sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Avatar Colaborador Nerd

O Estado contra os fumantes

Por Angélica Lara*

 

antifumo

A lei eleitoreira do Sr. Serra, por mais inconstitucional que seja, deu poder a uma parcela da população que, normalmente, só se dá mal. Agora estão na maior felicidade os porteiros, os faxineiros, e também os não fumantes, oprimidos, reprimidos e castrados em geral, que têm uma oportunidade única de vingarem-se dos seus opressores, repressores e castradores, ora projetados na figura dos fumantes. Eles, hoje, têm autoridade para proibir (que alegria!!!) e reprimir (que euforia!!!) os condôminos fumantes com o respaldo da lei antifumo, e, sempre que não tenham autoridade, têm o poder de denunciar os fumantes ao Estado. Ok, a denúncia não traz a satisfação imediata da proibição e da repressão, mas faz o sujeito cumprir um dever de cidadão!!! Melhor sensação, só no feriado de eleição, em que cumprem seu dever cívico votando, quase sempre nos mesmos que inventam e sancionam leis do tipo desta uma, a lei antifumo do Sr. Serra.

Os fumantes, então, empurrados para a rua, vão fumar nas calçadas. Lá, apesar de sujeitos a assaltos, intempérie e etc., fumam seus cigarros e, ao terminar de fumá-los, pensam: o que faço com a bituca? A pergunta é válida, porque as (poucas) lixeiras da Prefeitura de São Paulo, não são adequadas para jogar-se bitucas, para apagá-las o cidadão (é, o fumante é um cidadão) teria que colocar a mão praticamente dentro da lixeira – quase sempre cheia – e ainda assim, poderia causar um incêndio com a brasa. O fumante então pensa: “vou apagar meu cigarro e jogar a bituca no lixo do prédio.” “Não vai não”, diz o faxineiro, o porteiro. Pela lei do Sr. Serra, se encontrarem bitucas no local, ele também é multado. O fumante, que não vai engolir a bituca, sem opção, arremessa a prova do crime ao chão... ficando sujeito a uma outra lei, aquela do lixo no chão...

Esta lei antifumo, inconveniente que é, esbarra também na lei do silêncio, porque os fumantes lançam-se às calçadas defronte às casas noturnas, bares, restaurantes, etc., e, conversando, rindo, etc., atrapalham o sono dos vizinhos... Assim, em breve, o Sr. Serra, ou algum outro inventor de leis que lhes dê a visibilidade que tanto desejam, vai criar uma lei que proíba a conversa nas ruas...

Naturalmente que o “bem maior” é a justificativa da lei antifumo. Aquele mesmo “bem maior” que ensejou a criação do rodízio dos automóveis. O cidadão paga anualmente o IPVA e fica impedido de circular com seu veículo durante quase dois meses ao ano, sujeito a multa, e sem desconto de 1/6 proporcional do imposto. O “bem maior”, também justificou a lei municipal que impede a circulação dos fretados justamente onde são necessários. E o cidadão que, desamparado pelo governo na questão do transporte público, ou que impedido de circular com seu veículo buscou um serviço pelo qual pode pagar, agora tem que se digladiar por espaço no transporte público, sendo obrigado a partilhar o ar, o espaço e adquirir paciência zen para não enlouquecer com o empurra-empurra diário. No caso da lei antifumo, a coletividade seria beneficiada (em teoria) com menores gastos do setor público com os fumantes indiretos. Da cachaça, ninguém fala.

Os governantes têm como objetivo fazer com que os fumantes deixem o hábito. Na verdade, não é hábito, é vício, só que a palavra é feia... Eu fumo há 20 anos, e já foi provado, tanto que hoje é proibido, que as propagandas e filmes influenciam principalmente as crianças. Eu tenho até uma coletânea das músicas dos comerciais do cigarro Hollywood, que sempre foram os mais bacanas. Sou fumante de Marlboro desde sempre. Adorava assistir as McLarens da F-1 nas cores branco e vermelho, inconscientemente, talvez isto até ensejasse um ou dois cigarros a mais nos meus domingos. Os fabricantes de cigarros sempre tiveram como objetivo aliciar os fumantes no final da infância e início da adolescência e o governo sempre arrecadou toneladas de impostos sobre o produto IPI (330%), PIS/PASEP e COFINS (9,25%), ICMS (25%), e, creio, sobre o transporte do produto, sobre a publicidade do produto, sobre toda a cadeia logística. Enfim, o governo ajudou a indústria do tabaco a me viciar, e agora, quer me forçar a parar por força de Lei.

