quinta-feira, 1 de julho de 2010

Avatar Murilo

Honey & Clover

 honey

Chega uma fase em que as coisas que você lia na adolescência não surtem mais o mesmo efeito e se começa a procurar material adulto. Quando digo material adulto não entenda como sendo somente por ter nudez e violência, como acontece em muitos quadrinhos. Adulto pelo seu tema e a forma como é tratado, embora nudez e sanguinolência possam estar presentes. Aí podemos encontrar enredos que contenham traumas psicológicos, vício em drogas ou até bulimia. Honey & Clover, um dos melhores mangás lançados ano passado no Brasil, e mesmo sendo adulto não tem um pingo de cenas mais pesadas. Somente acompanha-se a vida de cinco amigos, que poderiam ser, você, ou algum conhecido, tamanho o realismo da história.

Honey & Clover enfoca cinco estudantes de uma Escola de Artes. O mangá dá a devida a atenção a todos, mas o protagonista é Takemoto. Jovem inseguro e indeciso, não sabe o que vai fazer da vida depois da universidade e luta, mas não consegue expressar seus sentimentos. Por ser o mais novo do grupo, costuma sofrer na mão do veterano Morita, como numa cena em que este corta o seu cabelo enquanto dormia e depois ainda cobra pelo serviço. Aliás, esse é uma ótima cena para definir o Morita, personagem mais engraçado da série. Aproveitador, vagabundo e obcecado por ganhar mais e mais dinheiro (parece até um editor desse blog), sendo seu costume afirmar que seu espírito protetor é o Bill Gates. Some por dias de tempos em tempos, aparecendo depois exausto e com os bolsos cheio de grana. Por causa desses desaparecimentos, nunca consegue se formar porque nunca termina seu TCC há tempo. Inicialmente parece ser um cara completamente egoísta, mas com o tempo percebemos que ele tem o próprio jeito dele de se preocupar com os amigos. Morita e Takemoto  se apaixonam pela sobrinha do professor Hanamoto, a Hagu, e cada um reage de uma forma diferente a isso. Apesar dela aparentar ser uma criança pequena, já tem 18 anos e prestígio como uma artista genial. Por nunca ter tido amigos, tem pouco ensejo social e parece imatura demais para perceber os sentimentos das pessoas ao seu redor.

Outro personagem é o Mayama, o mais velho do grupo e o primeiro a conseguir um emprego. Apesar de sua colega Yamada gostar declaradamente dele e sofrer por isso, ele nutre uma paixão platônica por sua chefe no estágio. Yamada é famosa na Escola como dama de ferro por sua força descomunal capaz de quase matar seus colegas com um chute fatal (as almas até chegam a sair do corpo) e a garota mais desejada do bairro, embora só tenha olhos para uma pessoa.

Como já deve ter dado pra notar os relacionamentos são um tema frequente, mas em Honey & Clover nada é nesse tema cai no clichê da maioria dos mangás e filmes americanos. Aqui não veremos um casal se formando milagrosamente no final e tudo acabando bem. É como na vida real, com as complicações, desilusões e ações que existem de verdade. Alguns momentos chegam a dar um certo tom de melancolia por ser um bocado pessimistas em relação aos possíveis casais da trama. Embora as chances de desagradar quem não suporte histórias onde os personagens não acabem juntos, o mangá se provou muito mais interessante por optar por um caminho mais realista. Nem tudo pode ser do jeito que queremos, parece querer dizer a simpática autora Chica Umino a seus leitores.

 

image

Não há plots mirabolantes, todo enredo é bem simples. A atenção aqui são para os personagens. Todos são extremamente bem desenvolvidos, sendo impossível não se identificar com algum ou lembrar de alguém que conhecemos. São como pessoas normais, às vezes são nobres, outras tomam atitudes egoístas. Também se passa a cada página a mesma emoção de filmes como Conta Comigo em relação à amizade. a impressão que dá é que eles estão vivendo os melhores anos das suas vidas e e que um dia terão que se separar, seguir seus próprios rumos num futuro próximo e que provavelmente terão amigos como aqueles.

A história também tem um grande pé no humor. A luta dos personagens por um prato de comida, a sede de dinheiro do Morita, as comidas bizarras feitas pela Hagu e pela Yamada, são só algumas das piadas recorrentes. Mas à comédia se alterna ao drama e não tem como não se emocionar em alguns momentos. O traço beira o rascunho, como é costume em mangás josei, mas com o tempo se percebe uma rara beleza naqueles traços aparentemente desleixados. O mangá tem bastante teto por quadrinho e às vezes fica difícil de ler. isso faz com que um volume leve mais tempo para ser lido, completamente diferente dos mangás shounens (para garotos) que você lê em meia ou uma hora apenas.

Umas das provas da riqueza de temas dos quadrinhos orientais é Honey & Clover, capazes de produzir obras tão distintas entre si e com tanta qualidade . Uma riqueza capaz de fazer até quem deteste mangás encontrar (se superar o preconceito) obras que lhe agrade. Honey conseguiu entrar no meu seleto grupo de quadrinhos favoritos. E com uma historia simples e com poucas ambientações. Alguns japoneses são capazes de fazer milagres quando querem.

 

Autora: Chica Umino

Volumes: 10

Nota: 10

1 comentário

... disse...

*-* cara eu AMO Honey % Clover!

E você conseguiu definiri exatamete o que eu sinto quando o leio nessa parte: "Mas à comédia se alterna ao drama e não tem como não se emocionar em alguns momentos."

Tem horas que eu choro de tanto rir do Morita, e outras que eu fico com os olhos cheios ao ver o sentimento não correspondido...

É um dos melhores mangás que eu já li! *-*

Parabéns pelo texto Murilo!

Postar um comentário

Mostre que é nerd e faça um comentário inteligente!

-Spams e links não relacionados ao assunto do post serão deletados;
-Caso queira deixar a URL do seu blog comente no modo OpenID (coloque a URL correta);
-Ataques pessoais de qualquer espécie não serão tolerados.
-Comentários não são para pedir parceria. Nos mande um email, caso essa seja sua intenção. Comentários pedindo parcerias serão deletados.
-Não são permitidos comentários anônimos.


Layout UsuárioCompulsivo