segunda-feira, 1 de março de 2010

Avatar Murilo

Não li e não gostei

 

image

Os brasileiros são um povo de hábitos incomuns para a maioria dos turistas que visitam o nosso país. Algumas ações e preferências da população fazem com o que eu me sinta, por vezes, um estrangeiro na própria terra em que nasci. Como considerar normal a necessidade mórbida de ouvir Rebolation? Mas não, não vou gastar meus dedos falando desta música. O post em si é sobre um comportamento que venho notando nas pessoas ao meu redor com mais frequência do que o comum. A maioria dos brasileiros assumidamente não gosta de ler. "Para quê perder tempo lendo livros?" "Gastar dinheiro em lixo!", como a minha mãe tem coragem de abrir a boca pra afirmar. Esses são o tipo de pensamento capaz de produzir pérolas cada vez mais usuais no dia-a-dia, como:

"As histórias de Dan Brown são muito fracas. Vi os dois filmes!”

Os filmes se tornaram parâmetros para que alguém que não leu o livro possa dizer com toda a segurança se ele é bom ou ruim. Isso gera críticos duros, geralmente de best sellers do momento. "Harry Potter é bichinha!". "Crepúsculo matou os vampiros" Que fique claro que não estou defendendo nenhuma obra aqui, cada um tem o direito de gostar ou desgostar de qualquer coisa. O que ninguém tem direito é o de julgar um livro sem nunca tê-lo lido. Crepúsculo, a série de livros da escritora Stephenie Meyers conseguiu a proeza de se tornar um adjetivo depreciativo. "Tal filme é um Crepúsculo de zumbis!", "O Crepúsculo sem vampiros".

Onde estou querendo chegar? O que essas pessoas não entendem e nunca vão entender, é que filmes são ruins por diferentes motivos. Por decisões erradas do diretor, pela interpretação sofrível do atores principais, porque o roteiro desrespeita a obra original ou ainda por exigências de executivos de Hollywood. A verdade é que são raras as adaptações de romances para o cinema realmente boas. Stephen King sofreu duras penas com filmes que pegavam carona no seu nome e modificavam a história completamente, resultando em filmes pouco memoráveis. Mas, para sua sorte o Mestre da literatura de horror se redimiu com clássicos com Um Sonho de Liberdade, Iluminado (esse mesmo pouco fiel) e À Espera de um Milagre. O Código da Vinci foi destruído pela a sua adaptação, um dos filmes mais ridículos que já tive o desprazer de assistir. Já Harry Potter teve os dois primeiros filmes tão fiéis, que não duvido se até diálogos originais não foram usados nos roteiros. E ainda assim são os piores de toda a série. Ela melhorou nos filmes seguintes, mais pela competência dos diretores do que pelo talento do trio principal. E mesmo com tantos fatores capazes de transformar bons livros em péssimos filmes ainda tem quem se guie por eles para julgar se tal obra é boa ou ruim e isso só revela o quão ignorante ele é.

Mas o que eu mais podia esperar? Em um país em que os habitantes não recebem incentivos para a leitura, sendo esta atividade mais um suplício do que um prazer na escola. E quando essas pessoas lêem, são tweets e posts curtos em blogs de humor famosos. Enquanto isso, crianças na Inglaterra lêem Shakespeare, e na Espanha, Dom Quixote.

Nunca leu um livro, mas assistiu o seu filme e não gostou? Critique-o como obra cinematográfica. Não banque o entendido de literatura sem ser.

41 Comentaram...

Paula disse...

post muito bom!

é cara, infelizmente nosso país valoriza BBB, geyses, etc...
A leitura não é valorizada, assim como o teatro, e artes em geral...

Gostei dos livros do Dan Brown, e definitivamente os filmes ficaram umas belas porcarias... nenhum suspense, historia arrastada, nao prende, atuaçoes medíocres...

Filmes sobre livros só servem pra uma coisa: quando é sobre um livro pré-vestibular, e vc nao leu o tal livro pra prova que é amanha! :D heheheh

HQ-Man disse...

Sua mãe diz que gastar dinheiro com livro é gastar com lixo?