_____________________________________________________________________

*Angélica Lara está indignada com o a Lei Antifumo do estado de São Paulo, que está sendo copiada em outros lugares.

Nós, do NSN, não fumamos, mas somos contra o cerco a liberdade que está sendo feito em São Paulo, capitaneado por um possível candidato a presidência da República.

43 Comentaram...

Anônimo disse...

Eu concordo com a lei, pois não tem nada mais desagradável do que fumaça de cigarro na cara, além de fazer mal pra saúde do não-fumante.

Tiago VC disse...

Não gosto do Serra, mas concordo com a Lei.
Falam que a liberdade de um vai até onde começa a do outro, e é isso mesmo. Não se pode proibir uma pessoa de fumar, mas quem não fuma também não é obrigado a viver em meio à fumaceira.

André Pacheco disse...

O problema dessa lei não é isso de "fumante que atrapalha o não-fumante". Está em não permitir que os bares possam limitar isso.

Se o bar quer deixar que fumem nele, deixe. Se não, não.

Eu sugiro que criem uma lei anti-perfume-barato. Já que o cheiro incomoda meu nariz acostumado a perfume cro.

#FicaADica

Lucianaweb disse...

O que eu não acho certo, nem inteligente da parte dos fumantes, correção, dos contra lei anti-fumo, é usar do que esta errado como argumento.
Se for assim, tudo pode ser justificado: "- Eu atropelei e matei uma pessoa, mas tem gente morrendo de fome!" "- Eu sou assaltante, mas o políticos roubam também!" e etc.

Guilherme Scalzilli disse...

A legislação antifumo é inconstitucional

A opinião é do Advogado-Geral da União, ministro José Antonio Dias Toffoli. Ele encaminhou parecer ao Supremo Tribunal Federal apontando “conflito de competências”, também chamado “violação da hierarquia normativa”. Isto é, o Estados e Municípios não podem legislar sobre assunto de alçada federal.
Mesma interpretação já fora antecipada pelo advogado Luiz Tarcísio Teixeira Ferreira, em artigo para a Folha de São Paulo. Mesmo o arqui-conservador Ives Gandra Martins repetiu o argumento, adicionando que a canetada autoritária de José Serra dissimula uma tentativa irregular de proibir o cigarro.
Há objeções importantes também quanto à proibição de fumar em condomínios residenciais (e não apenas nas áreas abertas). O advogado Samuel Henrique Cardoso apontou que se trata de um atentado ao princípio constitucional de inviolabilidade do lar – argumento que, segundo ele, não se poderia utilizar para as propriedades comerciais.
Mas, estranhamente, as análises têm ignorado um aspecto doutrinário muito mais abrangente e profundo da inconstitucionalidade da lei. O veto aos fumódromos fere um direito fundamental do cidadão: a liberdade de trânsito, ou seja, entrar e permanecer em lugares onde possa fumar sem prejudicar não-fumantes.
O STF decidirá sobre a matéria nos próximos meses (se você achou que a questão estava encerrada, foi enganado pela imprensa). Será um ótimo termômetro da capacidade do Tribunal decidir sem contaminações ideológicas ou os rancores políticos de seu controverso presidente.

Gustavo disse...

