sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Avatar Colaborador Nerd

1 Litro de Lágrimas

Por Beatriz Paz*

  quadrinhos%5B3%5D%5B1%5D[1] image

Aya Kito tem 15 anos e sua vida não poderia estar em melhor situação. Ela é popular, estuda no colégio que sempre sonhou, joga basquete e se dá bem com todos. Vive sua vida feliz com seus pais e seus três irmãos, e então é ai você se pergunta “Por que diabos o título do post é 1 Litro de Lágrimas?” Calma, tudo ao seu tempo, jovem padawan.

Depois de notar que a filha vem levando tombos atrás de tombos e tem apresentado dificuldade para andar, a mãe de Aya resolve levar a filha ao médico, e é quando a bomba cai no colo da família Kito. A garota, na verdade, não tinha nenhum problema relacionado com o fato dela estar estudando demais para as provas do colégio, hipótese levantada pela própria Aya. A estudante possui uma doença chamada Degeneração Espinocerebelar.

Não, não é um palavrão de trânsito. É uma enfermidade séria que atinge o cerebelo, medula espinhal e tronco cerebral das pessoas. Aos poucos, o paciente vai perdendo a capacidade de andar, falar e até mesmo comer, no entanto, sua mente e memória permanecem intactas e… ah, essa doença não tem cura. O máximo possível é um tratamento que retarda os sintomas.

Após o choque, a médica de Aya sugere que ela escreva um diário sobre sua doença e suas dificuldades, e é ai que reside a parte mais bonita da história: as reflexões da estudante sobre a sua “nova vida”, em sua nova condição e sobre quem está ao seu redor, as frustrações e a luta que trava para manter sempre o otimismo e perdoar a todos por tudo. “Quero ser uma pessoa com coração grande. Que aceita e perdoa muitas coisas.”

Aya recebe ajuda de seus colegas, que inclusive fazem 100o origamis de Tsurus para a garota. Para você que não sabe, esse é um costume japonês que diz que se você dobrar 1000 Tsurus para um doente, ele pode melhorar. Mas eles sabem que o destino de Aya é inevitável, não quero dar spoiler, mas eu já aviso. Se você leitor, é uma barra de manteiga derretida, prepare muitos lenços de papel e desentupidores de nariz, porque você vai chorar feito criança. E mesmo que você não seja um chorão ou chorona assumido(a), aquele famoso nó na garganta certamente vai aparecer. É muito difícil não se afeiçoar por Aya e por sua batalha que durou dez anos.

1 Litro de Lágrimas é um hadduken na cara dos leitores, e mostra que, por mais difícil que seja a vida, há sempre um jeito de contornar as situações complicadas. Ele ainda te dá uma bronca, mostrando que seus problemas não são realmente problemas, e que existem pessoas em uma situação muito pior que a sua, mas que ainda vivem suas vidas com otimismo e perseverança. Por isso pare de reclamar e pense na Aya Kito!

O diário da adolescente foi transformado em livro e publicado logo após a sua morte no ano de 1988, superando o número de 1,8 milhões de exemplares vendidos e tornando-se um best seller dos orientais, com direito a filme e dorama (as famosas novelas japonesas). A cena do funeral de Aya é considerada uma das mais tristes já feitas e a fotografia é impecável.

Não se comover com a jornada da garota é extremamente difícil, 1 Litro de Lágrimas fala de superação, perseverança, humanidade e compaixão pelo próximo. Fala sobre viver a vida em seu limite, não importando a sua condição física ou mental. Claro que o drama é presente é forte, uma das cenas que mais chorei foi quando, frustrada e aos prantos, Aya começa a agredir as próprias pernas, pois as mesmas não tem estabilidade o suficiente para sustentar a garota.

No entanto, o mangá não conta a história completa de Kito, ele pára quando a mesma decide ingressar numa escola para deficientes físicos, o que é uma pena, pois quem quiser saber como a história termina, precisará baixar ou o filme/dorama, ou dar um jeito de comprar o livro. A arte é simples, mas também contribui para os momentos de drama, que não são poucos se você parar para analisar. E conforme você lê o mangá você percebe o quão espirituosa e profunda Aya era. Mesmo com a doença ela não se fez de fraca, muito menos de vítima. Ela foi uma verdadeira guerreira contra tudo, até contra ela mesma.

