segunda-feira, 2 de maio de 2011

Avatar José Renato

Especial: Top 10 Best Games Ever

 

Você, caro leitor que acompanha o Nerds Somos Nozes, já deve ter lido algumas de minhas análises de games. Já deve ter me xingado porquê falo sobre alguns games “velhos” (leia-se: de mais de 1 mês atrás) ou já discordou de alguma de minhas opiniões. Sim, já tenho mais de um ano escrevendo por aqui, mas tenho certeza que alguns de vocês ainda se perguntam: “Quem diabos é esse cara? Ele faz essas críticas por que acha que é bonito? Qual o propósito disso? Porquê ele acha que Halo é ruim? Por quê por quê por quê?”

Relaxem na bolacha, meus amigos. Resolvi nesse momento fazer uma pequena lista de games que considero estarem no topo da minha lista, para dar um pouco da ideia de onde minhas opiniões vêm e com o que comparo a grande maioria dos games que jogo. Resolvi dividir essa lista por gênero, englobando meus gêneros favoritos. Alguns dos meus games favoritos podem não estar nesta lista, pois estão em algum gênero que não sou muito fã, são difíceis de classificar num gênero específico, ou são de gênero repetido e não pude incluir dois. Esses serão inclusos numa próxima lista de “menções honrosas”. Eventualmente, também farei uma lista dos games que considero serem superestimados e não merecedores da popularidade que têm (uma lista que, creio eu, irá fazer muita gente me xingar, mas paciência), mas por enquanto, vejam os meus favoritos, e fiquem livres para concordar (ou não) com eles.

 

Corrida - Need For Speed: Most Wanted

clip_image002

Sim, corrida. Todo mundo que me conhece pessoalmente geralmente estranha muito quando menciono “corrida” nos meus gêneros favoritos. Mas sim, eu gosto. Corrida atinge aquela parte do cérebro que controla o primitivo dentro de cada um, principalmente quando o jogo tem “aquela” sensação de velocidade. E nenhuma outra série faz isso melhor do que a Need For Speed.

Most Wanted é, na minha opinião, o game mais completo da série. As corridas são muito rápidas, a iluminação é incrível mesmo seis anos depois do lançamento, e as perseguições policiais são pura adrenalina. E não só isso, mas Most Wanted é o único jogo da série a ter, acreditem ou não, uma história decente. Digo... não decente, pois é bem Velozes e Furiosos, e aquele filme é horrível. Mas pro jogo funciona bem. Junte tudo isso com a customização de carros, e a possibilidade de ganhar os veículos dos adversários quando os vence, e temos aí um vencedor. Burnout e Need For Speed: Hot Pursuit podem bater carros melhor, mas o melhor game é este aqui.

 

Luta - Street Fighter IV

clip_image004

Sou fã de jogos de luta desde pequeno, quando joguei o fraquinho Art of Fighting no velho Super Nintendo. A partir daí, tive contato com os clássicos Street Fighter II, Mortal Kombat II e Killer Instinct, e na época, era puro vício. Não sabia jogar muito bem, nem mesmo a famosa meia-lua eu conseguia fazer, mas eu gostava. Então, veio a época do Playstation e foi lançado Tekken 3, e fez todos os jogos de luta irem atrás do movimento 3D. Bleh. Sempre detestei os jogos de luta em 3D, incluindo Virtua Fighter e Dead Or Alive. Nunca me acostumei com movimento pros lados, nem com uso de armas... nem sei explicar com certeza porquê comigo não funcionava.

Até que, recentemente, as desenvolvedoras notaram que os velhos games estavam fazendo falta, e viram o que seria perfeito: fazer os games com as novas engines 3D super cheias de efeitos e realistas, mas manter a jogabilidade no plano 2D. Esse mês mesmo, o reboot da franquia Mortal Kombat parece estar agradando a todos, e Marvel vs. Capcom 3 também me interessou bastante (lancem pra PC, bastardos!) mas o primeiro a retomar a direção 2D do gênero foi Street Fighter IV.

E que jogo sublime ele é!

O jogo atinge um ponto muito forte, com sua facilidade em aprender golpes e combos para atrair os novos jogadores, e ainda assim trazendo complexidade suficiente para agradar aos veteranos, além da melhor seleção de personagens de Street Fighter de qualquer um dos games da série. A única reclamação que consigo pensar é não trazerem de volta a velha trilha sonora do SNES, mas isso é o de menos. Material TOP 10.

