”, como definiram - era apenas uma desculpa para o que realmente estava acontecendo. O chefe de TI da empresa simulou uma invasão a minha conta do Twitter para dizer que estava me vigiando e colocou minhas twittadas mais “comprometedoras” em um relatório e passou para a chefe de RH. Ele descobriu a minha conta do Twitter após um estagiário que tinha ido falar comigo dar uma olhada no meu nome no Twitter (@VozdoAlem) e passar a URL pra ele ler tudo normalmente na minha timeline, como qualquer um faria. Ironicamente descobri tudo graças a uma estagiária que era amiga minha antes mesmo de eu ir trabalhar lá.

Por que? Porque vivia reclamando dele e dos equipamentos da empresa (e chefe de TI é casado com a filha do presidente da empresa, o que deve ter ajudado na velocidade com que rolou a merda). Simples assim. E ainda culparam o que escrevia no Twitter…  O bom é que agora durmo mais, e redobrei os estudos (e ainda tinha uma grana guardada).

 

PS: Se algo assim rolar com você, e não tiver como relacionar o que você escreve com a sua empresa, procure a Justiça do Trabalho e coloque no rabo deles.

18 Comentaram...

Ana Recalde disse...

Que absurdo Voz do Além!!
Vc nem fala nada de pessoal no seu twitter :S
Mas tem gente vagabunda nesse mundo mesmo!!!

Anônimo disse...

Afffeeee!!!

Processo neles!!
>.<*

Kira disse...

Infelismente aqui no brasil o sistema de trabalho ainda é de um estilo escravo: os chefes se acham verdadeiros "donso ed arraíá", com o pensamento focado em tatrar os funcionários como burro de carga. A maioria dos chefes são autoritários aoa extremo, não sabem lidar com os moemntos de lazer dos empregandos, confundindo com preguiça.E liberdade de expressão é uma palavra que deve doer profundamente na medula óssea desse estilo de chefes.
Os ambiantes de trabalho continuam a mesma merda= sempre tem um tentando puzar seu tapete quando menos se espera ,usando qualquer recurso disponível. Trabalhei temporariamente numa papelaria e tudo que aprendi foi que estava num mar de piranhas devoradoras umas das outras, ansiosas por comer o rabo uns dos outros em troca de simplórias bonificações. É difícil não se revoltar com isso tudo.

M7 disse...

Sinto muito, Voz. Acompanho o blog e seu twitter, nunca vi nada que sequer indicasse comportamento não profissional. Pura mediocridade de chefe-bunda. Chefite é uma doença pior que escabiose.
A principal razão de nunca usar o computador aonde trabalho foi saber que o cpd tinha acesso a todo conteúdo visitado e passava para a diretoria administrativa. Por isso sempre usei laptop, e usando conexão do celular. É foda não poder confiar em ninguém, mas esse é o mundo em que vivemos. E tem gente que ainda quer confiar na nuvem.

MrVallence disse...

Grande decisão que voce tomou em cara ... não sei se teria culhões para fazer o que você fez. Mas está mais do que certo tomar essa decisão pelo que você acha certo e não por o que a sociedade acha.

Parabéns Voz do Alem ... são atos assim que mostram que você não é mais um que só fala.

Etevaldo disse...

Capaz que isso aconteceu? Bom, na verdade nem sei como seria comigo, já que sou autônomo há 15 anos. Sim, por ser autônomo quase não tenho tempo, ao contrário do que pensam muitos por aí. Mas pelo menos não preciso esconder nada de ninguém, só das namoradas de vez enquando, mas isso é da vida!

Agora que andam tentando nos controlar na web, isso não é de hoje, e dificilmente irá parar, a tendência é justamente o contrário. Hoje temos "n" meios de nos comunicar instantaneamente pela web, e isso deixa as empresas e por conseguinte os chefes, sempre disconfiados. E dependendo da area em que atuamos, a espionagem é maior ainda.

Bom, o que posso te dizer é força, cabeça erguida, e logo algo melhor virá, como sempre!

Moziel T.Monk disse...

filho da puta existe em tudo que é ambiente de trabalho. Já passei por situação bem parecida há muitos anos, nao ao extremo de ser demitido, mas advertido por conta de um e-mail pessoal com piadas que imprimi para mostrar a um colega de trabalho e este mostrou a chefia. Era jovem e imaturo e acabei deixando quieto. E como o colega aí falou, voce teve culhão em pedir demissão de um ambiente desses. E nem se preocupe que gente mediocre assim acaba se fodendo mais na frente. Mas conselho pessoal é de manter separada sua vida profissional das suas atividades pessoais pra evitar isso no futuro.

usuariocompulsivo disse...

Espera ai, você disse que era funcionário público. Então como é que o chefe do T.I. pode ser casado com a filha do presidente da empresa? Isto não caracteriza NEPOTISMO???

Agora que você não está mais lá, jogue a merda no ventilador, poxa! Dê nome aos bois...

[]'s
Compulsivo

Anônimo disse...

Você me decepcionou, Voz. Como um nerd com N maiúsculo não toma alguns cuidados adicionais? O próprio Twitter permite usar HTTPS para toda a sessão (e não só durante a digitação da senha, como é de praxe), o que teria impedido a TI de capturar suas Twittadas (eles só saberia que você acesso algo no Twitter, nem nome de perfil seria visível). Para segurança adicional, poderia ter usado um celular e com o Opera Mini (não o Mobile) que passa todos os dados por um proxy criptografado...