A minha diz que depois de comida e roupa, é a única coisa na qual vale a pena se gastar dinheiro.

Nunca mais reclamo dela.

Leandro disse...

O que esperar de um povo que idolatra BBB e outros depreciativos do intelecto?
Temos uma triste realidade neste "país"(em minúsculo, pois somos grandes realmente só em território) que é a adoção por parte de crianças e jovens do uso de drogas e tendências marginais, principalmente das classes mais pobres.
Um dia ouvi alguém dizer "Um País que não cuida de suas crianças é um País sem futuro", desta forma, se não houver uma atitude mais interessado dos governantes continuaremos tendo pessoas que adoram criticar o que não conhecem sem ao menos procurar saber realmente como foi criado ou escrito tal obra.
"Um bom livro pode libertar uma alma".

Daiane [VivoVerde] disse...

MEEEEELDEEEEEELS

Você disse TUDO o que eu penso, mas não saberia escrever... FOI GENIAL (gozei - rabiscado)

Comcordo plenamente com você Murilo, praticamente um dos melhores posts que já li em minha vida (contanto com os meus x.O)

Eu digo que comecei a ler de verdade depois que entrei na faculdade e olhe que eu sou fruto de colégio particular, destes que vc tinha que ler pelo menos um livro por bimestre (isto é muito se vc ver o quanto os jovens leem hoje) e eram aqueles livros que TODO mundo fou "obrigaddo a ler", Dom Casmurro, A moreninha e por ai vai...

Eu lia, mas não com aqueeeele prazer de ler... quando digo que depois que entrei na faculdade comecei a ler, é porque comecei a realmente saber que gênero eu gostava, foi aí que selecionei (ficção e contos policiais) o último em maior sintonia...

Poder "pegar um livro emprestado (e devolver)" é muito bom, sim, eu não sou muito de comprar livros, para ser sincera comprei 5 semana passada, porque estavam a 10 reais rs, geralmente pego emprestado, mas quando compro (raramente) eu empresto também, sempre tive boas bibliotecas por perto.

Quanto ao livro virar filme... com certeza é muito raro uma obra literária se transformar em obra cinematográfica ao pé da letra, até porque um exemplo, em contros policiais a cena do crime é narrada, como um lenço azul que estava pela cama, no filme esta ação se torna tão imperceptivel que nem rola de comentar... mas que no livro é mais uma peça chave para vc se deliciar, ou seja, muito difícil comparar o arroz com o feijão....

Enfim, termino com a sua frase. "Nunca leu um livro, mas assistiu o seu filme e não gostou? Critique-o como obra cinematográfica. Não banque o entendido de literatura sem ser."

Rodrigo Chaves disse...

Assino embaixo!
Já cansei de defender o Stephen King de gente que não gosta dele porque "viu os filmes".
Artigo nota 10.

Juliana disse...

Falou tudo... Já cansei de brigar com quem faz esse tipo de julgamento!!

Paulo disse...

Concordo com você Murilo, o Brasil é um país que despreza a cultura. No Brasil só ganha destaque quem mostra a bunda, políco corrupto e celebridades burras. O gosto pela literatra e a educação são mantados para o limbo nas terras brasileiras. E sabe qual o resultado disso, um país atolado na propia "igonorância". Aqui o (bom) hábito da leitura é considerado coisa de "desocubado". Até entre os estudante, não há o gosto pela leitura.

Ghost (Roberttojr) disse...

Confesso que não sou fã da litaratura brasileira embora a mesma seja muito rica. Entenda que "não ser fã" não quer dizer que não gosto ou até mesmo odeie mas sim por não ser o "estilo" que mais me agrada.

Cresci lendo O Cortiço, Dom Casmurro, mas minha predileção sempre foi por romances policiais. Autores como Agatha Christie, Sidney Sheldon sempre foram meus prediletos.

No tocante a obras literárias que viram filmes parto do seguinte pressuposto: Nenhum filme será uma cópia fiel ao livro e por mais que o filme seja o mais fiel possível nunca será bom o suficiente.

Quando você lê um livro, a percepção obtida do mesmo vem não só da imaginação mas do forun íntimo de cada pessoa, um livro toca em uma pessoa de forma diferente da outra.