Não é liberdade do fumante que está em jogo, é a liberdade do não-fumante, e mais ainda a liberdade dos que sofrem com asma, bronquinte, rinite, etc.
Vc fumar é problema seu, mas no momento que a sua liberdade fica no caminho da minha liberdade (sendo asmático, ou não) de ir em determinado lugar, aí temos um problema.
E nesse momento a Lei Antifumo do Serra é muito bem acertada, este sim é o verdadeiro bem comum, você só tem que lembrar que bem comum, numa democracia, não quer dizer bem de todos e às vezes não é nem o bem da maioria, mas sim o melhor para o grupo. E mesmo a lei do rodízio de veículos é acertada (mas com certeza seria mais justo a redução do IPVA).
Sim, você tem o direito de fumar, mas eu que não fumo e não suporto fumaça também tenho meus direitos. Tenho direito de ir a qualquer restaurante que quiser sem ter que me preocupar em respirar bem. Tenho direito sair à noite e ir na balada que quiser e não voltar pra casa cheirando à fumaça. Tenho direito de ir trabalhar e tomar um lanche na cafeteria (sim, aqui a cafeteria era o fumódromo) sem gosto de fumaça. Mas eu me submetia a tudo isso por que eu não queria perder um direito por causa dos fumantes, por sua causa!!
É burrice (ou ingenuidade) achar que os bares iriam se autoproclamar "não fumantes", sendo aberto aos fumantes eles acham que tem um público muito maior. O que é uma falácia, o público é o mesmo, há séculos os não fumantes se submetem aos desconfortos de viver em um mundo de fumantes, essa dinâmica está se alterando já há algumas décadas, mas aos poucos e essa lei antifumo talvez seja a medida mais drástica nesse sentido. Mas já tava mais do que na hora dos fumantes serem aqueles a sofrerem o desconforto (no caso o de ter que fumar na rua) afinal a responsabilidade é deles, fumar tem consequências, tanto para o fumante quanto para os que estão à sua volta.
E isso é que é LIBERDADE!!!! Você ter direito a escolhas e (principalmente) arcar com as consequências dela!!!
Você quer fumar tanto quanto eu não quero, mas agora quando você acender o cigarro quem vai ter que sair da mesa é você e não eu!!!

Dolphin disse...

Não fumo e tenho uma baita rinite, mas sinceramente não ligo por exemplo dos meus amigos fumarem dentro da minha casa ou de ir a um bar e rolar aquela fumaceira. O que não gosto é dela na minha cara, ai é uma questão de educação de quem fuma.

Só queria mesmo entender porque o Sr. José Serra resolveu justamente agora no finalzinho do seu mandato como governador tomar essa atitude. Se é algo de enorme relevância porque ele então na época como Ministro da Saúde do governo FHC não foi a fundo e batalhou para que fosse uma lei nacional?

Sei não mas me vem a cabeça o que chamo de voto-glamour, em campanha por outras regiões ficará bonito dizer que ele fez isso em São Paulo que afinal de contas é a New York tupiniquim. Principalmente para o grande contigente de nordestinos que migram para cá e que indiscutivelmente votam no Lula ou em quem ele indicar.

Mas do que discutir se é certo ou errada essa lei, penso que é preciso ficar alerta com os propósitos por trás dela.

Afinal estamos falando do Sr. José Serra, favor não confundir com o Dr. Dráuzio Varella!

Lagarta disse...

Antes de pensar em leis, deve-se pensar em respeitar os outros. Não temos por hábito deixar de fazer alguma coisa pq pode vir a incomodar quem está ao lado. O raciocínio é simples, se pode, eu faço, o incomodado que se mude. Mentira?
Então, que façam-se as leis. =)

Carlton disse...

rapaz.. esse post foi a melhor coletãnea de argumentos furados q já li sobre o assunto ;p

J.Ricardo Rover disse...

Queiram ou não, tem que ter peito pra ter levado essa lei até o fim. Nenhuma grande indústria tem motivos pra apoiar, muito pelo contrário.

E, citando a lei universal da boa convivência, a sua liberdade termina quando começa a minha.

Slade disse...

Antes de qualquer coisa, possuo bronquite.

É liberdade do fumante fumar, mas isso fere a minha liberdade de andar onde eu quiser, por exemplo, não podendo entrar em lanchonetes com muitos fumantes para evitar crises inconvenientes de bronquite. Logo, acho uma boa a lei, apesar de ser um tanto drástica demais.

Panthro Samah disse...

Quanto ao argumento da liberdade: 70% do público das baladas fuma. Sacrificar a liberdade da maioria em função da minoria não faz sentido.

Quanto ao argumento da saúde: Se o governo proibisse a venda de comida considerada pouco saudável (sanduíches, pizzas, churrasco...) você aprovaria a medida? Ou é justo ele interferir na liberdade das pessoas pra preservar a saúde apenas quando lhe convém?

Quanto ao argumento do respeito pelo outro: Se eu beijar meu namorado na rua as pessoas se ofendem. Devo parar de beijar meu namorado? Minhas opiniões anarquistas são consideradas ofensivas pra muitas pessoas, devo parar de emiti-las? Até onde vai o respeito pelo outro? A meu ver o direito do outro acaba quando começa o meu.