 

Plataforma 2D - Donkey Kong Country 2: Diddy’s Kong Quest

clip_image006

Aqui sim o Filipêra vai concordar comigo!

A maioria das pessoas pensa em “joguinho de fase” e imediatamente pensa em Mario. Eu não. Mario pode ir morder a mãe na bunda. O Super Nintendo é o melhor console que existe porquê games como Donkey Kong Country 2 existem para ele.

Oito mundos, cada um melhor que o outro, e cada fase guarda algo diferente para o jogador. Quem se lembra da fase da piranha rosa que ficava gigante pra te matar e a água ia subindo? Ou da fase na qual a abelha gigante corria atrás de você? Junte isso com os melhores gráficos que o grande SNES já produziu, com a grande quantidade de detalhes (Dixie lambendo o mel da parede sempre me faz rir) e os melhores chefões. Tudo é especial em Donkey Kong Country 2, e é praticamente a minha definição de sequência perfeita.

Só pra finalizar, este game retém o título de “Melhor Trilha Sonora EVER”. Procurem Stickerbrush Symphony ou Rattle Battle no Youtube e verão porquê.

Tiro em Terceira Pessoa - Max Payne

clip_image008

Eu poderia facilmente incluir qualquer Tomb Raider ou Bloodrayne, ou até mesmo Resident Evil 4 nessa lista, mas sempre que eu penso em “Tiro em Terceira Pessoa”, penso na trágica história do homem que perdeu a esposa e resolveu sair pela rua e matar mais de 300 criminosos. Max Payne tem a distinção de ser o primeiro game a usar slow motion em seus tiroteios, muito antes do slow motion virar o clichê mais usado por jogos/filmes de ação. E como Max não era lá um super herói, o slow motion era muito necessário, e os tiroteios geralmente tinham que ser pensados de maneira inteligente e com cuidado.

Mas onde Max Payne realmente ganha o lugar na lista é com sua apresentação. A história é relativamente simples, mas quando o jogo substitui cutscenes por uma apresentação estilo graphic novel e com um forte apelo noir para reforçar o balé John Woo de balas e mortos, estilo esse que não foi usado antes e nunca mais foi usado novamente, você sabe que tem um jogo especial em mãos. Às vezes frustrante com seus picos de dificuldade, porém, é um daqueles jogos que merece ser jogado vez ou outra para lembrarmos de como a vida é bela.

 

Plataforma 3D - Prince of Persia: The Sands of Time

clip_image010

Prince of Persia é um dos meus jogos favoritos. Ele não está incluso nesta lista, pois sinto que Donkey Kong Country 2 é superior em seu gênero, mas pouca coisa me lembra tanto de como o PC sempre foi especial comparado aos consoles do que Prince of Persia. E se tem algo que tenho mais medo do que sequência, é sequência que muda de 2D pra 3D. Prince of Persia teve uma versão em 3D antes de Sands of Time, que é meio que esquecida, pois era terrível.

Mas a Ubisoft, contra a vontade de todos, resolveu fazer a sua tentativa de trazer a franquia para o 3D, e trouxe consigo o criador original da série, Jordan Mechner. E que diferença isso faz. O combate do jogo era meio repetitivo e chato, mas as manobras que o Prince conseguia fazer tornavam o jogo tão legal de assistir quanto de jogar. Suas mecânicas de manipulação temporal e manobras de parkour são até hoje copiadas por outros jogos. E, surpreendentemente, enquanto a história era bem simples, a caracterização dos personagens e a apresentação também são fantásticas. Eles podiam trazer o Jordan Mechner pra rebootar o Prince de novo.

 

Survival Action - Dead Space

clip_image012

Tá, eu estou roubando um pouco incluindo esse gênero, que nem bem gênero é. Inclui pouquíssimos jogos e todos eles poderiam muito bem ser encaixados em Tiro em Terceira Pessoa. Mas não consegui. Se eu tivesse que tirar Dead Space da lista, ela não seria completa.