Já nos filmes, o que nós estamos assistindo, é aquilo e nada mais, ele não dá asas a nossa imaginação como um livro, estamos ali simplesmte para "ver" o que a imaginação do diretor criou.

Portanto, acho que realmente não deve haver nunca essa comparação.

Quanto a Crepúsculo, só gostaria de tecer um pequeno comentário. Não estou aqui defendendo, mas particularmente não gostei do filme e não li a obra, o gostaria de lembrá-los que o próprio Stephen King uma vez se desculpou por sua primeira obra que agora não me recordo o nome, ou seja, o primeiro livro dele foi ruim e hoje ele é essa lenda que todos conhecemos.

A autora de Crepúsculo escreveu tal obra sem pretenção alguma, ela não imaginava que "a saga" obteria tamanha proporção tampouco virar um filme.

Então acho que em um mundo onde crianças com apenas 5 anos de idade que deveriam estar brincando na rua, ou lendo algum livro infantil já possuem Orkut, Twitter, passam horas á fio em frente a um computador no MSN se utilizando de jargões como "vc","PQ", onde o BBB é o programa com maior audiência da TV brasileira.

Creio que existe a necessidade de reflexão das pessoas para entender que qualquer leitura independente de qual seja, se faz necessário na vida de qualquer pessoa e que o computador e a TV são meros instrumentos que precisam ser usados com discernimento para que não se torne um vício.

Belíssimos post, parabéns.

Francisco Fagundes disse...

A gente percebe o quanto não lêem livro pelo péssimo português que usam na Internet. Até os grandes jornalistas estão comentendo erros grostecos de grafia, concordância ou organização de idéias. O hábito de leitura aumenta nosso vocabulário e nossa capacidade de argumentação. Não ví filme que ficasse tão bom quanto livros ou jogos de videogame. O filme sempre será uma forma grotesca e resumida da idéia literária. Cortes grotescos, argumentos pífios, fazem com que eu me volte mais e mais para as páginas de um livro.

Neko disse...

Cara, finalmente um post sobre uma coisa que me irrita profundamente. Essa galera que acha q ler é idiota merece um tiro.

Já era de se esperar vindo de um povo q adora bbb e bbbostas do tipo.

ChavesPapel disse...

Muito bom o artigo Murilo!

Quem nunca passou por isso, ter que defender o livro por causa do filme!

Quanto ao Crepúsculo: Não assisti, não li e não gostei!

Thiago Fernando disse...

;D
Detonou, não precisa diser mais nada

Grandes Filmes disse...

Ótimo texto.

Na escola, sempre que algum professor passava um livro para a classe ler, algum "esperto" perguntava: "Tem filme?", como se uma coisa substituísse a outra.

Saki disse...

Vc tah falando do Rebolation pq num mora no Nordeste e ouve isso de cinco em cinco minutos... ><

Mas a parte sobre o país não ligar pra sua cultura é muito triste mesmo. Eu tenho um teoria q na verdade isso tudo eh só a ponta de um problema mais complexo que envolve indiviuos, sociedade e governo. Tentar apontar o dedo pra um, e esquecer do outro eh besteira.

Bom texto. Como sempre.

Panthro Samah disse...

"Para quê perder tempo lendo livros?" "Gastar dinheiro em lixo"

Meo delz!!!

Mas tenho que dizer: Tenho um certo preconceito com best sellers. Em geral são uma porcaria. O que é estranhíssimo, porque se vc pegar as séries de televisão mais vistas, normalmente são as melhores. Mas os filmes mais vistos e os livros mais lidos costumam ser uma merda. Como pode isso?

Moziel T.Monk disse...

De fato há filmes que depoem totalmente contra o livro, e devem afastar potenciais leitores. Um que me ocorre é "O Guia do Mochileiro das Galáxias". Dificilmente alguém vai chegar perto dos livros do Douglas Adams após ver o filme

Cristine Martin disse...

ótimo artigo, Murilo!

Eu vou na contramão: quando assisto um filme do qual gosto e descubro que foi baseado num livro, vou atrás do livro para ler e comparar. Em 90% dos casos, o livro ganha de lavada.