A maior parte das pessoas ignora os efeitos da lei. A lei não cria fumódromos. Ela os proíbe. Se vc está no trabalho, num shopping ou na puta que pariu, você ou sai ou não fuma. Se vc quer abrir um bar EXCLUSIVO pra fumantes, não pode. É proibido, entenderam? Não é como dizer que cada um vai ficar no seu lugar, é dizer que os fumantes não tem lugar como cidadãos. E se vocês não conseguem ver o absurdo disso, só lamento. Acho que o Brasil deve mesmo ter alguma vocação cármica pra ditadura.

Panthro Samah disse...

Só mais uma coisa: Quem sofre com asma, bronquite e rinite não sofre com a poluição do ar? Pois é.

Alex disse...

Fume longe de mim e por favor, engula a bituca.

Draconianus disse...

Via aí antes de mim muitas opiniões.Muitas boas e outras nem tanto.Sobre um artigo com o qual concordo,mas só em termos.
A lei é castratória e sem fundamento.
Os fumantes deveriam ficar "relegados" a um ambiente ventilado e separados dos não fumantes.Por mais segregário que seja eu considero melhor, visto que fumar e ser viciado no que quer que seja não é crime.Mas agredir outros mesmo que inconcientemente deveria ser,visto que naõ sou obrigado a fumar com o fumante.
Não acho ficar em amientes enfumaçados bom,nem pros próprios fumantes,afinal pra isso inventaram o maldito filtro.
Cabe salientar a natureza populista e imbecilóide que agem nossos representantes em épocas de campanha eleitoral.
E por último,mas não menos imortante,não sou fumante e odeio fumaça.Mas sou contra cescear-se oa liberdade de escolha e de ir e vir de quem quer que seja.E quando me encomodo dicuto com a utra parte interessada em busca de consenso, não parto para táticas como fuga ou violência.(a menos que me pareça lucrativo ou divertido,ou os dois)

Murius disse...

"Pouco se me dá que claudique a onagra, o que me apráz é acicatá-la!" (Jânio Quadros) ... se falta bom senso a ambos os lados, dos que fumam e dos que não fumam, melhor que não se fume mesmo.

Anônimo disse...

A questão é muito simples, o dono do estabelecimento é quem deve determinar, se fumantes serão ou não aceitos dentro de sua PROPRIEDADE PRIVADA, se você tem alguma doença ou simplesmente não gosta de fumaça não vá a lugares onde é permitido fuma!Simples assim!Outra vez, NÃO CABE AO GOVERNO legislar sobre o tipo de pessoa que pode ou não entrar em uma propriedade privada!
Mais uma coisa se eu tenho uma doença no ouvido que pode ser agravada com barulho, evitarei lugares com música alta, assim também deve ser no que diz respeito a fumar em lugares públicos!Não gosta ou pode?Não vai!Encontre um lugar onde não aceite fumantes ou que tenha, uma área certa para eles e pronto!Mas respeitem o direito do proprietário, de barrar quem ele quiser!

Ps:E esses argumentos de pena(ter doença x ou y) não colam!!!
Ps2:Quem chega com aquele argumento "...liberdade de um termina quando começa a do outro...", esquece este mesmo argumento pode ser utilizado em favor dos fumantes!
Ps3:Cadê o Glaspost sobre espionagem?

A Voz do Além disse...

@Último Anônimo...

Os Glasposts estão atrasados por dois motivos: a) Excesso de preciosismo meu, que fica rodando meio mundo para acrescentar algo relevante à temática, b) a eterna síndrome da falta de tempo.

E uma surpresa: o tema espionagem não renderá um "mísero" Glaspost, e sim uma edição da nossa ainda vindoura revista digital. Acredite, vão ser umas 30 páginas épicas sobre o tema! Aguarde e verá!!!

Murius disse...

Voz... que decepção, não tem tempo para fazer o glaspost e tem tempo de responder ANÔNIMOS... -1 ponto de moral para vc.

Hueber disse...

@Murius

Criei um nick e não sou mais Anônimo, beleza agora?

Murius disse...

@Hueber
... se não sabe brincar..., Não Brinca! :P

Hueber disse...

@Murius

Touché!(Sim,procurei na Wikipedia)

Thiago P. disse...