Pode ser uma maneira muito clichê de terminar o meu primeiro post como colaboradora aqui do NSN, mas eu vou deixar para vocês as últimas palavras escritas por Aya Kito, que mesmo depois de ser impossibilitada de ao menos pegar numa caneta, nunca deixou de viver sequer um dia ao seu limite.

“O fato de eu estar viva é uma coisa tão encantadora e maravilhosa que me faz querer viver mais e mais.”

 

Editora: Newpop

Autora: Aya Kito

Formato: 12,7 x 18,9 cm

Páginas: 176

Preço: 14,00

Nota: 9

____________________________________________________

*Beatriz Paz é colaboradora da revista Neo Tokyo, além de ser a nova colaboradora do NSN. Ela é estudante, pseudo jornalista, adolescente nas horas vagas, geek assumida e viciada em café. Noitada de video game? É só chamar, mas não espere um show de jogabilidade de uma pessoa que não consegue usar dois analógicos ao mesmo tempo. Ser da geração Nintendo dá nisso. XD

9 Comentaram...

Murilo Andrade disse...

Isso é uma das coisas que me intrigam. Será que em nenhum momento a New Pop pensou em lançar também o livro, ou será que a editora pensa que otaku só gosta de ler mangás. Afinal o diário é a obra original.

Douglas Silva disse...

Eu vi um vídeo no youtube sobre ele, mas as partes eram gigantes e acabei perdendo a vontade de terminar de assistir.

Eu sei que é muito bom e te dá muitos tapas na cara. Lição de vida é ótimo para quem acha que seus problemas são únicos e que nada vai mudar. =P

Abraços!

Mandos Fëantur disse...

Não conhecia a história, ótima dica, vou procurar o filme e o livro. Mas uma correção, não são apenas 100 tsurus que se faz para obter um desejo (geralmente de crua), são 1000 tsurus. Já reuni uma turma pra fazermos os mil tsurus pra mãe de uma amiga uma vez, e todo o esforço foi recompensado.

Mornaax disse...

Ai ai... Escrevi várias coisas aqui e o blogger comeu meu comentário.

Resumo: Não gosto de hsitórias de "Jogo do Contente" mas de reflexões sobre o mundo. Histórias nos emprestam algumas situações para que nós mesmos possamos julgar.

Um abraço. (:

Doutor Radioativo disse...

No Youtube tem a novela inteirinha e legendada (pelo menos...tinha)

Pra quem quiser ver, é tão boa quanto o mangá, mas seria legal mesmo se a NewPOP lançasse o livro original!

Paulo disse...

Parece ser um um mangá MUITO BOM, Onde é possível comprar o mangá, o livro e o filme.(Não gosto de doramas).

Neko disse...

Paulo, vc consegue comprar o mangá na banca de jornal mesmo, nas livrarias grandes também deve ter.

O livro infelizmente não foi trazido pro brasil e o filme vc consegue achar na internet.

Keroicon disse...

Eu já vi o dorama inteiro e chorei demais! A última vez que eu tinha chorado vendo alguma coisa, foi com Air e eu nem chorei muito. Mas com Ichi Rittoru no Namida eu soluçava de tanto chorar.

Recomendo demais que assistam o dorama, nunca li o mangá e nem sabia da existência desse filme. Mas eu queria mesmo era ler o diário dela que virou livro!

Lucas disse...

Quero o mangá!

Postar um comentário

Mostre que é nerd e faça um comentário inteligente!

-Spams e links não relacionados ao assunto do post serão deletados;
-Caso queira deixar a URL do seu blog comente no modo OpenID (coloque a URL correta);
-Ataques pessoais de qualquer espécie não serão tolerados.
-Comentários não são para pedir parceria. Nos mande um email, caso essa seja sua intenção. Comentários pedindo parcerias serão deletados.
-Não são permitidos comentários anônimos.


Layout UsuárioCompulsivo