Dead Space é outro daqueles jogos que vira e mexe eu tenho que instalar novamente. Vê, eu gostei de Resident Evil 4, mas por mais que o povo dissesse que “oh tudo foi COMPLETAMENTE mudado”, é mentira. Os controles ainda eram estilo tanque, você ainda não conseguia correr e mirar ao mesmo tempo, nem andar e mirar ao mesmo tempo, nem andar de lado. Dead Space aplica todas as mudanças de controle necessárias para se fazer um perfeito TPS, joga um pobre coitado numa nave industrial cheia de monstros, e bota pra desmembrar todos eles. Pouca coisa é mais bizarramente satisfatória do que picotar monstros em mil pedaços numa sala em gravidade zero. Também ajuda que a história de Dead Space é bem legal e tensa. Só perde pro primeiro da lista.

Link para resenha de Dead Space AQUI.

 

Estratégia em Tempo Real - Age of Empires II: The Age of Kings (+ The Conquerors)

clip_image014

Sim, o recente Starcraft II é muito mais tecnicamente proficiente, e talvez até mais viciante. Mas o que me fez gostar de jogos de estratégia está aqui. Age of Empires sempre foi uma das minhas séries favoritas, e o segundo jogo da série é o melhor dentre eles. Ele cobre o período mais legal para guerras (castelos, minha gente!) e realmente requer estratégia e pensamento rápido para vencer, não adianta só construir unidades e manda-las pro muro do inimigo. Você precisa saber como usar estes arqueiros da forma correta, posicionamento de infantaria, quando usar as catapultas. Com isso, era possível recriar de forma bem autêntica algumas batalhas da Idade Média.

E Age of Empires II tinha umas campanhas muito legais. Toda a história sobre Joana D’Arc, Genghis Khan, e outras figuras histórias, aprendi com AOEII. Cada civilização tinha uma página sobre ela, e as unidades que cada uma possuía faziam sentido com a história de verdade. Passei a ir melhor nas aulas de história graças a esse game. Seus gráficos agora parecem simplórios e feinhos, mas ele ainda é o melhor jogo de estratégia em tempo real, na minha opinião.

 

RPG - Dragon Age: Origins

clip_image015

Dizem que, quando o Criador ouvir o Cântico da Luz pelos quatro cantos do mundo, ele irá virar seu olhar para nós mais uma vez. Se eu fosse religioso, gostaria de pensar que ele já virou, e o que ele fez de bom para nós foi dar inspiração aos malucos da Bioware para nos trazer esse RPG, o qual não tenho palavras para descrever.

É aquele tipo de game que não tem nem o que melhorar. Sistema de combate estratégico e cheio de opções de controle? Sim. Mundo enorme para explorar e cheio de detalhes e nuances que o tornam autêntico? Sim. Personagens dramáticos que não deixam de ser engraçados, mantendo um balanço sublime? Sim. Magos? Sim. Demônios? Sim. DRAGÕES? Sim, obviamente. Quer o RPG de fantasia definitivo? Não precisa mais procurar.

Link para resenha de Dragon Age: Origins AQUI.

Tiro em Primeira Pessoa – Half-Life 2

clip_image017

Lembro-me daquela noite vazia na qual decidi que não ia procurar algo “estratégico” ou “inteligente” pra jogar. “Vou experimentar algo novo. Algo que eu não costumo gostar. Um jogo de tiro.” E por algum motivo o primeiro que me veio à mente foi Half-Life 2, que estava em alta na época (2004-2005). Eu não poderia ter começado por lugar melhor.

Nosso amigo Gordon Freeman mal escapou de suas peripécias no primeiro Half-Life e logo se encontra num futuro pós-apocalíptico onde uma raça bizarra de alienígenas invadiu a Terra e tomaram tudo, instaurando um campo de força no planeta inteiro que faz humanos ficarem estéreis e incapazes de se reerguer. Gordon então tem que tomar o seu lugar como herói da humanidade e resgatar a todos de seu terrível destino. E digamos que se uma invasão alienígena fosse trazer tanta diversão quanto este game traz, que invadam tudo de uma vez. Afinal, viajar pelos canais de uma cidade da Europa oriental com um hovercraft, travar uma batalha com um helicóptero, atravessar um cemitério cheio de zumbis, invadir um presídio com um exército de insetos e depois liderar rebeldes em batalha, tudo NO MESMO DIA, não tem preço.

 

Survival Horror – Silent Hill 2

clip_image019

Resolvi fazer essa lista sem nenhuma ordem específica, tirando a de preferência de gênero, mas este aqui é definitivamente o número 1. A última Coca-Cola do deserto. A última Trakinas do pacote. A última tora da Jamaica.