O povo tá bem confuso... não tem nada a ver falar que proibe certas pessoas de entrar em propriedade privada. Qualquer pessoa (fumante ou não) pode ir a qualquer bar ou balada. O que muda é que não se pode mais fumar dentro daquele ambiente, para tanto é necessário sair, e depois pode-se voltar. Para mim (e quase todos os fumantes que conheço) está certíssimo. Quem está causando o incômodo é o fumante, logo a lógica diz que ele, até por respeito ao próximo, deveria voluntariamente sair para fumar. Como na prática isso não ocorre, a lei agora vai obrigar todos a terem respeito com quem não fuma.

Quanto ao momento em que a lei foi criada, não é exclusividade do Sr. Serra (como dizem aqui) fazer esse tipo de coisa. Medidas populistas são comuns a todos os políticos, inclusive o Sr. Lula, o Sr. Kassab e por ai vai. Pra mim não importa o momento, importa é que foi feito, tiveram a coragem de por na prática. É incrível que o pessoal vai atrás de saber se é constitucional ou não esse tipo de lei que de certa forma é inofensiva, enquanto que os políticos passam a mão no dinheiro público e ninguém se mobiliza para fazer algo pra que isso mude.

Por fim, alguém falou do Sr. Drauzio Varella, e ele aparentemente apoia a lei, por saber que se trata de um problema de saúde pública. O Brasil gasta milhões de reais no tratamento de males causados pelo cigarro, então deve-se mesmo tentar colocar barreiras que estimulem os fumantes a parar de fumar. No exterior um maço de cigarro chega a custar 20 reais devido a carga de impostos, o que acho que deveria ser copiado no Brasil, com a renda extra de impostos sendo encaminhada para a saúde. E não adianta dizer que a poluição também acarreta os mesmos males, porque eu também acho que medidas que incentivem o uso de transporte coletivo ou "limpo" também deveriam ser tomadas.

PS: Ouvi no radio há alguns dias atrás que alguns bares e restaurantes aumentaram a renda dado que agora não há mais divisão entre áreas de fumantes e não-fumantes, não sobram mais lugares em um lugar ou no outro. Logo para os donos de restaurantes creio que a lei não teve tantos efeitos negativos como gostam de pregar.

Cacala disse...

Tudo bem, fumar faz mal à saúde e tudo o mais; os não fumantes devem ser respeitados realmente, mas pelo que eu vejo no cotidiano a ingestão de bebidas alcoolicas faz muito mais mal, tanto ao indivíduo quanto à sociedade. Nunca vi alguém dizer que socou o carro num ponto de ônibus e matou uma porção de gente porque tinha fumado 10 cigarros de filtro amarelo!
Sinceramente, essa lei é pura hipocrisia, ou o governo também proibiria o uso de bebidas alcoolicas em estabelecimentos públicos, não é mesmo?
Só pra constar: eu quase não bebo e quase não fumo. :)

Maringa disse...

Assim fica difícil. Se os governantes visam o "bem comum", muita gente reclama. Se os governantes colocam a liberdade individual acima do bem comum, muitos também reclamam (vide seguidores do Karl Marx). Afinal, pra vocês, o mais importante é o bem coletivo ou o bem individual? Decidam-se bem, porque ou se é a favor, ou se é contra. E sem essas tendenciosidades, hein! ;)

Anônimo disse...

Tomara que você morra com câncer de pulmão.

Anônimo disse...

Se você não gosta do seu corpo, destrua ele longe de mim. Ví meu pai morrer de câncer no pulmão e tenho certeza de que ninguém desejaria morrer daquele jeito. Proibír o fumo é zelar pela sua vida. Ame-se.

Anônimo disse...

Esse será um tema a ser discutido por um bom tempo. Fiz parte do "time dos fumantes" por 10 anos e hoje estou há quase um ano sem fumar. Não ligo a mínima pra quem fuma ao meu lado, a fumaça incomoda? Sim, hoje em dia incomoda. Deixarei de ter amizade com pessoas que fumam? Nunca. Estarei sendo preconceituoso em não conviver com pessoas com esse vício. Mas sei o quão terrível é parar de fumar e duvido muito que o Governo reverterá a verba arrecadada em tratamentos, como li num comentário que o governo dá auxilio, sim ele dá, mas é uma luta enorme conseguir uma vaga para este tipo de tratamento, sei disso pois trabalho em um hospital. Para eles compensa muito mais proibir do que auxiliar o fumante. Essa lei é simplesmente preconceituosa com o fumante, ele já não é bem vindo em vários estabelecimentos e condomínios (que eu acho um absurdo isso, pagar condomínio e outras taxas para não usufruir do espaço PÚBLICO). Uma coisa que acho muito engraçada nisso tudo é a revolta de alguns com relação à balada que tem fumantes, todos tomam vozes agora que existe uma lei, por quê não reclamavam com a gerência do estabelecimento sobre a fumaça, já que supostamente os não fumantes são maioria e a "voz do povo é a voz de Deus"? "Que comece a Caça às Bruxas!!! Vamos acabar com os fumantes! Que eles fiquem reclusos em suas casas, não compartilhem o mesmo espçao que nós! Não vamos dar chance à eles de movimentar nossa famigerada economia!" "Viva a exclusão do cidadão que fuma!"
É patético...