Mas filmes e livros são dois meios diferentes, cada um com suas peculiaridades e exigências. Acho que uma adaptação deve ser bem feita, ainda que não seja completamente fiel ao livro. Mas se for mudar a história, assuma que é uma história diferente, não diga que é baseada no livro tal.

A exceção à regra, para mim foi o Forrest Gump: gostei mais do filme que do livro, que aliás é bem diferente em forma e essência. O filme é uma obra-prima.

Grande abraço!

Dani Libanio disse...

Concordo plenamente!
Estou cansada de ver pessoas detonando livros, pelo o fato de não terem gostado da adaptação cinematográfica. E ainda dizem... pra que perder tempo lendo o livro se eu posso ver o filme em 2 horas???
Eu como uma leitora assumidamente assidua,rsrs, fico pt. da vida com esse povo burro,preguiçoso e ignorante.
Tá gostou, não gostou do filme, isso é opinião sua, mas não traga essa mesma opinião para o mundo literário se caso vc nem encostou na p. do livro q originou o tal filme.
Enfim.... ótimo questão...

Nanopramos disse...

Ufa, gostei de percerber que não sou o único que me sinto um estrangeiro em minha própria terra onde se prefere assistir programas fúteis na tv ou assistir um filme sobre um livro... os filmes acabam sempre se tornando resumos e diminuem toda a obra. Assino embaixo também.

Anônimo disse...

Murilo parabens pelo post ,eu concordo plenamente grande é a raiva quando eu digo alguém "tal"livro é muito legal , e eles dizem "ah não é não eu assisti o filme aquilo não presta".
Sou um grande fã de harry potter e a exemplo harry potter 6(livro) é legal mas o filme, eu acho que acabou como tudo, é como assistir um filme cheio de ação e ele acabar sem sentido.
Alguns tem a petulancia de dizer:"(...)pra que perder tempo lendo o livro se eu posso ver o filme em 2 horas???" como se fosse a mesma coisa, a mesma emoção.
dizem ser perda de tempo,te chaman de nerd,rejeitam a cultura e os acressimos ao vocabulário e quando você se torna uma pessoa culta utilizando as "palavras difíceis" dizem que é metido e quer se aparecer
Eu simplesmente não sei qual a solução para incluir a literatura no dia-a-dia das pessoas brasileiras.
Novamente parabéns

Anônimo disse...

Amei seu post cara.
Concordo plenamente. Eu tenho que afirmar que filmes ficam um lixo. Desvalorizam o livro, em que se pode viajar dentro da história por uma série de imagens meio nada a ver!

Adoro ler e sou como as crianças da Inglaterra. Shakespeare PARA SEMPRE!

Anônimo disse...

Por que vc é um imbecil nerd virgem.
Que não sabe o que é literatura e fica se masturbando pela internet #fato.

Anônimo disse...

Poucos filmes adaptados da literatura prestam. da pra contar nos dedos e até hoje eu so vi um filme que supera o livro (clube da luta)

eu geralmente nem perco meu tempo vendo filme com roteiro adaptado da literatura

Iluminatti disse...

assisti anjos e demoônios,e pouco tempo depois ganhei o livro.
O FILME NÃO TEM NADA A VER!!!!

1-langdon não vai pro CERN,O cientista Kholer não aparece!!!

2-O Assassin não aparece!

3-O discurso do carmelengo,uma das melhores partes do livro não aparece

4-o livro é muito mais "pesado" que o filme,há sexo,e mortes cruéis.

5-Não vou descrever o resto...

Desde pequeno tenho uma familia que me acostumou a ler LIVROS de verdade,para ter uma idéia li O Anticristo de Nietzche e Os Miseráveis quando tinha 11 anos e gostei.
Eu acho que se as famílias parassem de assistir o drama de luciana e procurarem a cultura que interessa,o brasil iria ser mais culto.

Mas não é só na leitura,nossos jovens só querem saber de Taylor Swift,Funk e Rebolation...Nao gostam mais da cultura erudita em geral.

Muito legal seu post...