Sempre gostei desses jogos de terror, desde que joguei Resident Evil pela primeira vez, mas Silent Hill 2 é o único que realmente me deu pesadelos à noite. Nenhum outro jogo que conheço causa a mesma sensação. A história é a melhor que já vi em videogames, e o padrão que espero que um dia consigam superar. James Sunderland recebe uma carta de sua esposa, pedindo para que ele vá até Silent Hill para encontrá-la, porém, ela está morta há 3 anos. À partir de então, James começa a buscar por ela nessa cidade bizarra, que o leva a uma jornada angustiante e... nhain, medonha.

O que Silent Hill 2 faz de melhor é a atmosfera. O jogo é o único de seu gênero a realmente passar medo, pois também é o único que faz o jogador se sentir completamente sozinho num lugar que aparentemente vai drená-lo de toda sua sanidade. Até mesmo os monstros que aparecem parecem mais serem marionetes que não estão ligando tanto assim para sua presença até você passar com uma lanterna na cara deles enchendo o saco. As outras pessoas que você encontra aparentemente não estão vendo as mesmas coisas que você. E enquanto isso, um cara com uma pirâmide no lugar da cabeça, uma faca do tamanho de um prédio e com tendências a estuprar tudo que vê pela frente está te perseguindo. Yeap, tenso.

Nada chega perto do final de Silent Hill 2, ou talvez dos seus três finais sérios mais dois finais de zueira. É um padrão que até mesmo eu deixei de procurar, pois não acredito que irei encontrar novamente. Para quem ainda acha que videogame é coisa de criança, sugiro uma noite com Silent Hill 2 e quero ver manter o mesmo argumento. Sua história dá de 10 a 0 em muito filme por aí. É o melhor jogo que existe, na minha opinião.

 

CONCLUSÃO

E aí se encontram os meus 10 favoritos. Logo será feita uma lista incluindo meus favoritos que não pude incluir nesta lista, como Deus Ex, Crysis e, claro, o jogo pelo qual serei sacrificado por não incluir aqui, Super Metroid. Mas aí estão. Espero que seus favoritos também estejam aqui.

12 Comentaram...

Aleatório disse...

vc não contou chrono trigger em RPGs =x

Mr. Abott disse...

Renato, curti sua lista, somente ótimos jogos.
Eu mudaria alguns, porém o argumento para isso seria simplesmente meu gosto pessoal.
Silent Hill 2 é realmente bizarro, com uma história ótima, porém ainda prefiro o primeiro e o terceiro. O primeiro pois era um adolescente na época, e o 3º pela atmosfera mais sombria.

José Renato disse...

@Aleatório

Tem razão, não contei Chrono Trigger, e ele está no meio dos meus favoritos. Mas eu faço grande distinção entre os RPGs japoneses e os RPGs ocidentais, porquê são estilos de jogo completamente diferentes. Chrono Trigger vai pra lista das menções honrosas, obrigado por me lembrar!

José Renato disse...

@Mr. Abott

Consigo entender porquê alguém pode preferir o primeiro game. Era mais impactante naquela época. Mas eu prefiro Silent Hill 2 porquê o primeiro game tem um pouco de problema quanto à sua história. A ideia de que todo o conflito é causado por um culto de doidos que quer ressuscitar um deus antigo... bem, é meio bobo. Colocar uma face humana no terror sempre vai minar as forças do mesmo. Silent Hill 2 apega simbolismo a tudo, e deixa o jogador chegar a uma conclusão sozinho, e é isso que acho que nenhum outro game faz.

Mas, como sempre, é uma opinião, e ninguém precisa concordar com ela. Pouca gente concorda com minha posição de que Dead Space > Resident Evil 4, mas fazer-se-há o que...

Philipe disse...

Muito boa lista! o que eu mudaria:

plataforma 3d: Super Mario Galaxy

Luta: Street Fighter 3, muito melhor que o 4, mas é perfeito contra perfeito, o sistema de parry que pesa muito.

Fernando disse...

Nenhum jogo jamais foi melhor que The Legend of Zelda-A Link to the Past.Por possuir jogabilidade, gráficos, história e música impressionantes, principalmente por ser em uma plataforma 16-Bit.

Unholy_Winter disse...