zina disse...

ronaldo

Max, O Observador disse...

Essa lei é meio cretina, visto que existem sistema de captação de fumaça, que aspirariam toda a fumaça rapidamente... por mim, o esquema anterior era melhor, em que apenas lugares com sistemas de calefação poderiam ter fumantes dentro(ex: charutarias, bares temáticos, qq bar que tivesse um sistema de calefação ou que ele ficasse no lado de fora...)mas vc proibir pessoas de fumar em lugares de públicos é demais. daqui a pouco vão proibir a água, o refrigerante, etc. tudo em razão ao bem do cidadão e da nação(os nazistas falam as mesmas coisas...), é demais. me faz lembrar uma lei azeredo, uma lei que limitava a gordura máxima permitida nos alimentos, etc.

Eu sou a favor do bem coletivo em cima do individual, mas ao invés de proibir o fumo, pq não fazem uma campanha de concientização em larga escala, como fazem com a aids? provavelmente os bares ñ devem realmente ter sido demasiado afetados, mas como ficam as charutarias? bastava simplesmente permitir aos donos a possibilidade de instalar um sistema de calefação simples que circule o ar pelo ambiente, na boa, acho que toda boate deveria ter isso...

Anônimo disse...

Tah....eu fumo!
Mas odeio esses retardados que não sabem aproveitar um bom hábito!
Como pode aproveitar boas tragadas num elevador?
Como pode aproveitar o aroma de um bom tabaco numa sala fechada e com ar- condicionado?...

Existem fumantes e otários que não sabem onde enfiam e funcionam suas mãos... esses, merecem realmente levar um "pedala" na cabeça e engolir o cigarro que está na boca! Aprendam a fumar!

Panthro Samah disse...

Eu prefiro morrer livre do que viver de joelhos.

Acho realmente absurdo que as pessoas não se toquem do impacto que tem essa proibição. Acham realmente que têm a ver com saúde? Morre-se mais por acidentes envolvendo motoristas alcoolizados do que de câncer de pulmão. E, notem: Um motorista alcoolizado mata pessoas que não bebem. Quantos não-fumantes morrem de câncer de pulmão? Fantástico o seu conceito de "prejudica a minha saúde". No entanto, as propagandas de cerveja estão livres e leves e pode se vender bebida em supermercado até pra menores de idade.

A questão não tem a ver com saúde, mas com percepção. É aceitável socialmente se condenar um fumante, embora seja considerado uma invasão se dizer o que as pessoas devem ou não comer, ainda que elas se exponham a doenças circulatórias (principal causa de morte no país pra quem não sabe).

Essa lei não tem NENHUM objetivo de saúde pública, como qualquer tartaruga que conferisse os efeitos da lei de proibição da propaganda de cigarro veria. As pessoas não pararam de morrer de câncer por conta disso. Nem sequer diminuiu o número. Foi uma lei inócua, um factóide criado com fins de propaganda. E a massa burra compra.

Quer realmente diminuir o tabagismo? Diminui os impostos de remédios como o Champix, que tem tido ótimos resultados e atualmente nem é receitado na rede pública. Mandar os fumantes irem pra rua não vai fazer com que eles parem de fumar, é estúpido.

E pra quem acha que o filtro foi pra evitar a fumaça, olhe de novo: Foi uma manobra das indústrias do tabaco para tentar dizer que o seu produto não era prejudicial à saúde. Os efeitos reais do filtro são insignificantes.

E, por fim, morrer todo mundo vai. Atropelado por um motorista bêbado, infartado por um big mac, com câncer de pulmão ou de falência cárdio-respiratória com 1000 anos de idade. Fingir que levar uma vida saudável vai te salvar da morte é tão neurótico que me dá até pena.