Iluminatti

fernandoyanmar disse...

passei boa parte da minha vida brigando gom os livros agora percebo o qt o gosto pela literatura me faz falta
mas td a gente tem q admitir que livro é a forma mais arcaica de aprendizado que existe, do tempo que não era necessário recorrer a imagens e som pra prender nossa atenção
tem é que inventar um substituto a altura deles pra fazer nossos "apressados" contemporâneos voltarem a se interessar por nossa cultura

fernandoyanmar disse...

#Iluminatti
A bem da verdade eu acho que o filme simplificou e consertou várias coisas que eram alopradas e inverossímeis demais no livro e estragou mta coisa ou sem importância ou importante demais
comsegue imaginar como ia ser ofensivo ao islã se eles tivessem mantido o hassassin do jeito que ele é no livro? um osama bin laden tarado e sedento por sangue
ainda n sei se foi um erro desaparecer com o pai de valeria ou se ajudou a história a fluir melhor
eliminarem todo o parentesco do papa com o camerlengo- e ainda colocarem o mcgregor no papel- foi uma escolha lastimável td mundo tem q concordar
eu achei a viagem à suíça meio desnecessária no livro
não q eu tenha gostado do livro menos que do filme eu acho que se eles tivessem seguido à risca o livro o filme ia acabar sendo o calígula desse milênio heheheheheheh

Mizuki disse...

Post incrível. Tão bom ver gente que pensa como eu, mesmo que só pela internet...

É mesmo muito deprimente ver como o Brasil está nesse ponto. Vejo pelos meus colegas: só ouvem as músicas que são moda, só ficam em MSN e Orkut quando vão pro PC (nada além disso), e principalmente, detestam ler qualquer coisa. Nem aqueles textos de 4 páginas (histórias por exemplo) eles querem. Lamentável...

Sou apaixonada por livros desde que era pequena. Meus pais contam que eu tinha muito interesse em aprender a ler aos 4 anos, por isso meu pai me ensinou, e daí comecei a ler vários e não parei mais... mesmo que eu não leia com tanta frequência como gostaria atualmente, ainda amo a leitura e não a dispenso.

Voltando ao assunto do post... realmente, um filme não passa de um resumo em imagens e sons do que há nos livros. Nos livros, você pode imaginar como quiser os personagens, cenários, vozes e tudo mais. Num filme, você vê aquilo que a produção decidiu. Não é a mesma coisa, não dá pra julgar um livro só pelo filme, isso é coisa de gente sem intelecto.

É algo que me dá muita raiva, como a pessoa aguenta ver tantas bobagens e clichês na televisão e tem preguiça de ler? Pra mim, isso sim era algo pra se ter vergonha de admitir...

Marsson disse...

Concordo completamente!!!
Ja li livros maravilhosos que foram base para filmes horrorosos. A reconquista (filme que ganhou o trofeu framboesa) eh baseado em um dos livros mais famosos de sci fi de todos os tempos... e pasmem: Maravilhoso!!
Mesmo filmes considerado bons, nao podem ser comparados com suas contrapartes escritas... a midia eh muito diferente.

Arthur Barros disse...

eu concordo contigo cara!
mas tu devia ter vergonnha na cara de defender crepusculo! harry potter ainda vai (mas é tosco do mesmo jeito) agora CREPUSCULO????? como vc ainda tem coragem d dizer q o mundo ta perdido c vc ta no meio da perdiçao??

Elton disse...

Brilhante post, o número de comentários já ilustra isso...
Bom, entrando na discussão, concordo que nunca fui fã de literatura brasileira, li apenas os livros na escola meio que por obrigação, mas tenho meus autores prediletos (Tolkien que o diga...). O que posso dizer é que acredito que nas famosas conversões livros - filmes, tantam fazer os filmes o mais "comercial" possível e tiram sim, detalhes às vezes essenciais, e às vezes acabam "estragando" o filme. O que não pode acontecer é de alguém que nunca leu tal livro, venha dizer que o livro ou autor são ruins, com base apenas na obra cinematográfica, mas o que esperar num país onde as pessoas preferem gastar dinheiro ligando pra eliminar esse ou aquele, do que gastar com livros e cultura.
Talvez um dia elas até entendam o valor e o nível de uma publicação de Shakespeare ou mesmo de um Dom Quixote, mas até lá ficarão nos seus calorosos "profundos superficiais" debates sobre aquele fortão ou aquela saradona daquela famosa casa...