E o mais importante: manter seu alter-ego Fawkesiano escondido de todos os colegas -- esse é o maior risco.

bloggernaweb disse...

Concordo com o @compulsivo. E outra, se você era funcionário público, não deveria ter uma investigação mais aprofundada para comprovar realmente as "denúncias"? Geralmente, em casos que envolvam funcionários públicos, a investigação é feita por departamento específico para isso.

A Voz do Além disse...

@usuariocompulsivo...
Já estou começando a tomar as medidas, mas a coisa demora demais (caso queira saber onde trabalhava, mande uma DM. É porque ainda tenho amigos por lá e tô de saco cheio daquele povo).

@Anônimo...
Independente de como usasse, ia dar merda. O vacilo foi meu, que deixou o Twitter aberto, mas minimizado, enquanto ia tomar café pra espantar o sono. O estagiário da informática que tava de butuca aproveitou e viu que o nome que postava no Twitter e colocou um dos estagiários para me seguir. Como não olhava meus novos seguidores, não sabia que tinha gente do serviço entre eles. Quando descobri, bloqueei o sujeito, consegui uma senha do suporte com a minha amiga minha da informática e instalei o Firefox juntamente com o TwitterFox, que permite configurar a segurança. Mas o estrago já tava feito!

@bloggernaweb...
Não foi apurado nada por dois motivos. a) Eu não fui demitido, só meu contrato que não foi renovado, b) tinha o dedo do presidente na jogada, o que eliminava essa necessidade.

pedroca el diablo disse...

hehe
çiphudeu

oseomessias disse...

Pô cara minhas condolências.
Eu não tê conheço pessoalmente e não sei o seu nome verdadeiro, mas nem por isso você deixa de ser um cara legal.
Agora o seu chefe F**** D* P*** deve ter lido também as twittadas que vc chegava atrasado etc e tal.

Você tem o meu apoio. Sorte e força ai.

Mauro Tavares disse...

Voz, não me leve a mal mas acho que vc pode estar errado, está se fazendo de vitima.
"Por que? Porque vivia reclamando dele e dos equipamentos da empresa "

se vc reclamava então poderia ofender alguem, lembre-se que as pessoas hj são bobas o suficiente para se ofender com internet, e ja levam isso ate para o meio corporativo.

Quando eu entro aqui e ofendo vc, o que é apenas uma provocação, vc fica puto, já foi agressivo comigo aqui, então se alguem usa este meio idiota para te ofender vc se sente no direito de se ofender, mas falar o que quiser dos outros vc pode ?

vc está no minimo sendo hipocrita.

A Voz do Além disse...

@Mauro Tavares...

Ao contrário do que possa parecer, eu não fico puto com nossas discussões. Aliás, acho-as bem engraçadas. Pensei que soubesse desde quando te citei no primeiro post sobre [Liberdade]. Simplesmente sigo o seu tom. Aliás, não consigo me irritar com nada que rola na internet, porque aqui as pessoas aqui podem ser qualquer coisa e ponto! Então, se um dia nos vermos, creio que daremos boas risadas, ao invés de nos dilaceramos com facas. E pelo amor de deus (seja lá que deus), você é a última pessoa do mundo que pode reclamar de agressividade aqui...

Mas, voltando ao assunto: reclamava dos equipamentos porque eram ruins e interferiam no meu trabalho. O PC travava, eu perdia serviço, e depois reclamavam. Simples assim. E ele não gostou, mesmo com a chefe de RH tendo reconhecido que eu era uma das únicas pessoas que jamais teve problemas com relacionamentos por lá. E o lance é: não tinha nada direcionado a ele, sem nomes, ou qualquer indicação de quem eu era. Isso quer dizer que poderia ser tudo ficção e ponto final.

Mas, é página virada e sair de lá me fez bem! Tava ficando acomodado...

Mauro Tavares disse...

é voz, o negocio ta brabo na net, ja fui ate ameaçado de processo no orkut por causa de minhas opinioes.

mas bom mesmo é saber que vc não deixou barato

Gilmar Ostjen disse...

Cara, acho que tu só pisou na bola porque não ter observado o normativo.
Não poderia ter falado mal da empresa, seja por twitter ou qualquer outro meio. Mesmo usando um apelido, porque se alguem puder te ligar a ele (como aconteceu) está caracterizada a identidade.
Funcionário público é foda, cara. Simplesmente não pode falar nada e ponto.
Té.

A Voz do Além disse...

@Gilmar Ostjen...

só tem um problema: eles não tem como provar nada! Não tem como provar que fui eu efetivamente que escrevi. Não sem invadir a minha conta e mostrar que foi do meu PC de trabalho que surgiu o tweet...

Postar um comentário

Mostre que é nerd e faça um comentário inteligente!

-Spams e links não relacionados ao assunto do post serão deletados;
-Caso queira deixar a URL do seu blog comente no modo OpenID (coloque a URL correta);
-Ataques pessoais de qualquer espécie não serão tolerados.
-Comentários não são para pedir parceria. Nos mande um email, caso essa seja sua intenção. Comentários pedindo parcerias serão deletados.
-Não são permitidos comentários anônimos.


Layout UsuárioCompulsivo