Blando disse...

Que eu saiba essa lei não visa que se pare de fumar e sim de que os não fumantes "fumem" junto com você.Conheço muito amigos fumantes que não se importaram nenhum pouco com essa lei. Eles saem do restaurante, fumam e dps voltam lá pra dentro.

Quanto ao argumento de que "morrer todo mundo vai,levar uma vida saudável não te salva mimimimi" ISSO sim é que me dá pena...pois foi o argumento do meu primo de 16 anos( e eu não levo a sério esse moleque que fala mal dessa lei e já foi hospitalizado 2 vezes por conta do cigarro)

habib disse...

Concordo com a idéia de que pessoas asmáticas tenham dificuldade de frequentar os mesmos locais que os fumantes. Mas já pararam para considerar que "vício" é uma doença?
Não bebo mas fumo principalmente quando estou conversando com amigos. Se essa lei pegar em meu estado eu seria obrigado a não sair mais com eles ou parar de fumar.
Exigir certos tipos de "escolhas" não é liberdade.
E outra: tratar o "hábito" de fumar como uma opção seria o mesmo que culpar obesos por seu alto peso.

Thiago P. disse...

Não entendo aonde a liberdade de escolha está sendo tirada. O fumante continua podendo frequentar bares e restaurantes normalmente. E continua podendo fumar normalmente. Só que agora ele tem que fazer isso respeitando os não fumantes, ou seja, em ambiente propício para que não cause incômodo. Quer conversar com os amigos e fumar ao mesmo tempo, ótimo, chame todos para fora do bar e converse fumando, não há problema algum e eu que estarei dentro do bar não terei que engolir a fumaça do seu cigarro.
Que impacto tem essa proibição? Falar de nazismo (nazismo??), ditadura e por ai vai é mostrar todo o intelecto de ostra e a falta de conhecimento histórico. Toda as regras de convivencia de uma sociedade são costuradas por proibições. Proibir matar, proibir agredir, proibir vender drogas e por ai vai, até às leis que proibem coisas mais simples, que não tem o efeito disso tudo que eu falei, mas que também são válidas. Ainda mais quando o impacto sobre o fumante nem é tão grande. Se o fumante fosse uma pessoa educada já estaria agindo conforme a lei antes mesmo dela ser posta em prática. Aguentar sem fumar por 2 ou 3 horas pode até ser difícil, mas não é impossível, e mesmo que não aguente, é só levantar a bunda da cadeira e fumar fora do recinto. Por causa da preguiça do fumante eu agora tenho que comer fumaça? A lei a meu ver tá certíssima.

Daniel disse...

Bla bla bla bla bla! É só isso que eu li aqui, e não sendo diferente aqui vai mais alguns =]

1 - Não existe isso de liberdade plena, nem se suicidar vc pode sem cometer um crime =]
O que acontece hoje é uma visão deturpada da liberdade, o estado tem o direito de proteger o cidadão [ponto]! E é isso que ele faz qndo ele diz que o seu hábito me prejudica, por isso esta proibido cigarro simples assim! Todo o resto eu não me importo, se nego quer beber ate estourar o figado, se quer dirigir sem cinto, isso é prob dele, individual! Agora pegar um carro alcoolizado é outra coisa, fumar do meu lado esta no mesmo sentido!

Acho engraçado como todo mundo fala de indústria e a liberdade agora!

Voces libertinos tem a sua grande vitoria nas mãos que é a liberdade que pessoas como vcs aceitaram, sabem qual é?

A LIBERDADE UNIVERSAL DE PORTAR ARMAS! Tivemos uma chance unica no pais de proibir algo que mata mais que cigarro, mais que bebida, mais que qq outra merda no pais, e o que disseram os libertinos? É meu direito de portar armas!

Que se dane o seu direito de fumar e de atirar, pega a bituca e engole, e qnto a arma...pode pegar e socar no **.....

=]

bjus me liga!

Brayan disse...

Dessa vez Serra acertou. Tomara que essa lei também venha pra Minas.

murilo andrade disse...

São Paulo tá ruim também, viu? Sou a favor da lei!

Anônimo disse...

Sou fumante e quero mais leis bizarras como essa! Mandem ver: Lei anti-carro-podreira, que tal? Mitigando riscos nas ruas de SP! E.. quem sabe Lei anti-chiclete em locais publicos! Sem mais grudes nas bundas dos cidadãos civilizados (os não-fumantes, claro!) Lei anti-propaganda eleitoral gratuita: essa seria um bem real para a saúde publica. Pô, que coisa chata! Eu quero fumar no boteco!