Com Most Wanted eu concordo em partes... odeio jogos de corrida onde eu não possa destruir/matar/quebrar coisas... Burnout Paradise fica no meu topo.

SF4 é incontestavel...

Meu DKC favorito também sempre foi o 2 (sempre amei a trilha sonora... alguém ai lembra da emoção/susto/surpresa depois de entrar pela primeira vez no mundo secreto com aquele vulcão homo e aquela música tema ?). Graficos excelentes... dixie toca guitarra ^^.

Max Payne sempre será um marco na história de contar estórias de forma drámatica nos games... realmente entrei de cabeça no enredo todo. Dublagem em portugues lamentável...

Juro que ainda espero por um Prince Of Percia com jogabilidade 2D em uma engine moderna... o 3D não me agradou (nenhum deles...).

Dead Space é perfeito... mas poderiam aumentar o replay factor dele.

Creio que todo mundo começou a gostar de RTS devido ao Age Of Empires... ou Starcraft tbm.

Chupada re-texturizada de Neverwinter Nights... com melhoria na parte gráfica apenas... mas ainda fico com a história cliche do NN.

ODEIO CONCORDAR... mas até que do game não é ruim...

O primeiro ainda é melhor (fodam-se os gráficos). Hey, vai ficar feio pra voce se eu disser que voce tinha medo do 1º Silent Hill e por isso não terminava o jogo de jeito nenhum ? Puts, falei !

De fato se não citar o Super Metroid em qualquer lista de Top Games vai apanhar na rua... Sério !

Giovanni disse...

A lista não me agradou, embora quase todos os jogos tenham potencial para estar numa lista desse tipo. E acho que nenhuma lista de top 10 games ever me agradará algum dia. Simplesmente não tem como escolher só 10. O ideal seria um top 40, no mínimo.

Rômulo RP disse...

Minha Lista:

Corrida - Demolition Derby
clássico da destruição;

Luta - Mortal Kombat 9
indiscutível;

Plataforma 2D - Donkey Kong Country 2: Diddy’s Kong Quest
impossível discordar;

Tiro em Terceira Pessoa - Max Payne
divisor de águas;

Plataforma 3D - Prince of Persia: The Warrior Within
uma continuação a altura do primeiro jogo;

Survival Action - Dead Space 2
concordo com "Dead Space > Resident Evil 4", mas Dead Space 2 > Dead Space; (p.s. bom esse "gênero")

Estratégia em Tempo Real - Age of Empires II: The Age of Kings (+ The Conquerors)
jogo muito mal, mas considero irrepreensível;

RPG - Fallout 3
RPG + TPS + FPS + universo pós-apocalíptico + ...enfim = perfeição;

Tiro em Primeira Pessoa – Portal
vão dizer: "não tem tiro, logo, não é FPS".
azar, não posso fazer top 10 sem esse jogo;

Survival Horror – Amnesia: The Dark Descent
sou inexperiente neste gênero (sim, devido ao medo), mas este é o que eu mais conheço;

Arty disse...

Concordo com a lista, mas senti falta do que considero como o melhor jogos de todos os tempos (Junto com Silent Hill 2), que é o MGS 3.

Nem sei onde entraria entre esses gêneros.

Anônimo disse...

Realmente tem games muito legais na listagem....

Eu colocaria da seguinte forma:

Corrida: Midnight club 3

Luta: Soul calibur

2D: O msm que tu

Terceira pessoa: DarkSector

3D: Shenmue

Survival Action: Dead Space

Estrategia: Men of War

RPG: Fable

Tiro: HL²

Survival Horror: Alan Wake


Vlw

Blogger disse...

If you want your ex-girlfriend or ex-boyfriend to come crawling back to you on their knees (no matter why you broke up) you must watch this video
right away...

(VIDEO) Get your ex back with TEXT messages?

Postar um comentário

Mostre que é nerd e faça um comentário inteligente!

-Spams e links não relacionados ao assunto do post serão deletados;
-Caso queira deixar a URL do seu blog comente no modo OpenID (coloque a URL correta);
-Ataques pessoais de qualquer espécie não serão tolerados.
-Comentários não são para pedir parceria. Nos mande um email, caso essa seja sua intenção. Comentários pedindo parcerias serão deletados.
-Não são permitidos comentários anônimos.


Layout UsuárioCompulsivo