segunda-feira, 5 de abril de 2010

Avatar Murilo

O iPod dos livros

 

image

Muita gente não compreende como o disco de vinil, a fita K7 e o CD morreram, enquanto o livro (que ganhou a forma como conhecemos hoje no século XV) permanece absoluto. Mesmo depois da popularização da internet, que já bateu o número de um bilhão de usuários, e a evolução dos computadores, o livro de papel não perdeu nem um pouco a sua popularidade.

O primeiro motivo para isso é porque o livro, mesmo após mais de cinco séculos, ainda é a melhor tecnologia para a leitura. Ler no computador é desconfortável, pouco prático, a luz do monitor incomoda os olhos depois de um tempo e ainda que seja em um notebook, não é possível ler em qualquer lugar. A menos que você curta ser roubado.

O segundo é que quem gosta de ler de verdade curte sentir a textura do papel nas mãos, mudar as páginas, ter a estante cheia, sentir o cheiro da tinta impressa no papel ainda novo. Pode acreditar, não existe melhor sensação do que tirar o plástico de um livro recém-comprado e começar a ler ali mesmo. Purismo excessivo? Sim, mas completamente compreensível para alguém que cresceu passando bons momentos com os livros. Que riu, se emocionou, chorou a morte de algum personagem e até tentou escrever um. Os livros estão no lado afetivo de muitas pessoas, inclusive em mim, e nenhuma tecnologia revolucionária derrubará isso tão cedo.

Mas inúmeras empresas tentam criar o produto que venha a aposentar o livro de papel de vez. O principal até agora é o Kindle, da livraria eletrônica Amazon, pesa apenas 400 gramas e tem capacidade para mais de mil obras. Mas o seu diferencial mesmo é a sua tela. Enquanto a dos concorrentes emite luz, a tela do Kindle é feita de tinta de verdade. Branca para o fundo e preto para o texto. Enquanto nos demais e-readers você não consegue ler por muito tempo se não seus olhos começam a doer no Kindle não existe este problema! Porém, o livrinho eletrônico peca pelo tamanho (só 6 polegadas), a tela é monocromática e demora muito para mudar de página. Ou seja, não dá para ler revistas nele e apresenta menos praticidade do que um livro de papel.

Já o iPad, da Apple, é o contrário do Kindle. Tela enorme e colorida, "páginas" que viram com os dedos como num livro comum. Mas peca justamente pelo maior avanço do Kindle: sua tela, de LCD, emite luz. Depois de um tempo de leitura seus olhos vão implorar para que você pare.

Agora o desafio é tentar unir o que há de bom no iPhone com as vantagens do Kindle. Já existem protótipos de um e-reader com tela de tinta colorida e outro com tela LCD sensível ao toque, mas que não emite luz. Desenvolvidos, estes dois podem vir a se tonar algo parecido a um iPod de livros. Mais prático, mais ecológico, e com a vantagem que nunca mais você limpará o pó dos seus livros. Eu não sei se um dia vou me acostumar com a idéia de ler livros em um aparelho, mas quem sabe assim eu não possa reler Crime e Castigo sem precisar carregar aquele tijolão debaixo do braço.

 

[Via Superinteressante]

10 Comentaram...

Leandro disse...

Concordo completamente,dificilmente o livro como o conhecemos será abandonado, quem realmente aprecia uma boa leitura não vai trocar nunca, e outra qualquer um dos meus livros, é mil vezes mais bonito doque qualquer arquivo .PDF ou .DOC, que alguem possa ter em um Reader.

Roberttojr disse...

Murilo meu velho, mais uma vez você mandou muito bem neste post.

Nenhum iPad ou Kindle da vida poderá superar o velho e bom livro. Até mesmo um livro que só exista em arquivo DOC ou PDF da vida eu prefiro imprimir para depois ler.

Pode até paracer ultrapassado, mas a leitura impressa ainda será por muito tempo minha predileção.

Santoja disse...

Eu li um livro no computador, em PDF uma vez. 204 paginas A4. Meus olhos ficaram zoados durante uns 2 meses e eu espero nunca mais ter que repetir a experiência, acho que o leitor ideal terá regulagem da luz de fundo, podendo ser usado até sem luz de fundo, no caso de um ambiente bem iluminado, similar ao Game Boy Pocket.

Anônimo disse...

... ou 3 volumes do Irmãos Karamazov.

Gringo disse...

O único empecilho para a morte do livro é a relação custo/praticidade das demais tecnologias de leitura.

Saudosistas dos livros sempre haverá, assim como hoje existem saudosistas do vinil.

Basta olhar para os últimos suspiros das enciclopédias e dos jornais para perceber qual o caminho que o hábito da leitura está tomando.

Richard disse...

Não podemos afirmar, mas dificilmente o Livro cai em desuso.
Mas o K7, Vinil e outros troços também eram etenros há 15/20 anos.

ego-death disse...

só não entendi porque o vinil e o K7 morreram, se varias bandas ainda lançam nesses formatos (bem, as mainstream não), e também pq um fã die-hard de musica nunca vai abandonar o ritual de escutar um vinil, mesma coisa com os livros, pode ser que inventem algo realmente pratico, mas nada vai substituir o formato fisico da parada

Fernando Pessoa disse...

Qualquer disco que tenha 100mil copias vendidas é lançado em vinil no exterior. saudosismo a parte, ainda se questiona sobre a qualidade superior de som que o bolachão tem sobre o formato digital.
O mesmo nao se pode dizer das fitas K7, que sempre foram chiadentas. A unica razão de seu uso na época era a portabilidade e possibilidade de gravação, tecnologia que já foi superada.
A questão é mesmo a de QUALIDADE, e como o artigo disse... ainda nao se criou nada melhor que o papel para leitura.

irtigor disse...

O Kindle DX tem tela de 9.7" o problema é o preço do aparelho e dos livros eletrônicos que ainda são caros e muitos possuem DRM.

May Cry disse...

Sou usuário de Mac, mas não me impressionei com esse Ipad, nem mesmo com o Kindle. Sou um leitor a antiga, amo livros, livrarias, Sebos. Se em algum momento procurar um tablet, será um livre, provavelmente com Android ou outra forma de Linux. Aonde possa colocar E books de forma livre, e não escravizado por uma empresa. A tecnologia, da forma como vem sendo tratada, está se tornando uma nova forma de colonialismo. O acervo literário se tornará monopólio desses gurpos e seus ebooks pagos. No way. Não para mim.

Postar um comentário

Mostre que é nerd e faça um comentário inteligente!

-Spams e links não relacionados ao assunto do post serão deletados;
-Caso queira deixar a URL do seu blog comente no modo OpenID (coloque a URL correta);
-Ataques pessoais de qualquer espécie não serão tolerados.
-Comentários não são para pedir parceria. Nos mande um email, caso essa seja sua intenção. Comentários pedindo parcerias serão deletados.
-Não são permitidos comentários anônimos.


Layout UsuárioCompulsivo