Hueber disse...

@Daniel

Estava indo bem...até o seu chilique no final!

Anônimo disse...

Se a lei não é eleitoreira porque é obrigatório o uso do cartaz feito especialmente p ela?

Heimdallr disse...

Cercamento da liberdade... liberdade de quê? Ferrar os pulmões dos outros? O retorno da moralidade e civismo na nossa nação depende do respeito ou não a uma lei simples e de prática aferição como essa. Em que país vocês querem viver?

Marcio Seferin disse...

Lá nos idos tempos da década de 90 as campanhas eram contra o cigarro, mas agora são contra o fumante, com frases que escuto do tipo “está aumentando a poluição do planeta”, “o fumante passivo sobre mais que o ativo”, “o cheiro de cigarro na sua roupa está incomodando”,” as butucas e cinzas estão sujando a cidade” etc... Engraçado é que, em pesquisa já foi comprovado que poluição dos carros é muito superior a dos cigarros e também já foi comprovado que os maiores poluidores do ar, alem dos veículos são as indústrias e aviões, mas ninguém fala isto na cara do motorista, do industrial ou quando vai embarcar num avião, por que será? Digam-me como é que uma pessoa que respira a fumaça do meu cigarro “fuma” mais que eu se eu trago com filtro e também respiro a fumaça que sai do cigarro, e bem mais de perto? As butucas sujam a cidade? E o que me dizem das toneladas de lixo urbano recolhidas diariamente? Quanto % delas são butucas e cinzas? 0,000 ?%, mas sabiam que o plástico corresponde a 10%? O que os não fumantes estão fazendo em relação a isto? Estão somente comprando produtos que tem embalagens recicláveis? Acho que não. Pelo menos as campanhas agora são honestas, antes eram cínicos, afinal não estavam preocupados com a saúde dos fumantes e agora podem manifestar seu ódio abertamente. São dois pontos interessantes a serem analisados:
1. O desvio da atenção de problemas maiores como a gravidez na adolescência, morosidade da justiça, a formação de “alfabetizados” e “graduados” por meio de provinhas e diplomas sem estudo, somente para melhorar os índices junto a ONU, destruição dos princípios da família como unidade principal de uma nação, corrupção geral, desde o estoquista que rouba da loja como o senador (cada um rouba o que tem acesso, o que não os torna diferentes).
2. O “princípio da relatividade”, “alguém só é bom em relação ao outro” que consiste em não precisar enxergar os próprios defeitos, logo quanto mais defeitos mostrar em outros, mais perfeito você será! Já nascemos com este princípio e só nos livramos dele quando começamos a pensar sobre nós e não sobre o outro e também não seguimos cegamente o que os outros nos dizem que é certo.
Acreditar cegamente nos outros ou no que está em moda é que é realmente perigoso, já morreram milhões de pessoas por causa disto vide guerras mundiais, taliban, massacre em Uganda, inquisição etc... Começa assim, num primeiro momento determinado grupo de pessoas é tido como diferente, depois errados, culpados, perigosos e finalmente inimigos e aí ... “devem ser destruídos”. Foi assim sempre na história, mas talvez eu me escape ileso, talvez o ódio pelos argentinos aumente a ponto e precisem dos fumantes para eliminar a Argentina, já vejo até as frases “argentino bom é argentino morto” ou será índio, judeu... Não lembro quando foi usada esta frase pela primeira vez mas certamente sempre será usada!
No momento era isso, espero que os que odeiam fumantes achem outra vítima para acusar pelos problemas do mundo e para não precisar julgar olhar para seus próprios erros e pensamentos ruins... Só espero que a bola da vez não seja “os cabeludos” senão eu to ferrado de novo...

Postar um comentário

Mostre que é nerd e faça um comentário inteligente!

-Spams e links não relacionados ao assunto do post serão deletados;
-Caso queira deixar a URL do seu blog comente no modo OpenID (coloque a URL correta);
-Ataques pessoais de qualquer espécie não serão tolerados.
-Comentários não são para pedir parceria. Nos mande um email, caso essa seja sua intenção. Comentários pedindo parcerias serão deletados.
-Não são permitidos comentários anônimos.


Layout UsuárioCompulsivo