Murilo Andrade disse...

@Arthur Barros

Lê isso que escrevi no meio do texto:

"Que fique claro que não estou defendendo nenhuma obra aqui, cada um tem o direito de gostar ou desgostar de qualquer coisa."

Christiane Azzi disse...

Sem dúvida, o pior de tudo é que muuuita gente tem uma espécie de "orgulho" por não ler e diz por aí que ler é um saco mesmo... Tem muita criança por aí que nem gibi da Turma da Mônica lê. Se ter o hábito de ler é um indício de mentes pensantes e, por consequência, um pouco mais críticas, o que temos aqui no nosso Brasil-sil-sil-sil, hã?

Anônimo disse...

O post aborda dois assuntos: a literatura no cinema e o brasileiro não ter o hábito da leitura. - Sobre a literatura no cinema é realmente difícil adaptar para menos de 120 minutos o enredo de livros de pelo menos 300 páginas. Geralmente os filmes têm por volta de ou até menos de 100 minutos.

Sobre o brasileiro não ter o hábito da leitura isso não será mudado com críticas exarcebadas, botando a pessoa mais pra baixo do que ela já está vivendo. A escola pouco faz pra mudar essa situação pois até mesmo professores nem sempre são dados à leitura e 79 mil crianças com 6 anos de idade foram reprovadas nas escolas, tem cabimento isso?

No Brasil não há incentivo para as pessoas frequentarem bibliotecas e em muitas cidades as bibliotecas nem abrem aos sábados!!! E livro tem preço por vezes exorbitante no Brasil. Minha sugestão é quem gosta de ler (e costuma ler pelo menos 2 livros de ficção por mês), apadrinhar 2 pessoas com o objetivo de estimulá-las a ler. Não comece exigindo demais... uma boa pedida é "Caetés", de Graciliano Ramos; "Meu Pé de Laranja Lima", de José Mauro de Vasconcelos; "O Quinze", de Raquel de Queiroz; "Capitão Rodrigo", de Érico Veríssimo; "Éramos Seis", de Maria José Dupré. A literatura brasileira tem muito a oferecer aos leitores prncipiantes e com a vantagem de muitos livros serem estarem disponíveis em sebos por um preco muito bom mesmo.

Não sei se meu comentário será considerado inteligente, mas que poderá ser aplicado disso não tenho dúvida.
Anna Elisa

Andre disse...

Adorei o coments de Anna Elisa, basta saber se ela ja faz algo pelo próximo,(em questao de leitura.
No mais, belo post e bons comentários

Bala disse...

Pois é, eu sou um dos que podem afirmar. Não li e não gostei. Bastou começar a ler seu artigo e as péssimas citações de leitura que não precisei continuar. Só citados os best sellers da moda, livros de baixo valor literário. Não estou sendo pedante, mas é muito mais incrível acompanhar a sofisticação de raciocínio e idéias dos grandes clássicos da literatura. Daqui a 100 anos, esses livros bobocas não serão clássicos, serão porcarias devidamente esquecidas. Aprenda com os mais velhos, sua mãe, pra variar, está certa.

Murilo Andrade disse...

@Bala
Não ia nem responder seu comentário, porque você só fez comprovar tudo o que eu disse no meu post. Certamente, viu o filme, não gostou e se acha no direito de julgar os livros. O legal é que agora posso usar seu comentário como exemplo desse tipo de pessoa.

Quanto você concordar com a minha mãe é o mesmo que você dizer que comprar todo e qualquer livro é jogar dinheiro no lixo.

Zemo Guita disse...

...Como dizia J.P.Sartre: O Inferno são os Outros.
E isto responde a suscinta critica que o oferecido artigo sugere...Acredito que, embora o filme deturpe o sentido mas, também passe uma mensagem mesmo que dissumulada,suas criticas são validas e construtivas em mostrar a face de um dos grandes Fantasmas que "assustam" algumas pessoas em hoje em dia "O Desconhecido" (E as maiores vitimas são os ignorantes que não procuram perscrutar nem sequer um palmo do teu próprio nariz) ...Sobretudo, aproveito o ensejo e digo que uma das coisas mais originais que ainda existem é a criatividade que cada "Ser" tem de trazer à tona, através da Arte, o "Não Ser"...E cabe a cada um construir à tua historia como os "ventos que abrumam os barcos"..digo: com os fragmentos de tudo que já foi escrito e chega até nós através do Tempo...Em suma de Livros... (.)

Zemo Guita disse...

vislumbranos do papel divino da Mulher no Mundo em Si e somos contemplados com o "Seio de Vênus" em nos confortar com o Sagrado Feminino...E sobretudo,agindo assim, à Nossa Grande Mãe,A Terra é assim redescoberta e respeitosamente aceita como A Grande Deusa... (.)

(Zemo Guita)

Anônimo disse...

Bela, na segunda metade do século 19 os livros de Émile Zola estavam sendo criticados pela intelectualidade francesa tal e qual vc classifica a literatura de alguns escritores de hoje. E o que é um livro de baixo valor literário? O que há de errado com os best-sellers?

"Os Miseráveis", de Victor Hugo, foi recusado por todas as editoras francesas da época pela qualidade literária... Victor Hugo conseguiu que uma pequena editora belga aceitasse a publicação e a obra se tornou imediato best-seller. Todos os livros de Émile Zola foram considerados de baixo valor literário e pornográficos e, ainda assim, se tornaram best-sellers. Ambos os autores são consagrados na literatura universal.

No Brasil dos anos de 1970 Jorge Amado era banido das faculdades, por ser considerado " escritorzinho de um livro só"... Nelson Rodrigues foi pelo mesmo caminho, sendo considerado escritor pornográfico. Hoje ambos são temas de monografias em faculdades dos quatro cantos do Brasil. Machado de Assis criticava severamente Eça de Queiroz... Monteiro Lobato referiu-se a Érico Veríssimo como "um escritorzinho" e por aí vai... em termos de análise literária o brasileiro deixa muito a desejar.

Todo livro tem seu valor, acredite-me. O fato de vc não gostar desse ou daquele gênero literário, nem gostar do estilo desse ou daquele escritor/a, não tira o valor literário de uma obra. É muita petulância alguém achar que é a voz da razão particularmente no que não sabe além dos bancos de escola... e aqui particularmente qdo se trata de literatura.
--Anna Elisa

kinha disse...

cara, você esta de parabéns, esta post esta simplismente espetacular.... tomei a licença de posta-lo em meu fotolog. logico que com todos os seus creditos.! =)

concordo plenamente com você, amo literatura... de todos os tipos, e o povo em geral deveria aprender a ler, ate por que ja diz um ditado: quem não lê, mal fala, mal ouve e mal vê!

Carolina Gisolfi disse...

Eu particularmente tenho um certo preconceito com filmes feitos na base de algum livro.
Acho que o único filme digno que foi baseado em livro foi Laranja Mecânica.
No caso de O Caçador de Pipas, eu fiz cara feia pra assistir o filme, mas pode crer, o livro foi um dos melhores que já li, por sua linguagem diferente, sua história e sua 'mensagem'.
Talvez ele seja uma livro clichê só pq virou filme em seguida, e por se tratar de uma realidade Afegã, não Americana ou Européia, como se costume.
O filme eu não dou nem R$1,00, mas o livro eu recomendo ^^

Postar um comentário

Mostre que é nerd e faça um comentário inteligente!

-Spams e links não relacionados ao assunto do post serão deletados;
-Caso queira deixar a URL do seu blog comente no modo OpenID (coloque a URL correta);
-Ataques pessoais de qualquer espécie não serão tolerados.
-Comentários não são para pedir parceria. Nos mande um email, caso essa seja sua intenção. Comentários pedindo parcerias serão deletados.
-Não são permitidos comentários anônimos.


Layout UsuárioCompulsivo